POLÍTICAS EDUCACIONAIS:

a situação contemporânea da educação de surdos no Brasil

  • Rafael Leandro Götz
  • Alexandra Rangel

Resumo

Este artigo analisa a situação contemporânea da educação de surdos no Brasil, destacando a tendência de priorizar habilidades técnicas em detrimento do desenvolvimento das identidades pessoais nas escolas. Discute questões como a imposição da inclusão de surdos em ambientes regulares, justificada pelo politicamente correto e pela busca de eficiência e levanta questionamentos sobre a verdadeira eficácia dessa e de outras abordagens. O estudo busca compreender os desafios enfrentados pelos surdos nesse contexto, propondo reflexões críticas sobre as políticas educacionais vigentes e sugerindo possíveis caminhos para uma inclusão mais efetiva e respeitosa. Para tanto, consideraram-se principalmente os dispostos na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN/1996), na Base Nacional Comum Curricular (BNCC/2017) e apoiou-se nas reflexões em Skliar (1999), Franco (2000), Menezes; Chiella, (2022). Conclui-se que os documentos educacionais de cunho pedagógico, não somente os legislativos, tendem a promover a educação inclusiva. Porém, há algumas lacunas nesses documentos que evidenciam uma lógica mercadológica e tecnicista em que a educação é apenas um produto para fins capitalistas e uma lógica de uma diversidade seletiva. A escola bilíngue de surdos é uma alternativa para promoção de uma educação na qual os “falantes” se tornam “sujeitos”, estabelecendo, assim, um processo de formação de uma identidade social.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
19-12-2023
Seção
ARTIGOS/ARTICLES