A palestinização do mundo:

Identidade, território, violência e globalização em O paraíso deve ser aqui

Palavras-chave: Palestina, território, globalização, identidade, violência

Resumo

O paraíso deve ser aqui (2019), dirigido, roteirizado e estrelado por Elia Suleiman, é uma obra que retrata a Palestina, mas com cenas ambientadas fora deste lugar, levando-nos à compreensão de que existe, nas palavras do diretor, uma palestinização do mundo. A partir dos eixos identidade, território, violência e globalização, pretende-se, neste texto, identificar, por meio da análise do material fílmico, relações entre as questões desenvolvidas pelo filme e seu reflexo em torno da reterritorialização e da palestinização do mundo contemporâneo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Carvalho, Universidade Federal de Ouro Preto

Mestre em Comunicação pelo Programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Ouro Preto (PPGCOM/UFOP), juliana.carvalho2@aluno.ufop.edu.br, http://lattes.cnpq.br/5583129637154535

Cláudio Rodrigues Coração, Universidade Federal de Ouro Preto

Professor do Programa de Pós-graduação em Comunicação e do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), doutor em Comunicação: meios e processos audiovisuais pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), coordenador do Grupo de Pesquisa Quintais: cultura da mídia, arte e política (CNPq/UFOP), crcorao@gmail.com, http://lattes.cnpq.br/9969908683246890

Referências

ANTUNES, Arnaldo; MELLO, Branco. Eu não sou da sua rua. In: ARNALDO Antunes Ao Vivo no Estúdio. Arnaldo Antunes. São Paulo: Biscoito Fino, 2007. 1 CD.

ESCOREL, Eduardo. O Paraíso deve ser aqui – o que sobrará da mediocridade imposta? Revista Piauí, 15 jan. 2020.

FISHER, Mark. Realismo capitalista. Tradução de Rodrigo Gonsalves, Jorge Adeodato e Maikel da Silveira. São Paulo: Autonomia Literária, 2020.

HAESBAERT, Rogério. Territórios Alternativos. Niterói: EdUFF; São Paulo: Contexto, 2002.

MBEMBE, Achille. A ideia de um mundo sem fronteiras. Revista Serrote, São Paulo; Rio de Janeiro, IMS, n. 31, 2019.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Lisboa: Antígona, 2014.

MBEMBE, Achille. Necropolítica. Arte & Ensaios, Rio de Janeiro, UFRJ, n. 32, p. 122-151, dez. 2016.

O PARAÍSO deve ser aqui. Direção: Elia Suleiman. Produção de: Edouard Weil, Laurine Pelassy, Elia Suleiman, Thanassis Karathanos, Martin Hampel e Serge Noël. França; Catar; Alemanha; Canadá; Palestina; Turquia: Imovision, 2019. (102 min.)., son., color, legendado. Título original: It Must Be Heaven.

SANTOS, Milton. Elogio da lentidão. Folha de S. Paulo, Caderno Mais, 11 mar. 2001.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SILVA, Tomaz Tadeu da (org.); HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença. A perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Editora Vozes, 2000.

ŽIŽEK, Slavoj. Violência: seis reflexões laterais. São Paulo: Boitempo, 2014.

Publicado
18-12-2023