Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: 1,5; margin: 0cm 0cm 0pt;">Estudos Internacionais - Estudos internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas é uma publicação quadrimestral do Programa de Pós-graduação em Relações Internacionais, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, classificada como A4 no QUALIS de sua área "Ciência Política e Relações Internacionais" (Plataforma Sucupira - CAPES-Brasil, 2017-2020).<br><strong>Missão:</strong> veicular trabalhos científicos que contribuam para o avanço da pesquisa, especialmente na área de Relações Internacionais, da formação acadêmica crítica e integral, aberta ao diálogo, à perspectiva interdisciplinar e à pluralidade de ideias.<br><strong>e-ISSN 2317-773X</strong></p> Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais pt-BR Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas 2317-773X <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <p>1.&nbsp;Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>2.Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> <p>3.Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja&nbsp;<a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html" target="_new">O Efeito do Acesso Livre</a>).</p> <p>&nbsp;</p> <p><img width="88" height="31" alt="" src="https://licensebuttons.net/l/by/3.0/88x31.png"></p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> Sumário https://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/32916 <p>Estudos Internacionais</p> Estudos Internacionais Copyright (c) 2024 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-11 2024-04-11 11 1 1 6 10.5752/P.2317-773X.2023v11n1p1-6 Pátria e Liberdade: projeto político de Simón Bolívar e disputas de poder no âmbito das independências hispano-americanas do século XIX https://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/28029 <p>No começo do século XIX, revoluções por independência irromperam em muitas colônias espanholas nas Américas.&nbsp; Um dos líderes e maiores expoentes desse período foi Simón Bolívar, militar venezuelano que idealizava um projeto político particular para a região. Dessa maneira, a pergunta que este trabalho pretende responder é: em que medida as disputas de poder dentro das elites locais interferiram no projeto político de Simón Bolívar durante as independências hispano-americanas do século XIX? O objetivo geral é analisar o projeto político de Simón Bolívar em meio à expulsão dos espanhóis das Américas e às disputas por poder subsequentes. Trata-se de pesquisa com abordagem qualitativa. Quanto aos procedimentos, caracteriza-se como pesquisa documental e bibliográfica. Para isso, foram acessadas fontes em espanhol, inglês e português. Os resultados indicam que, no decurso dos conflitos, prevaleceram forças centrífugas contrárias ao idealismo de Bolívar, cabendo às elites locais o emprego do autoritarismo antes desempenhado pelos espanhois.</p> Mateus Matos Eduardo Ernesto Filippi Copyright (c) 2024 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-11 2024-04-11 11 1 7 24 10.5752/P.2317-773X.2023v11n1p7-24 El conflicto armado colombiano y el cambio de estrategia de las Fuerzas Armadas en la lucha en contra de las FARC (2002-2010) https://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/27457 <p>No início dos anos 2000, o governo colombiano aprovou uma nova estratégia para melhorar as capacidades das Forças Armadas, aumentando suas capacidades para lutar em diferentes cenários territoriais colombianos. Essa estratégia tornou possível recuperar o território e enfraquecer os grupos guerrilheiros, particularmente as FARC, que durante os anos 90 expandiram o controle territorial, ameaçando os centros vitais do estado. O objetivo deste artigo é demonstrar como as Forças Armadas colombianas, desde o início dos anos 2000, utilizaram um enfoque pragmático e uma adaptação territorial para realizar o combate na retaguarda do grupo guerrilheiro e retomar o controle do país.</p> Francesco Mancuso Copyright (c) 2024 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-11 2024-04-11 11 1 25 46 10.5752/P.2317-773X.2023v11n1p25-46 Interrogating the Health - Foreign Policy Nexus: The Nigerian Experience https://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/28933 <p>O nexo saúde - política externa é explorado neste artigo por meio de um estudo de caso da Nigéria que interroga a motivação para a diplomacia da saúde e demonstra as instituições e mecanismos para sua conduta. O objetivo deste artigo é demonstrar como a Nigéria, desde a conquista da independência em 1960, atribuiu importância à utilização da saúde como instrumento de promoção da política externa. O artigo utiliza o método primário e secundário de coleta de dados. Os dados primários foram obtidos a partir de entrevistas orais e reportagens de jornais diários. Além disso, baseia-se em materiais dos Arquivos da OMS em Genebra e dos Arquivos Nacionais, Ibadan. Os dados secundários foram obtidos de livros, artigos de periódicos, publicações governamentais e da internet. Os dados gerados foram analisados ​​por meio de análise descritiva e de conteúdo. O artigo conclui que a experiência nigeriana revela as ligações entre saúde e política externa. Os compromissos de saúde na forma de ajuda, assistência e cooperação são usados ​​como uma forma de soft power que cumpre objetivos de política interna e externa, incluindo segurança, crescimento econômico e outros interesses. a condução da diplomacia da saúde da Nigéria. De qualquer forma, esses fatores constituem um pesado albatroz para os diplomatas da saúde enfrentarem as dificuldades apresentadas pela disseminação global de doenças infecciosas.</p> Benjamin Anaemene Copyright (c) 2024 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-11 2024-04-11 11 1 47 64 10.5752/P.2317-773X.2023v11n1p47-64 Macro-Regional Patterns of CSO Affiliation/Participation within the UN-Civil-Society Framework: The Underrepresentation of the Developing World https://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/29566 <p>O banco de dados da Sociedade Civil Integrada das Nações Unidas foi utilizado em estudos de caso empíricos de organizações da sociedade civil (OSCs) afiliadas às Nações Unidas em uma comparação espacial para saber se estavam sediadas em países desenvolvidos ou em desenvolvimento. O objetivo era aferir a pluralidade/proporcionalidade na representação das OSCs por região do mundo dentro do programa de status consultivo do Conselho Econômico e Social da ONU. Os resultados indicam uma variação substancial na representação regional de OSCs dentro da estrutura de status consultivo da ONU com regiões desenvolvidas representadas em maior grau proporcional às suas populações. Tanto a África quanto a Ásia estavam sub-representadas em relação às suas proporções da população global. Os resultados desafiam as percepções de que a relação da ONU com a sociedade civil reflete o pluralismo regional refletido por meio da representação proporcional.</p> BD Mowell Copyright (c) 2024 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-11 2024-04-11 11 1 65 85 10.5752/P.2317-773X.2023v11n1p65-85 Las provincias argentinas a través del vínculo con China (2014-2022): ¿hacia una reconfiguración de la doble periferia? https://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/31667 <p>O presente artigo estuda o esquema centro-periferia do sistema internacional no duplo nível de análise, estadual e sub-estadual, através da agenda paradiplomática dos estados argentinos com respeito da China entre 2014 e 2022. O objetivo sugere analisar a reconfiguração da duplo periferia das unidades sub-estaduais argentinas em relação com China desde a subscrição do Acordo de Relações Estratégicas Integrais até o ingresso da Argentina na Belt &amp; Road Initiative (BRI).</p> <p>A abordagem parte dos aportes do estruturalismo para explicar a relação de dependência centro-periferia nos distintos níveis do sistema internacional; e dos estudos de paradiplomacia para compreender o acionar internacional dos estados argentinos condicionados pela duplo periferia na qual se insertam. A metodologia é qualitativa com estudo de caso para o análises dos estados argentinos.</p> <p>Os resultados evidenciam a proliferação de iniciativas em relação aos atores chineses produzindo a reconfiguração da duplo periferia sub-estadual argentina. A China perfila-se como promotor do desenvolvimento local da duplo periferia argentina, mas mantém a assimetria interestadual entre ambos países.</p> Stella Juste Copyright (c) 2024 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-11 2024-04-11 11 1 86 106 10.5752/P.2317-773X.2023v11n1p86-106 O massacre de Butcha, a Guerra na Ucrânia e o poder multimidiático https://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/30568 <p>O massacre de Bucha, ocorrido em abril de 2022, foi atribuído imediatamente ao exército russo. Esse evento ainda obscuro precisa ser compreendido como parte do conflito russo-ucraniano, cuja origem vai além da chamada Operação Especial iniciada em fevereiro de 2022. Assim, o objetivo do trabalho é analisar como foi tratado pela mídia o massacre de Bucha tomando metodologicamente por base veículos de mídia ocidentais (<em>New York Times</em>, <em>Herold</em> e <em>ANSA</em>) e não-ocidentais (<em>Russia Today</em>, <em>Al Jazeera</em>, <em>CGTN</em> e <em>Xinhua</em>). O argumento central é que o poder multimidiático ocidental produz uma narrativa voltada à vilanização de Moscou e consequente escalada do conflito como parte da contenção da Rússia pelas forças da OTAN lideradas pelos EUA.</p> Diego Pautasso Rafael Algarte Copyright (c) 2024 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-11 2024-04-11 11 1 107 126 10.5752/P.2317-773X.2023v11n1p107-126 Esporte e Poder: uma perspectiva geopolítica contemporânea https://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/29858 César Teixeira Castilho Copyright (c) 2024 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-11 2024-04-11 11 1 127 131 10.5752/P.2317-773X.2023v11n1p127-131 Edição Completa https://periodicos.pucminas.br/index.php/estudosinternacionais/article/view/32917 <p>Estudos Internacionais</p> Estudos Internacionais Copyright (c) 2024 Estudos Internacionais: revista de relações internacionais da PUC Minas https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 2024-04-11 2024-04-11 11 1 1 131 10.5752/P.2317-773X.2023v11n1p1-131