Dossiê 10 - Ditaduras na América Latina e na Península Ibérica

09-06-2024

Organizadores

Isabela Padilha Papke – Universidade Federal do Rio Grande do Sul / UFRGS

Jonas Migotto Filho – Universidade Federal de Santa Maria / UFSM

Júlia Calvo – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais / PUC Minas

Mateus Roque da Silva – Universidade Estadual de Campinas/ UNICAMP

Rafael Cal – Universidade Federal do Rio de Janeiro / UFRJ

 

Neste e nos últimos anos, efemérides lembrando o início ou final de ditaduras na América Latina e na Península Ibérica chamaram a atenção para os debates sobre esses regimes, suas origens e seus desdobramentos. Em 2024, por exemplo, o golpe civil-militar brasileiro, que destituiu o governo constitucional de João Goulart, completou 60 anos; já em Portugal, a Revolução dos Cravos chegou a seu cinquentenário.

No entanto, mais do que rememorar esses eventos ou períodos, tais debates acerca do passado apontam para questões fundamentais do nosso presente. Os trabalhos de pensadores como Walter Benjamin, Theodor Adorno, Jeanne Marie Gagbnebin, Michael Pollak e Marianne Hirsch têm auxiliado pesquisadores a construir perspectivas que ofereçam possibilidades mais plurais para se pensar o passado, incorporando diferentes fontes e formas de tratá-lo, buscando uma aproximação com outras disciplinas e problematizando o próprio fazer histórico.

Nos estudos sobre ditaduras na América Latina e na Península Ibérica, há um conjunto de autores que têm papel significativo nas últimas décadas. Estudos como os de Fernando Rosas, Moisés Lemos Martins e Eduardo Lourenço exploraram diversas questões relacionadas ao Salazarismo em Portugal. Na América Latina, os trabalhos das argentinas Elizabeth Jelin e Beatriz Sarlo têm fornecido chaves de leitura importantes para analisar não apenas o caso específico argentino, mas outras ditaduras da região.

Assim, o dossiê “Ditaduras na América Latina e na Península Ibérica” convoca contribuições de historiadores e estudiosos de outros campos do conhecimento que se proponham a investigar as disputas na atualidade sobre as narrativas a respeito do passado; os impactos dos estudos de memória no olhar sobre os períodos ditatoriais; as diferentes abordagens aos documentos, seus formatos e usos; as formas de representação sobre essas ditaduras; entre outros temas aproximados.

 

  • Serão aceitos trabalhos de pesquisadores da graduação e da pós-graduação.
  • Os trabalhos deverão ser enviados no site da Revista História em Curso, no portal de periódicos da Pontifícia Universidade Católica de Minas gerais, até o dia 23 de setembro de 2024.
  • Previsão de publicação: dezembro de 2024.
  • Todas as normas de submissão encontram-se disponíveis no site da revista: http://periodicos.pucminas.br/index.php/historiaemcurso/index