INTERAÇÕES https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: 1,5; margin: 0cm 0cm 0pt;">INTERAÇÕES é um periódico científico editado pelo Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião, do Departamento de Ciências da Religião da PUC Minas, tem por missão a difusão de estudos relativos à área de Ciências da Religião e Teologia e áreas afins aos estudos da religião.<br><strong>e-ISSN 1983-2478</strong></p> Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais pt-BR INTERAÇÕES 1983-2478 <p><a name="pt-direitos"></a>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <ol> <li class="show">1. Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="https://creativecommons.org/licenses/by/3.0/">Licença Creative Commons Attribution</a>que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li class="show">2. Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li class="show">3. Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado (Veja em Inglês <a href="http://opcit.eprints.org/oacitation-biblio.html">O Efeito do Acesso Livre</a>).</li> </ol> EXPEDIENTE https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/30981 Brasil Fernandes de Barros Copyright (c) 2023 Brasil Fernandes de Barros 2023-07-13 2023-07-13 18 2 APRESENTAÇÃO https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/31716 <p>NSA</p> Flávio Senra Copyright (c) 2023 Flávio Senra 2023-10-30 2023-10-30 18 2 e182a01 e182a01 A INTEGRAÇÃO DA DIMENSÃO ESPIRITUAL NO CUIDADO EM SAÚDE FAZ SENTIDO? https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/30916 Mary Rute Gomes Esperandio Carlos Frederico Barboza de Souza Copyright (c) 2023 Carlos Frederico Barboza de Souza, Mary Rute Gomes Esperandio 2023-07-13 2023-07-13 18 2 e182e01 e182e01 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182e01 ESPIRITUALIDADE E QUALIDADE DE VIDA DE CUIDADORAS(ES) DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/29553 <p>Estudos mostram que em situações de estresse e sofrimento, geralmente as pessoas utilizam estratégias de natureza espiritual/religiosa como recurso de enfrentamento. Este estudo objetivou verificar a relação entre espiritualidade/religiosidade e qualidade de vida das(os) cuidadoras(es) de pessoas com deficiência intelectual. Utilizou-se a revisão integrativa de literatura. Foram realizadas buscas na SCIELO, PEPSIC, BDTD, BVS, LILACS, MEDLINE e PUBMED, com recorte temporal entre 2000 e 2019. Foram selecionados 22 estudos para análise. Os achados ressaltam que as crenças culturais, espirituais e/ou religiosas estão entre os principais fatores que interferem na saúde e qualidade de vida desta população. A espiritualidade foi apontada de modo positivo, enquanto a religiosidade apresentou-se de modo ambivalente. Os resultados sugerem a abordagem multidisciplinar para ofertar o cuidado integral neste contexto.</p> Fabiana Torres Xavier Mary Rute Gomes Esperandio Copyright (c) 2023 Fabiana Torres Xavier, Mary Rute Gomes Esperandio 2023-10-20 2023-10-20 18 2 e182d01 e182d01 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182d01 ESPIRITUALIDADE E RELIGIOSIDADE NA SAÚDE DE PACIENTES ONCOLÓGICOS SOB A ÓTICA DAS CIÊNCIAS DAS RELIGIÕES: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/29631 <p>Esta pesquisa teve como objetivo mapear as produções científicas da área de Ciências das Religiões sobre as implicações da espiritualidade e da religiosidade na saúde de pacientes oncológicos. Para critérios de elegibilidade foram consideradas as produções científicas no formato de artigo, de dissertações e de teses, publicadas no período de 01 de janeiro de 2018 a 30 de outubro de 2022 nas revistas A1, A2, B1 e B2 da área de Ciências da Religião e Teologia e no catálogo de teses e dissertações dos programas de pós-graduação em CR da CAPES, escritas em língua portuguesa (Brasil), inglesa, espanhola, alemã, italiana ou francesa e que traziam como temática central a espiritualidade e a religiosidade na saúde de pacientes oncológicos. Dos 1669 estudos encontrados, 9 foram selecionados para leitura na íntegra, resultando em uma amostra final de 8 estudos analisados. Os resultados desta revisão mostraram que a espiritualidade e a religiosidade vivenciadas pelos pacientes oncológicos os auxiliam no enfrentamento da enfermidade, no bem-estar psicológico, na percepção de sentido na existência e na qualidade de vida.</p> Ana Clara de Andrade Patrício Ana Caroline Cabral Cristino Thiago Antonio Avellar de Aquino Copyright (c) 2023 Ana Clara de Andrade Patrício, Ana Caroline Cabral Cristino, Thiago Antonio Avellar de Aquino 2023-10-04 2023-10-04 18 2 e182d02 e182d02 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182d02 INFLUÊNCIA DA CULTURA SOBRE A CIÊNCIA E A PRÁTICA MÉDICA: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/29528 <p>Diversos aspectos da cultura podem impactar a ciência e prática médica, mas muitas vezes esses fatores não recebem a atenção devida. Este artigo aborda diferentes fatores culturais que geraram teorias e práticas discriminatórias da ciência e prática médica em relação a raça e a religiões mediúnicas no Brasil na primeira metade do século XX. Inicialmente, com base em fontes primárias, serão apresentadas as perspectivas dos médicos sobre a questão racial e então são analisados fatores cognitivos (etnocentrismo e preconceitos), socioeconômicos (não considerar a desvantagem econômica) e históricos (urbanização, prestígio da eugenia, construção do país) que influenciaram negativamente suas posturas. Posteriormente, também com base nas fontes primárias, apresentamos e analisamos o discurso médico sobre a loucura espírita, onde as vivências mediúnicas são entendidas como sintomas ou causas importantes de doenças mentais graves. A seguir, são analisados aspectos religiosos (catolicismo), filosóficos (materialismo e visão de ciência) que influenciaram esse discurso. Conclui-se pela necessidade de se atentar para a influência de fatores culturais nos discursos e práticas de diversas áreas da ciência, bem como no cuidado aos limites das áreas de abrangência de cada disciplina científica.</p> Angelica Aparecida Silva de Almeida Alexander Moreira Almeida Copyright (c) 2023 Angelica Aparecida Silva de Almeida, Alexander Moreira-Almeida 2023-10-22 2023-10-22 18 2 e182d03 e182d03 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182d03 DEMANDAS E DIFICULDADES RELACIONADAS À DIMENSÃO DA RELIGIOSIDADE/ESPIRITUALIDADE NO CUIDADO EM ENFERMAGEM ONCOLÓGICA https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/29435 <p>O estudo visa investigar as demandas, a assistência e as dificuldades relacionadas à religiosidade/espiritualidade (R/E) no cuidado em enfermagem oncológica. Foram entrevistados, presencialmente, 12 enfermeiros do setor de oncologia clínica e cirúrgica de um hospital geral do interior do Estado de São Paulo, Brasil. As entrevistas foram transcritas na integra e o <em>corpus</em> foi submetido à análise de conteúdo e posteriormente interpretado pela literatura da área. Os enfermeiros reconhecem as demandas religiosas dos pacientes. A assistência prestada envolve palavras de conforto, oração e se colocar disponível ao paciente, além da oferta do grupo de apoio espiritual da própria instituição. Também, relatam dificuldades com pacientes que possuem restrições religiosas para determinados cuidados. Os participantes recomendam a abordagem da R/E na graduação. Não foram encontradas especificidades em relação ao manejo da R/E no contexto do cuidado oncológico, favorecendo a interpretação de que essa dimensão pode estar integrada institucionalmente, o que não exclui a necessidade de investimento constante em formação e aprimoramento para um cuidado que inclua esse vértice.&nbsp;</p> Amanda Amaral de Almeida Vivian Fukumasu da Cunha Fabio Scorsolini-Comin Copyright (c) 2023 Amanda Amaral de Almeida, Vivian Fukumasu da Cunha, Fabio Scorsolini-Comin 2023-10-09 2023-10-09 18 2 e182d04 e182d04 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182d04 SAÚDE, SIMBOLISMO E FÉ: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/29463 <p>A pandemia da COVID-19 trouxe profundas marcas à população brasileira. Ante essa realidade, estudiosos das mais diversas áreas buscam compreender como a sociedade foi afetada com a circulação do novo coronavírus. Apesar de no início ter sido ventilada a possibilidade de um impacto quase nulo no Brasil, ideia ancorada em uma possível dificuldade do coronavírus em se propagar em clima tropical, a realidade se mostrou diferente, uma vez que, no final do mês de fevereiro de 2020 o vírus foi detectado no país e a partir de então, diversos danos foram causados pelo mesmo. O presente artigo tem por objetivo analisar como a pandemia da COVID-19 modificou a base do culto pentecostal brasileiro, em especial, como os elementos estruturais desse rito precisaram ser repensados para que as igrejas conseguissem se adaptar às novas realidades da sociedade frente aos iminentes desafios de saúde pública. Dessa forma, buscou-se investigar os elementos simbólicos da liturgia pentecostal, sob a perspectiva de Bourdieu. Por fim, foi possível compreender que o pentecostalismo enquanto segmento religioso valoriza a interação do fiel com o sagrado, o que pode facilitar a adaptação dessa doutrina nas mais adversas situações.</p> Paulo Jonas dos Santos Júnior Copyright (c) 2023 Paulo Jonas dos Santos Júnior 2023-08-16 2023-08-16 18 2 e182d05 e182d05 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182d05 REFLEXÕES SOCIOCULTURAIS E FENOMENOLÓGICAS SOBRE O CORPO: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/29792 <p>O objetivo deste artigo é refletir sobre os aspectos socioculturais e fenomenológicos do corpo. No campo sociocultural, há uma eleição de um tipo de corpo: magro, malhado e jovem. Esse corpo se torna objeto de consumo da sociedade. É um tipo de corpo patrocinado pela indústria da beleza, pela mídia, pela moda e pela sociedade de consumo. O aspecto fenomenológico trata do modo como o corpo se apresenta e se manifesta objetiva e subjetivamente. O corpo é manifestação da dimensão mundana, temporal, mortal, sexuada, pessoal, social, histórica e expressão da subjetividade do ser humano. A metodologia é bibliográfica e busca manter um diálogo com autores que refletem sobre os aspectos socioculturais e fenomenológicos do corpo. O percurso metodológico consiste, primeiramente, na apresentação dos aspectos socioculturais e depois dos fenomenológicos do corpo. As considerações finais mostram que aspecto sociocultural concentrou-se no aspecto visível e objetivo do corpo e a dimensão fenomenológica no seu aspecto subjetivo e humano. É preciso ter uma visão integrada sobre os dois aspectos.</p> Renato Alves de Oliveira Copyright (c) 2023 Renato Alves de Oliveira 2023-07-14 2023-07-14 18 2 e182d06 e182d06 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182d06 ESPIRITUALIDADE E SAÚDE MENTAL EM PACIENTES NO PÓS-CIRÚRGICO ONCOLÓGICO EM HOSPITAL DO NORDESTE BRASILEIRO https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/29096 <p>A ciência demostra que pessoas religiosas se adaptam melhor ao estresse e apresentam melhor saúde mental. Ademais, ao relacionar com o câncer, o coping religioso/espiritual pode ajudar no enfrentamento em relação a aspectos relacionados a dor e transtornos mentais associados. Logo, o presente estudo avaliou a associação entre espiritualidade e coping religioso/espiritual com a saúde mental em pacientes no pós-cirúrgico oncológico em hospital de referência em Recife-PE. Estudo exploratório, transversal e quantitativo. Foi utilizado: Um questionário sociodemográfico autoral, a Escala CRE- Breve Adaptada, a Escala Hospitalar de Ansiedade e Depressão e a Escala de Autoclassificação de Espiritualidade (SSRS). Estudo aprovado pelo CEP IMIP através do parecer 4.556.349. Na amostra de 35 pacientes, a idade média dos participantes foi 58.5 anos sendo a maioria do sexo feminino, da região de Recife, casada e da religião católica/protestante.&nbsp; Foram identificados sintomas de ansiedade em 28.57% e de depressão em 11.43%. A associação espiritualidade com saúde mental identificou 21 pacientes com alta espiritualidade e baixa probabilidade para sintomas relacionados a ansiedade e 26 com alta espiritualidade e baixa probabilidade para sintomas relacionados a depressão. Sendo assim, o presente estudo aponta para a importância dos fatores de religiosidade e espiritualidade no contexto da saúde mental dos pacientes no pós-cirúrgico oncológico, sendo necessários, estudos de seguimento para uma avaliação mais precisa.</p> Kimberlly Groeschel Amanda Gabriella de Sales Machado Arturo de Padua Walfrido Jordan Leopoldo Nelson Fernandes Barbosa Copyright (c) 2023 Kimberlly Groeschel, Amanda Gabriella de Sales Machado, Arturo de Padua Walfrido Jordan, Leopoldo Nelson Fernandes Barbosa 2023-10-22 2023-10-22 18 2 e182d07 e182d07 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182d07 NOÇÕES DE ESPIRITUALIDADE E RELIOSIDADE PARA ESTUDANTES DE PSICOLOGIA: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/29570 <p>Este trabalho buscou descrever como estudantes de psicologia compreendem o conceito de espiritualidade e outros, como religião, religiosidade e <em>coping</em> religioso/espiritual, após contato com literatura da área. Em uma análise fenomenológica de seus relatos, a investigação mostrou que a espiritualidade surge, em primeiro lugar, em sua amplitude como tema, revelado diante do silêncio que o cerca na graduação. O contato com estudos mostrou-se importante para ampliar a percepção dos estudantes, capacitando-os a distinguir o uso dos termos analisados, mas não se identifica clareza acerca de suas definições, o que reflete a falta de consenso sobre usos e significados das nomenclaturas neste campo. Nota-se a forte presença de um reconhecimento tanto da relevância quanto da ausência do tema na graduação e de sua presença inalienável na vida da população. Conclui-se que a compreensão de como se dá a interlocução dos acadêmicos com estudos no campo da Espiritualidade e Saúde é um componente relevante para estabelecer uma comunicação mais clara e efetiva, que contribua devidamente para suprir a carência de formação nesta área.</p> Adriana Patrícia Egg-Serra Adriano Furtado Holanda Copyright (c) 2023 Adriana Patrícia Egg-Serra, Adriano Furtado Holanda 2023-10-04 2023-10-04 18 2 e182d08 e182d08 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182d08 CRISES DE UM BRASIL LAICO, CRISES DO ENSINO RELIGIOSO https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/29450 <p>Neste artigo, procuramos contribuir com as reflexões sobre a polêmica existência do Ensino Religioso (ER) em um Brasil laico e envolto historicamente em diversas crises sociais, políticas e econômicas. Por meio de um estudo bibliográfico, problematizamos o ER na escola pública, dialogando com as discussões trazidas pelas proposições legislativas, educacional e científica, abordando brevemente o contexto da pandemia que atinge o país desde 2020, agravada pelas decisões políticas do governo brasileiro no período. Nesses anos pandêmicos observamos as dificuldades enfrentadas pela educação em geral, uma vez que a necessidade do ensino remoto e virtual promoveu novos contornos às relações de ensino-aprendizagem. Em relação ao ER, o novo normal permitirá ainda que algumas reflexões acerca da religião, das religiosidades e da espiritualidade sejam atualizadas, uma vez que, em contextos de crise, há um maior apelo às religiões e experiências religiosas podem ser aprimoradas. Na literatura, as propostas recentes para o ER abordaram não só questões sobre legitimidade, legislação, e o confronto com a laicização no ambiente educacional, mas procuram recuperar também o âmbito emocional e afetivo da religião que, em contextos graves como o da recente pandemia, poderá – e deverá – ser abordado em sala de aula.</p> Luzinete Nass Copyright (c) 2023 Luzinete Nass 2023-10-09 2023-10-09 18 2 e182t01 e182t01 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182t01 TEM FOLIAS DE REIS NOS TERREIROS DE UMBANDA DO RIO DE JANEIRO: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/30236 <p>As Folias dos Santos Reis, assim como outras devoções oriundas do catolicismo medieval, que adentraram no Brasil e passaram a compor o repertório sagrado, imposto aos povos originários e, mais tarde, aos negros africanos acometidos pela diáspora para aqui serem escravizados, ganharam contornos próprios pelo povo que se&nbsp; formava. Dessa forma, buscamos compreender como um auto devocional que foi entronizado pelo catolicismo popular, ainda na Colônia, se aproxima das religiões afro-brasileiras, principalmente da umbanda, sem negar o mito que a gerou. Um conjunto de fatores, como a deslegitimação pela religião que entronizou a devoção, a chancela de um catolicismo popular que reinventou as práticas devocionais e a saída do campo para as cidades, aproximou esses devotos dos Santos Reis aos cultos da umbanda.</p> Zuleica Dantas Pereira Campos Verônica Inaciola Costa Farias da Cruz Copyright (c) 2023 Zuleica Dantas Pereira Campos, Verônica Inaciola Costa Farias da Cruz 2023-10-30 2023-10-30 18 2 e182t02 e182t02 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182t02 IMAGENS DA SABEDORIA EM PROVÉRBIOS 8 https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/28569 <p>O presente artigo apresenta um estudo de aproximação entre as imagens egípcias e israelitas da <br>sabedoria em Pr 8. A pesquisa é organizada em três partes: a primeira tem como enfoque o estudo <br>das imagens da sabedoria egípcia; a segunda destaca as imagens da sabedoria israelita; a terceira <br>parte, por sua vez, consiste de um estudo sobre a personificação da sabedoria. O objetivo é explorar <br>possíveis aproximações entre as imagens da sabedoria egípcia e israelita, a fim de descobrir se a <br>sabedoria de Pr 8 adota também a imagem de algum ser divino. Metodologicamente a pesquisa <br>recorre à descrição, identificação e comparação de imagens e conceitos. Ela também procura <br>mostrar quais facetas, em Pr 8, são semelhantes e quais são diferentes da sabedoria egípcia.</p> José Jacinto de Ribamar Mendes Filho Nelson Kilpp Copyright (c) 2023 José Jacinto de Ribamar Mendes Filho, Nelson Kilpp 2023-10-22 2023-10-22 18 2 e182t02 e182t02 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182t02 ENFERMIDADE E VIVÊNCIA DA ESPIRITUALIDADE: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/30385 <p>As pesquisas em espiritualidade e saúde têm se mostrado de grande valia para o entendimento de como se dá essa relação e sobre como ela pode fazer parte do cotidiano das equipes multidisciplinares na área da saúde e de seus pacientes. Nesse contexto, surgem questionamentos se é possível o cultivo da espiritualidade em pacientes que se denominam sem-religião, espiritualidade pela óptica do epistemólogo Marià Corbí: Qualidade Humana e Qualidade Humana Profunda. O presente trabalho tem por objetivo apresentar um estudo de caso sobre a vivência da espiritualidade de uma paciente em cuidados paliativos. Trazemos para esta comunicação uma análise qualitativa preliminar, a partir da Epistemologia Axiológica de Marià Corbí, considerando as informações coletadas em entrevista individual. Um ponto relevante é a busca da paciente por estudos desenvolvidos com foco em câncer pulmonar - CPNPC ALK-positivo, sítio primário da paciente. Este trabalho reafirma a necessidade da busca de estudos empíricos para nos embasar de conhecimentos sobre espiritualidade, evidenciando a necessidade de capacitação de toda equipe multidisciplinar em relação à fundamentação teórica e prática para a tomada de decisão frente à complexidade da área.</p> Fabiana de Faria Copyright (c) 2023 Fabiana de Faria 2023-10-20 2023-10-20 18 2 e182c01 e182c01 PARA UMA LEITURA NÃO MÍTICA DAS NARRATIVAS MÍTICO-SIMBÓLICAS: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/30144 <p>Esta comunicação é parte da pesquisa de doutoramento da proponente e apresenta a perspectiva da disciplina da epistemologia axiológica de Marià Corbí sobre o papel das narrativas míticas-simbólicas originadas nas tradições religiosas das sociedades pré-industriais. Da premissa de que o sistema mítico-simbólico é uma modelação da realidade, indaga-se como estão estruturadas essas narrativas e qual relação estabelecem com a programação do modo de vida dos grupos humanos à luz da disciplina corbiana, construindo um percurso de resposta em três pontos. O primeiro ponto é o fundamento antropológico dual a partir da compreensão de que o ser humano é um animal linguístico. O segundo ponto é relativo à apresentação, segundo a disciplina corbiana, de que os mitos e os símbolos funcionam como estruturas de programação coletiva que configuram o pensamento, o sentimento, a atuação e a organização dos povos. As mitologias para Marià Corbí são a expressão das atividades centrais para a sobrevivência das comunidades humanas e engendram histórias que sustentam costumes e hábitos do grupo social. Por fim, destaca-se que se os mitos funcionavam como programadores, ao deixar de configurar a vida social, podem ser lidos a partir de uma perspectiva não mítica.</p> Milene Costa Copyright (c) 2023 Milene Costa 2023-08-17 2023-08-17 18 2 e182c02 e182c02 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182c02 INDAGAÇÃO AXIOLÓGICA: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/30143 <p>&nbsp;</p> <p>Nos tempos atuais se abriram muitos questionamentos a respeito das certezas e das verdades. Onde está a verdade? Com quem está a garantia das certezas? Verdades e certezas são buscas axiológicas, reações frente ao emaranhado de dúvidas que cercam a existência humana diante da realidade. Jesus, o mestre da indagação, questionou em diversos encontros e desencontros, as certezas e as verdades estabelecidas nos sistemas religiosos do seu tempo. É possível que uma indagação se torne axiológica? Nesta apresentação, a partir da leitura do Evangelho de João 1,5-9, busca-se esta resposta à luz dos estudos de Marià Corbí, a disciplina de epistemologia axiológica. Apresentam-se três passos elementares da disciplina corbiana para compreender a indagação axiológica de Jesus ao paralítico, que estava condicionado à estrutura interior das certezas e verdades que carregava. O primeiro passo é apresentar a indagação livre, pois os sistemas humanos enclausuram a consciência da liberdade; o segundo movimento é despertar a indagação própria da realidade; e, o terceiro é conhecer a indagação a respeito do destino, sobre o qual se questiona o que pode ser feito para mudar o estado que condiciona, limita e, ao mesmo tempo, adormece as possibilidades. Busca-se encontrar alternativas que possam auxiliar as novas sociedades no cultivo da qualidade humana.</p> Milene Costa Copyright (c) 2023 Milene Costa 2023-08-17 2023-08-17 18 2 e182c03 e182c03 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182c03 DELIMITAÇÃO SEMÂNTICA DE CONSCIÊNCIA EM TEXTOS DE ALLAN KARDEC: https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/31064 <p>No presente trabalho, apresenta-se uma reflexão introdutória sobre como um material discursivo do Espiritismo descreve o fenômeno da consciência. Para tanto, toma-se como base alguns contextos enunciativos de textos espíritas que refletem sobre a referida temática, a saber: dois livros do francês Allan Kardec, <em>O Livro dos Espíritos</em> e <em>O Evangelho segundo o Espiritismo</em>, considerados pelos espíritas como obras básicas do Espiritismo. No intuito de refletir sobre uma possível delimitação semântica de “consciência” a partir desses textos, este estudo visa clarear, por meio de revisão&nbsp; bibliográfica, como as ideias espíritas de “acesso à lei de Deus”, de “autoconhecimento” e de “consciência de si”, oferecem, em nível discursivo, elementos que orientam o entendimento de “consciência” nessa religião, a qual, em estudos futuros no&nbsp; campo das Ciências da Religião, pode ser comparada às concepções de “consciência” de outras tradições religiosas</p> Luciana Cangussu Prates Copyright (c) 2023 Luciana Cangussu Prates 2023-08-17 2023-08-17 18 2 e182c04 e182c04 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182c04 RESENHA CRÍTICA DO LIVRO “CIÊNCIA DA VIDA APÓS A MORTE” https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/31155 <p>Resenha crítica do livro:</p> <p>MOREIRA ALMEIDA, Alexander; COSTA, Marianna Abreu; COELHO, Humberto Schubert. <strong>Ciência após a morte</strong>. Belo Horizonte: Ampla, 2023.</p> Daniel Foschetti Gontijo Natacha Ágata de Queiroz Andrade Costa Gontijo Copyright (c) 2023 Daniel Foschetti Gontijo, Natacha Ágata de Queiroz Andrade Costa Gontijo 2023-10-31 2023-10-31 18 2 e182r01 e182r01 10.5752/P.1983-2478.2023v18n2e182r01 NOMINATA 2023 https://periodicos.pucminas.br/index.php/interacoes/article/view/31668 Flávio Senra Copyright (c) 2023 Flávio Senra 2023-10-22 2023-10-22 18 2 e182n01 e182n01