Fragmentação socioespacial, espaço público e hip hop: as batalhas de MCs em Ribeirão Preto/SP

Palavras-chave: espaços públicos, práticas espaciais, produção do espaço urbano

Resumo

O presente artigo busca analisar a produção e a apropriação de espaços públicos a partir das práticas espaciais de jovens associados ao hip-hop, na cidade de Ribeirão Preto, SP. No contexto de aumento das desigualdades e da diferenciação socioespacial, que implicam novas segmentações e o crescimento das fronteiras materiais e simbólicas no espaço urbano, o uso combinado de espaços públicos centrais e periféricos associado às redes sociais virtuais, relativos às práticas espaciais dos coletivos hip-hop, aparecem como resposta à fragmentação socioespacial no sentido do restabelecimento do direito à cidade. A produção de novas centralidades e a reapropriação da cidade pelo hip-hop indica a formação de microordens no espaço urbano que atribuem novos significados e disputas acerca da relação centro-periférica e ao processo de fragmentação socioespacial em curso nas cidades.     

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Roxo, Doutor em Geografia Humana pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo - FFLCH/USP

Pós-doutorando em Geografia pela Universidade Estadual Paulista - UNESP (bolsista FAPESP). Doutor em Geografia Humana pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - FFLCH da Universidade de São Paulo - USP (2019). Mestre em Geografia pelo Instituto de Geociências da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2013). É licenciado (2005) e bacharel (2007) em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP. Desde 2004 atua como professor da rede particular e da rede pública de ensino. Pesquisa temas ligados à geografia urbana, regional, geopolítica, industrialização e patrimônio cultural.

Eda Maria Góes, Professora assistente doutora da Universidade Estadual Paulista, campus de Presidente Prudente

Graduada (1986), mestre (1991) e doutora (1998) em História pela Universidade Estadual Paulista, campus de Assis. Atualmente é professora assistente doutora da Universidade Estadual Paulista, campus de Presidente Prudente, atuando nos cursos de graduação em Geografia e Arquitetura e Urbanismo e no Programa de Pós-Graduação em Geografia da FCT - UNESP. Tem experiência nas áreas de História, particularmente em História da Cidade, mas também em Geografia Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: insegurança urbana; consumo; espaço público; segregação socioespacial, fragmentação socioespacial, práticas espaciais, habitação de interesse social; cidades médias e produção do espaço urbano. É membro do GAsPERR - Grupo de Pesquisa Produção do Espaço e Redefinições Regionais e pesquisadora do Projeto Temático "Fragmentação socioespacial e urbanização brasileira: escalas, vetores, ritmos, formas e conteúdos - FragUrb" (Fapesp: 2018 - 2023).

Publicado
17-10-2021