Pastor versus Pajé: o sopro do espírito em contextos indígenas

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Donizete Rodrigues

Resumo

Apoiado em teorias antropológicas e sociológicas, categorias conceituais e densa etnografia, e numa perspectiva comparativa e intercultural, o objetivo principal do artigo é discutir o processo de mudança religiosa que está em curso na Terra Indígena Sororó (Suruí-Aikewara), no Pará. Com a introdução do protestantismo pentecostal, e utilizando a sua cosmologia animista anterior, a maioria das aldeias, em fase de conversão evangélica, incorpora, ressignifica e cria novas expressões do sagrado. De uma disputa real e simbólica, entre o Pastor e o Pajé, surgiu a categoria êmica de 'índio-crente' e um tipo ideal, no sentido weberiano, que estamos denominando de ‘pentecostalismo indígena'. Com uma lógica comparativa e complementar, discute-se também a etnografia feita com a pajé cunhã-karaí, da etnia Kaingang, em Santa Catarina. Nesses dois contextos indígenas, não ocorre uma ruptura com as cosmologias originais, mas sim uma lógica de correspondência, coabitação de contrários, estratégias de acumulação de diferenciadas lógicas de pensamento, de categorias simbólicas e práticas religiosas. Mesmo constituindo-se como paradigmas distintos, os dois modelos – xamanismo-indígena e cristianismo-pentecostal - estão imbricados numa teia de relações mágico-religiosas, materializadas num evidente hibridismo religioso, numa nova religiosidade sincrética e, na lógica lévi-straussiana, com eficácia de cura, real e/ou simbólica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
RODRIGUES, D. Pastor versus Pajé: . HORIZONTE - Revista de Estudos de Teologia e Ciências da Religião, v. 21, n. 64, p. e216415, 27 ago. 2023.
Seção
Artigos/Articles: Temática Livre/Free subject
Biografia do Autor

Donizete Rodrigues, Universidade da Beira Interior (Portugal)Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA-UNL).

Mestre em Antropologia social pela Universidade de São Paulo (USP) - onde foi docente entre 1986 e 1992 - e doutorado em Antropologia social pela Universidade de Coimbra (Portugal). Atualmente, é Professor Associado com Agregação (Livre-Docência) do Departamento de Sociologia da Universidade da Beira Interior – onde foi diretor da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (2007-2000) - e Investigador-sénior do Center for Research in Anthropology (CRIA-Lisboa). Foi Professor Titular convidado (1995-2011) do programa de Doutoramento em Sociologia e Antropologia da Universidade de Salamanca (Espanha) e Professor-visitante em várias universidades estrangeiras (Espanha, Inglaterra, França, Suécia, Itália, Roménia, Índia, Brasil, Canadá, Japão, Letónia, Polónia, Croácia e Lituânia). Foi Visiting-Fellow (2000-2001) e Erasmus-Fellow (2002-2005) no Departamento de Sociologia da Universidade de Bristol (Inglaterra) e Visiting-Fellow (2009-2010) na Columbia University (New York, EUA) e Associate researcher (2011-2013) do Center for the Study of Latin American Pentecostalism/University of Southern California (Los Angeles, EUA).

Fez parte do grupo de trabalho da Oxford University que editou a Encyclopedia of New Religious Movements, onde colaborou com vários artigos. Para além de capítulos de livros (Indiana University Press, Ashgate) e artigos publicados em revistas estrangeiras, do conjunto das suas obras destacam-se vários livros (em português e inglês) na área da Antropologia/Sociologia da religião: Deus, o Demónio e o Homem: o fenómeno Igreja Universal do Reino de Deus (1999); The Religious Phenomenon: an inter-disciplinary approach (2000); The God of the New Millennium: An Introduction to the Sociology of Religion (2002); O Terreiro das Bruxas: o religioso no maravilhoso popular (2004); Em Nome de Deus: a religião na sociedade contemporânea (2004); Sociologia da Religião: uma introdução (2007); O Que é Religião? A visão das ciências sociais (2013); Jesus in Sacred Gotham: Brazilian Immigrants and Pentecostalism in New York City (2014); Transnacionalização Religiosa. religiões em movimento (2015); O Evangélico Imigrante: o pentecostalismo brasileiro salvando a América (2016).

Referências

ALENCAR, Gedeon. Assembleia de Deus: origem, implantação e militância (1911-1940). São Paulo: Arte Editorial, 2010.

BASTIDE, Roger. Le Sacré Sauvage. Paris: Payout, 1975.

CARVALHO JÚNIOR, Almir Diniz de. Índios Cristãos: poder, magia e religião na Amazônia-Colonial. Curitiba: Editora CRV, 2017.
CRAVALHO, Mark Andrew. An invisible Universe of Evil: supernatural malevolence and personal experience among Amazon peasants. San Diego: University of California (Unpublished master’s thesis), 1993.

CRESWELL, John. Qualitative Inquiry and Research Design. London: Sage, 1998.

DESCOLA, Philippe. Societies of nature and the nature of society. In: KUPER, Adam (ed.). Conceptualizing Society. Londres: Routledge, 1992.

DOUGLAS, Mary. Pureza e Perigo. São Paulo: Perspectiva, 2012.

ELIADE, Mircea. Shamanism: archaic techniques of ecstasy. Princeton: Princeton University Press, 1964.

ELIAS, Norbert. O Processo Civilizador: uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.

FERRARI, Odêmio António. A intersecção religiosa entre o povo Kaingang e o pentecostalismo na terra indígena Guarita: apropriações e ressignificações. Tese (Doutorado em Ciências da Religião). São Paulo: Pontifícia Universidade Católica, 2012.

FRIEDRICH, Neidi Regina. Entre Xales, Cachimbos, Mulheres e Xamãs. Curitiba: Appris Editora, 2016.

GEERTZ, Clifford. The Interpretation of Cultures. New York: Basic Books, 1973.

GOODMAN, Felicitas et al. Trance, Healing, and Hallucination: three field studies in religious experiences. New York: Wiley, 1974.

HILL, Jonathan. Ethnogénesis in the Norhwest Amazon: an emerging regional picture. In: HILL, Jonathan (ed.). History, Power and Identity. Iowa City: University of Iowa Press, 1996, p. 142-160.

INGOLD, Tim. Humanity and Animality. In: INGOLD, Tim (ed.). Companion Encyclopedia of Anthropology: Humanity, Culture and Social Life. London: Routledge, 1994, p. 14-32.

KOPENAWA, Davi & ALBERT, Bruce. A Queda do Céu: palavras de um xamã yanomami. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

LANGDON, E. Jean (ed.). Xamanismo no Brasil: novas perspectivas. Florianópolis: Editora da UFSC, 1996.

LARAIA, Roque de Barros. Tupi: índios do Brasil atual. São Paulo: FFLCH/USP, 1986.

LARAIA, Roque de Barros. As Religiões Indígenas: o caso tupi-guarani. REVISTA USP, nº67, p. 6-13, 2005.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Antropologia Estrutural. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1970.

LIMA, Luiza Mastop. ‘De Fraquinhos’ a Aikewára: construção de identidade e resistência de um povo tupi na Amazônia. Tellus, 15 (29), p. 19-47, 2015.

MAUÉS, Raymundo Heraldo. Uma Outra ‘Invenção’ da Amazônia: religiões, histórias, identidades. Belém: Edições CEJUP, 1999.

MAUÉS, Heraldo. Bailando com o Senhor: técnicas corporais de culto e louvor (o êxtase e o transe como técnicas corporais). Revista de Antropologia, 46 (1), p. 9-40, 2003.

MAUÉS, Raymundo Heraldo; VILLACORTA, Gisela Macambira (eds.). Pajelanças e Religiões Africanas na Amazônia. Belém: EDUFPA, 2008.

MENEZES, Ana & FONTELES FILHO, José. Plantas Medicinais Indígenas: usos-saberes-sentidos. Fortaleza: IPECE, 2011.

MÉTRAUX, Alfred. A Religião dos Tupinambás. São Paulo: Companhia Editora Nacional/Brasiliana, 1979.

NARSIZO, Ana Paula; Santos, Cesar dos; PINHEIRO, Claudemir. Aprendendo sobre a Cultura Kaingang e Guarani. Florianópolis: Epagri, 2017.

OLIVEIRA, Liliane Costa de; RODRIGUES, Donizete. Amazônia, terra de avivamento religioso: o caso do pentecostalismo. NORUS-Novos Rumos Sociológicos, Pelotas, v.10, n.17, p. 112-133, 2022.

PANTOJA, Vanda. Santos e Espírito Santo, ou Católicos e Evangélicos na Amazônia Marajoara. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Belém: Universidade Federal do Pará, 2011.

RIBEIRO, Darcy. O Povo Brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

RODRIGUES, Donizete. O Evangélico Imigrante: o Pentecostalismo Brasileiro Salvando a América. São Paulo: Fonte Editorial, 2016.

RODRIGUES, Donizete. How to Study Religion? Notes on research methodology in the context of Latin American Religions. International Journal of Latin American Religions, v.7, n.1, p. 1-19, 2023.

RODRIGUES, Donizete; MORAES, Manoel Ribeiro de. A Pentecostalização de Povos Tradicionais na Amazônia: aspectos conceituais para uma Antropologia de identidades religiosas. Revista Horizonte, Belo Horizonte, v. 16, n.50, p. 900-918, 2018.

RODRIGUES, Donizete. Uma etnografia virtual com os Suruí-Aikewara em tempo de pandemia. In. CRIA: Confinaria: etnografias em tempos de pandemia, 05 maio 2020. Disponível em:https://confinaria.hypotheses.org/836. Acesso em: abril de 2023.

TEDLOCK, Bárbara. A Mulher no Corpo de Xamã: o feminino na religião e na medicina. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 2008.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. A Inconstância da alma selvagem e outros ensaios de Antropologia. São Paulo: UBU Editora, 2017.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Os pronomes cosmológicos e o perspectivismo ameríndio. Mana, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 115-144, 1996.

WEBER, Max. The Sociology of Religion. London: Methuen, 1922.

WIIK, Flávio Braune. ‘Somos Índios Crentes’: dialéticas do contato, alteridade e mediação cultural entre os Xokleng (Jê) de Santa Catarina. Tellus, ano 10 (19), p. 11-51, 2010.

WRIGHT, Robin. Transformando os Deuses: Igrejas Evangélicas, Pentecostais e Neopentecostais Entre os Povos Indígenas no Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 2004.