A Apropriação Retórica da Ideia de Terrorismo

  • Ana Carolina Felix Campos
  • Paula Cirino Ribeiro Caetano
  • Rafaella Carnevali
  • Stefânia Rezende Moreira
  • Thaís Caxito Melo
  • Victor Castro de Araújo
Palavras-chave: identidade estadunidense, desespero ontológico, pós-estruturalismo, terrorismo, discurso

Resumo

Este artigo propõe-se a apresentar a relação existente entre o desespero ontológico, decorrente da extrema racionalização do Ocidente, e a construção retórica da identidade estadunidense, após os ataques do 11 de setembro de 2001. Assume-se que tal construção se deu através da rejeição de tudo aquilo que representava o “OUTRO” (grupos terroristas e regimes antidemocráticos que os apoiavam) em contraposição à noção do “EU” (democrático e defensor das causas liberais). Para tanto, lança-se mão do arcabouço teórico filosófico acerca da substituição do mito simbólico em mito significante, bem como da perspectiva pós-estruturalista das Relações Internacionais, que enxerga a linguagem como responsável pela formação da identidade nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
08-09-2016
Como Citar
Felix Campos, A. C., Caetano, P. C. R., Carnevali, R., Moreira, S. R., Melo, T. C., & Araújo, V. C. de. (2016). A Apropriação Retórica da Ideia de Terrorismo. Fronteira: Revista De iniciação científica Em Relações Internacionais, 12(23), 24-43. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/fronteira/article/view/9246