Da cultura exótica à ótica das culturas (From exotic culture to optics of cultures)

  • Jocélio Teles dos Santos Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Palavras-chave: Conferência. Diferenças culturais. Interpretação.

Resumo

Este texto é resultado de uma conferência realizada no Instituto Cultural Brasil-Alemanha. O objetivo é refletir sobre o modo como a discussão sobre as diferenças culturais aparecem em textos de três filósofos: Montaigne, Voltaire e Rousseau, relacionando essa temática a textos produzidos pela imprensa, por viajantes, e pela literatura brasileira do século XIX. Na conclusão discute-se a interpretação de novos sujeitos que reificam o conceito de cultura nas últimas décadas.

 

Abstract

This text is the result of a conference held in the Brazil-Germany Cultural Institute. The aim is to reflect on how the discussion about cultural differences appear in three texts philosophers: Montaigne, Voltaire and Rousseau, relating this theme the texts produced by the press, by travelers, and Brazilian literature of the nineteenth century. In conclusion we discuss the interpretation of new subjects that reify the concept of culture in recent decades.

Keywords: Lecture. Cultural diferences. Interpretation.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jocélio Teles dos Santos, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2. Antropólogo, é graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (1986), possui mestrado (1992) e doutorado (2000) em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo. É Professor Associado IV da Universidade Federal da Bahia, onde ocupou a chefia de Departamento do Antropologia, a direção do Centro de Estudos Afro-Orientais, e a coordenação do Programa de Pós-Graduação em Estudos Étnicos e Africanos. Ensina na graduação e pós-graduação e orienta alunos na iniciação científica, mestrado e doutorado. Atua nos seguintes temas: religiosidade afro-brasileira, ações afirmativas no ensino superior. É editor da revista Afro-Ásia (www.afroasia.ufba.br).

Referências

Fontes primárias

INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA. Periódicos. O Alabama, Salvador, 02/05/1867. p. 2.

INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA. Periódicos. O Alabama, Salvador, 29/09/1868. p. 3.

INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA. Periódicos. O Alabama, Salvador, 21/11/1870. p. 1.

Fontes secundárias

AVÉ-LALLMANT, Robert. Viagens pelas províncias da Bahia, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. Belo Horizonte; São Paulo: Ed. Itatiaia: Edusp, 1980.

BINSBERGEN, Wim van. Virtuality as a key concept in the study of globalisation. Amsterdam: Wotro Netherlands Foundation for the advancement of tropical research, 1997.

GINZBURG, Carlo. A micro-história e outros ensaios. Lisboa: Difel, 1989a.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais. Morfologia e história. São Paulo: Cia. das Letras, 1989b.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar Editores.

KOSSOY, Boris; CARNEIRO, Maria L. O olhar europeu. O negro na iconografia brasileira do século XIX. São Paulo: Edusp, 1994.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Antropologia estrutural II. Rio de Janeiro: Editora Tempo Brasileiro Ltda, 1987.

MACEDO, Joaquim M. de. As vítimas algozes. Quadros da escravidão. Rio de Janeiro: Editora Scipione/Fundação Casa de Rui Barbosa, 1988.

MARQUES, Xavier. O feiticeiro. São Paulo: Edições GRD; Instituto Nacional do Livro, 1975.

MONTAIGNE, Michel de. Os pensadores. Montaigne. (Coleção). São Paulo: Abril Cultural, 1980.

RIO, João do. As religiões do Rio. Rio de Janeiro: Edição da Organizações Simões, 1951.

SCULLY, William. Brazil: its provinces and chiefs cities; the manners and customs of the people. London: Murray Co., 1866.

SPIX, Johann Baptist von; MARTIUS, Carl Frierich Philipp von. Viagem pelo Brasil. São Paulo: Edusp, 1981.

VOLTAIRE, François Marie Arout de. Os pensadores. Voltaire. (Coleção). São Paulo: Abril Cultural, 1984.

Publicado
28-05-2016
Como Citar
SANTOS, J. T. DOS. Da cultura exótica à ótica das culturas (From exotic culture to optics of cultures). Cadernos de História, v. 17, n. 26, p. 251-262, 28 maio 2016.