Sacramentos, símbolos de comunhão: elementos para um mútuo reconhecimento entre as igrejas

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Elias Wolff

Resumo

Afirmar os sacramentos como símbolos da comunhão apresenta a questão sobre como possibilitar que essa comunhão aconteça entre igrejas que atualmente celebram seus sacramentos de forma separada. A comunhão sacramental é uma questão ecumênica. Será possível um consenso na doutrina e na celebração dos sacramentos que possibilite às igrejas um mútuo reconhecimento da vivência sacramental? O objetivo deste artigo é responder a essa questão, apresentando as convergências e os consensos que o diálogo ecumênico sobre os sacramentos nos permite colher. O método que utilizamos é a análise qualitativa da bibliografia que apresenta a teologia sacramental em perspectiva ecumênica. E os resultados atingidos mostram que uma mútua acolhida sacramental exige das igrejas uma recepção estrutural, em suas doutrinas e liturgias, das convergências já alcançadas no diálogo sobre os sacramentos. Como consequência, elas precisam também de um esforço conjunto para ressignificar ritos, gestos e símbolos, bem como refazer o universo semântico da terminologia sacramental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
WOLFF, E. Sacramentos, símbolos de comunhão: . HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 21, n. 64, p. e216413, 27 ago. 2023.
Seção
Artigos/Articles: Temática Livre/Free subject
Biografia do Autor

Elias Wolff, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Doutor em Teologia. Professor da PUC PR. Apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq Brasil, por meio da concessão de uma Bolsa de Produtividade em Pesquisa - Chamada nº 09/2022. País de origem: Brasil. E-mail: elias.wolff@pucpr.br.

Referências

ALLEN, M. Sacraments in the reformed and anglican reformation. In: BOERSMA, Hans; LEVERING, M. Sacramental Theology. Oxford: Oxford University Press, 2015, p. 283-297.

ALTMANN, W. Lutero e Libertação. Sinodal: Ática, 1994.

AQUINO, T. The Summa Theologica of St. Thomas Aquinas. Part. III. London: Burns Oates and Washbourne LTD, 1923.

AUER, J.; RATZINGER, J., Dogmatic Theology – A general doctrine of the sacraments and the mystery of eucharist. Washington: The Catholic University of America Press, 1995.

BARTH, K. Church Dogmatics. II.1: The Doctrine of God. Part I. Edimburgh: T&T. Clark, 1957.

BARTH, K. Church Dogmatics. IV.2: The Doctrine of Reconciliation. Edinburgh: T&T. Clark, 1967.

BELLOSO, Josep. M. R. Os Sacramentos: símbolos do Espírito. São Paulo, Paulinas, 2005.

BERCKHOF, L. Teologia Sistemática. Campinas, Editora Cultura Cristã, 1990.

BILLINGS, J. T. Calvin, participation and the gift. The Activity of Believers in Union with Christ. New York: Oxford University Press: 2007.

BOERSMA, H. Heavenly Participation: The Weaving of a Sacramental Tapestry. Grand Rapids, MI: Eerdmans, 2011.

BORGEN, O. E. John Wesley on the Sacraments. Zurich: Publishing House of the United Methodist Church, 1972.

BOROBIO, D. A Celebração na Igreja I – Liturgia e sacramentologia fundamental. São Paulo: Loyola, 1990.

BOROBIO, D. História e Teologia Comparada dos Sacramentos. O princípio da analogia sacramental. São Paulo: Ave Maria; Edições Loyola, 2017.

CASTILLO, J. M. Símbolos de Libertad – Teologia de los sacramentos. Salamanca: Sígueme, 1981.

CHAUVET, L. Du symbolique au symbole. Essai sur les sacrements. Paris: Edition du Cerf, 1979.

CÍRCULO ECUMÊNICO DE TRABALHO DE TEÓLOGOS EVANGÉLICOS E CATÓLICOS DA ALEMANHA. La doctrina sobre los sacramentos en general y sobre la Eucaristia. In: Dialogo Ecumenico, n. 39 (1994) p. 143-191.

CODINA, V. (et. al.). Os Sacramentos hoje: teologia e pastoral. São Paulo: Loyola, 1985. p. 11-24.

CODINA, V.; IRARRAZAVAL, D. Sacramentos de Iniciação: água e Espírito de liberdade. Petrópolis: Vozes, 1991.

COMISSÃO DE FÉ E ORDEM. II Conferência Mondial – Edimburgo, 1937: Rapporto. In Enchiridion Oecumenicum, vol. 6, 2005a, p. 441-638.

COMISSÃO DE FÉ E ORDEM. V Conferenza mondiale: Santiago de Compostela, 1993 – Documenti. In Enchiridion Oecumenicum, vol. 6, 2005b, p. 1065-1501.

COMISSÃO DE FÉ E ORDEM. I Conferenza Mondiale: Losana, 1927. Parte I: svolgimento della Conferenza. In Enchiridion Oecumenicum, vol. 6, 2005c, p. 6-359.

COMISSÃO DE FÉ E ORDEM. Batismo, Eucaristia e Ministério. São Paulo: CEDI/CONIC, 1983.

COMISSÃO DE FÉ E ORDEM. A Igreja. Uma visão ecumênica. São Paulo: ASTE; Brasília: CONIC, 2015.

COMISSÃO INTERNACIONAL CATÓLICA – LUTERANA. Chiesa e giustificazione. In Enchiridion Oecumenicum, vol.3. Bologna: EDB, 1995, 551-696.

COMISSÃO INTERNACIONAL CATÓLICA – LUTERANA. Communione ecclesiale – 1984. In Enchiridion Oecumenicum, vol. 2, Bologna: EDB, 2000, p. 574-678.

COMISSÃO INTERNACIONAL CATÓLICA – ORTODOXOS CALCEDONENSES. Fede, sacramenti, unità della chiesa. In Echiridion Oecumenicum, vol. 3, Bologna: EDB, 1995, p. 777-791.

COMISSÃO INTERNACIONAL CATÓLICA - ANGLICANA. La chiesa come communione, In Echiridion Oecumenicum, vol. 3, Bologna: EDB, 1995, p.24-53.

COMISSÃO INTERNACIONAL CATÓLICA - METODISTA. La parola di vita. In Enchiridion Oecumenicum, vol. 7. Bologna: EDB, 2006a, p. 1051-1103.

COMISSÃO INTERNACIONAL CATÓLICA - METODISTA. “Dire la verità nella carità - L’autorità d’insegnare tra cattolici e metodisti”. In Enchiridion Oecumenicum, vol. 7. Bologna: EDB, 2006b, p. 1104-1196.

COMISSÃO INTERNACIONAL CATÓLICA - METODISTA. Verso uma dichiarazione sulla chiesa - Rapporto di Nairobi. In Enchiridion Oecumenicum, vol. 3, 1995, p. 711-738.

COMISSÃO MISTA LUTERANA-ORTODOXA CALCEDONENSE. Il mistero dela chiesa: Parola e Sacramenti (mysteria) nella vita dela chiesa – Dichiarazione comune, n. 2. In Enchiridion Oecumenicum vol. 7. Bologna: EDB, 2006, p. 1300-1305.

CONGAR, Y. M. The notion of ‘maior’ or ‘principal’ sacraments. In: Concilium 31, 1968, p. 21-32.

DENZINGER, H.; HÜNERMANN, P. (Ed.). Enchiridion symbolorum. Bologna: EDB, 1996.

FEINER, J.; VISCHER, L. O novo livro da fé: a fé cristã comum. Petrópolis: Vozes, 1976.

GRUPO DE DOMBES. Lo Spirito santo, la Chiesa e I sacramenti. In: Enchiridion Oecumenicum, vol. 2, Bologna: EDB, 2000, p. 381-426.

JACOPOZZI, A. Filosofia della Religione. Casale Monferrato, PIEMME, 1992.

KLEIN, C. J. Calvino e os sacramentos. Algumas considerações sob a perspectiva da Teologia de Tillich. São Bernardo do Campo: Revista Eletrônica Correlatio, n. 14, p. 153-170, 2008.

KLEIN, C. J. Os sacramentos na Tradição Reformada. São Paulo, Fonte Editorial, 2005.

LANG, A. Le difficoltà dela dottrina sui sacramenti. In: Enchiridion Oecumenicum, vol. 6, 2005, p. 277- 281.

MOLTMANN, J. The Church in the Power of the Spirit: a contribution to Messianic Ecclesiology. New York: Harper and Row, 1977.

MOORE-KEISH, M. L. Twentieth-Century and contemporary protestant sacramental theology. In: BOERSMA, H.;
LEVERING, M. Sacramental Theology. Oxford: Oxford University Press, 2015. p. 397-416.

PANNEMBERG, W. Teologia Sistemática. vol. 3, São Paulo, Paulus; Santo André, Academia Cristã, 2009.

PIOLANTI, A. (org.). Il Protestantesimo Ieri e Oggi. Roma: Libreria Editrice della Pontificia Università Lateranense, 1958.

QUICK, L. C. La parte di Dio e la parte dell’uomo nei sacramenti. In Enchiridion Oecumenicum, vol. 6, 2005, p. 281-285.

RAHNER, K. The Church and the Sacraments. New York: Herder and Herder, 1963.

SCHULTE, R. Los sacramentos de la Iglesia como desmembración del sacramento radical. In: Mysterium Salutis, IV/2, 1973, p. 53-169.

TABORDA, F. Sacramentos, práxis e festa – Para uma teologia latino-americana dos sacramentos. São Paulo: Paulus, 2019.

TILLICH, P. The protestant era. Chicago: University of Chicago Press, 1948.

TILLICH, P. Systematic theology. vol. 3. Chicago: University Chicago Press, 1963.

TORRANCE, T. F. Theology in reconciliation. London: Chapman, 1975.

VERGOTE, A. La realisation symbolique dans l´expresion cultuelle. Paris : La Maison-Dieu, n. 111, 1972, p. 110-131.

WHITE, J. Sacraments as God’s Self-Giving. Nashville: TN: Abingdon Press, 1983.

WOLFF, E., Sacramentos e ecumenismo: questões sobre o significado, a instituição e o número. São Leopoldo: Estudos Teológicos, vol. 58, n. 2, p. 392-406, jul./dez. 2018.