[1]
A. L. Sarmento, “O esplendor ilusório em um discurso derramado”, Cadernos CESPUC, nº 28, p. 118-127, nov. 2016.