O PSICODIAGNÓSTICO E SUAS CONTRIBUIÇÕES FRENTE À QUEIXA DE AGRESSIVIDADE NA INFÂNCIA

  • Gabriela Mariana Gomes Abijaudi Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Palavras-chave: Agressividade na infância, Psicodiagnóstico, Clínica-escola de Psicologia

Resumo

O presente estudo investigou as contribuições do psicodiagnóstico frente à queixa de agressividade na infância. São cada vez mais constantes os casos de crianças que apresentam comportamentos agressivos nos diferentes ambientes em que convivem. Elas são frequentemente encaminhadas para serviços oferecidos em clínicas-escola de psicologia, dentre eles o psicodiagnóstico, a fim de que sejam pensadas estratégias que auxiliem no enfrentamento da problemática exposta. Diante disso, ressalta-se a relevância em se averiguar como esse tipo de atendimento fornece subsídios que colaborem para a compreensão e o tratamento do fenômeno citado. Para que os objetivos fossem alcançados, realizou-se uma pesquisa quantitativa, em que se consultaram prontuários e laudos psicológicos de crianças submetidas ao psicodiagnóstico em uma clínica-escola de psicologia, entre os anos de 2007 e 2014. As variáveis foram registradas em uma planilha, e os dados foram analisados por meio de estatística descritiva. Os resultados revelaram que o que influenciou o surgimento e a manutenção da agressividade no comportamento de crianças foi o contexto familiar marcado por desorganização, conflitos e/ou violências. Explicitam-se, dentre esses fatores, as agressões físicas entre os genitores, a ausência de limites impostos por eles, as agressões como forma de manejar os comportamentos inadequados da criança e a falta de rotina. Os achados apontaram ainda que, se não fosse o serviço ofertado pelas clínicas-escola, muitas famílias não teriam acesso ao psicodiagnóstico devido à sua situação econômica e, desse modo, também não compreenderiam de forma mais abrangente o que o paciente estava vivendo. Assim, evidencia-se a importância dessa avaliação que, através das técnicas que utiliza, busca o entendimento dos vários problemas manifestados pelas crianças e propõe recursos para que todos os participantes do processo consigam lidar com a queixa relatada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
01-12-2016
Como Citar
ABIJAUDI, G. M. G. O PSICODIAGNÓSTICO E SUAS CONTRIBUIÇÕES FRENTE À QUEIXA DE AGRESSIVIDADE NA INFÂNCIA. Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, v. 1, n. 2, p. 94 - 110, 1 dez. 2016.
Seção
Artigos de temática livre