O contemporâneo na Periferia Viva:

a comunicação estratégica na modernidade pandêmica de Belo Horizonte

  • Ives Teixeira Souza Universidade Federal de Minas Gerais

Resumo

Este artigo apresenta hipótese sobre o que seria o contemporâneo em Belo Horizonte durante a pandemia de Covid-19. Para isso, propõe-se uma análise sobre comunicação estratégica a partir da Periferia Viva, uma rede de articulação formada por uma centena de coletivos que teve como objetivo minimizar as consequências sociais da pandemia. A análise faz emergir tensionamentos sobre a política temporal de Belo Horizonte, de modo a possibilitar a conclusão que a Periferia Viva atuou a partir de uma comunicação estratégica com e pelo cotidiano de moradores de territórios periféricos da cidade, de modo a incluí-los em um mesmo contemporâneo, o que contribuiu para compor uma das permanências de Belo Horizonte: sua modernidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
25-03-2023
Como Citar
SOUZA, I. T. O contemporâneo na Periferia Viva:. Dispositiva, v. 12, n. 21, p. 88-100, 25 mar. 2023.
Seção
DOSSIÊ Práticas e estratégias de comunicação organizacional no cenário pandêmico