A arte que anda

  • Antônio Sérgio Moreira
Palavras-chave: Cultura africana, Objetos sagrados, Arte afro-brasileira, Mercado de arte.

Resumo

Odeslocamento de objetos sagrados da cultura africana para o novo mundo serve como início de uma reflexão sobre o mercado de arte africana. O texto faz uma análise da influência desses objetos na arte. E ainda nos questiona sobre a arte produzida por artistas afro-brasileiros (arte afro-brasileira ou negra brasileira? Ou apenas arte brasileira?).

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALEIXO, Ricardo. Oriks. In: PEREIRA, Edimilson de Almeida. A roda do mundo. Belo Horizonte: Mazza Edições, 1996.

ALEIXO, Ricardo. Trívio. Belo Horizonte: Scriptum, 2001.

ALENCAR, Eunice M. L. Soriano de; VIRGOLIM, Angela M. Rodrigues. Criatividade: expressão e desenvolvimento. Petrópolis: Vozes, 1994.

APOLLINAIRE, Guillaume. Les arts à Paris. 1918.

APPIAH, Kwame Anthony. Na casa de meu pai: a África na filosofia da cultura. Trad. Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

ARAÚJO, Emanoel. Negro de corpo e alma. In: AGUILAR, Nelson (Org.). Mostra do descobrimento, negro de corpo e alma/ Black in body and soul. São Paulo: Associação Brasil 500 anos de Artes Visuais, 2000.

ARAÚJO, Olívio Tavares de. Emanoel Araújo: um vulcão rumo ao classicismo. São Paulo: Galeria Nara Roesler, 1996.

BAUDELAIRE, Charles. Obras estéticas: filosofia da imaginação criadora. Petrópolis: Vozes, 1993.

BARALDI, Clemencia. Aprender a aventura de suportar o equívoco. Petrópolis: Vozes, 1994.

BAUMGARTEN, Alexander Gottieb. Estética: a lógica da arte e do poema. Petrópolis: Vozes, 1993.

BEATA DE IEMANJÁ, Mãe. Caroço de dendê: a sabedoria dos terreiros: como Ialorixás e Babalorixás passam seus conhecimentos a seus filhos. Rio de Janeiro: Pallas, 1997.

BEEREN, Wim. Casimir Malévitch: na bienal de São Paulo. São Paulo. Bienal de São Paulo e The State Russian Museum, 1994.

BENISTE, José. Orun Àiyé: o encontro de dois mundos: o sistema de relacionamento nagô-yorubá entre o céu e a terra. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997.

CHRISTOPH, Henning; OBERLÃNDER, Hans. Vodoo: Geheime macht in Afrika. Köln: Tashen, 1995.

GALEMBO, Phyllis. Divine inspiration. Albuquerque: University of New Mexico Press, 1993.

CARNEIRO, Edison. Religiões negras: notas de etnografia religiosa. Negros Bantos: notas de etnografia religiosas e de folclore. Rio de Janeiro, 1991.

FAGG, William. Merveilles de l’art nigérien. Paris: Société Nouvelle des Editions du Chêne, 1963.

FERRETTI, Sérgio F. Querebentã de Zomadônu: etnografia da casa das Minas do Maranhão. São Luís: Edufitia.

FONSECA, Eduardo Jr. Dicionário Yorubá (Nagô/Português). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1988.

FONSECA, Maria Nazareth Soares. Brasil afro-brasileiro. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

FORD, W. Clyde. O herói com rosto africano: mitos da África. Trad. Carlos Mendes Rosa. São Paulo: Selo Negro, 1999.

GOMES, Núbia Pereira de Magalhães; PEREIRA, Edimilson de Almeida. Negras raízes mineiras: os Arturos. Juiz de Fora: Eduf JF/MinC, 1988.

GOLDSCHEIDER, Ludwig. Miguelangelo: paintings, sculptures, architecture. New York: Phaidon, 1962.

GRÖNING, Karl. Geschmückte haut: Eine Kulturgeschite der Körperkunst. München: Frederking und Thaler, 1997.

HEROLD, Erich. African art. Prague: Hamlyn Publishing Group, 1989.

HILL, Marcos. A talha barroca em Évora. Évora: Centro de História da Arte da Universidade de Évora, 1998.

HOOG, Michel. Musée de L’Orangerie: catalogue de la collection Jean Walter et Paul Guillaume. Paris: Réunion des Musées Nationaux, 1990.

KALIL, Mariana. Bijoux made in favela: pulseiras feitas em subúrbio do Rio chegam às vitrines dos EUA e da Europa. In: Revista Época. Rio de Janeiro, 20/12/1999.

MASSI, Augusto. Terra. Folha de S. Paulo (caderno especial sobre “A obra de Sebastião Salgado”), São Paulo, 6/4/1997, p. 1-8.

MESQUITA, Ivo; TEJADA, Roberto. Daniel Senise: la mirada iluminante. The nelightening gaze. Monterrey: Museo de Arte Contenporáneo de Monterrey, AC, 1990.

MOREIRA, Antônio Sérgio. Lendas dos orixás: cartões postais. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

MUNANGA, Kabengele. Estratégias e políticas de combate à discriminação racial. São Paulo: Edusp, 1996.

MUNANGA, Kabengele. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil: identidade nacional versus identidade negra. Petrópolis: Vozes, 1999.

PAREYSON, Luigi. Estética: teoria da formatividade. Petrópolis: Vozes, 1993.

PARRINDER, Geoffrey. África. Trad. Raul de Sousa Machado. Lisboa/São Paulo: Editorial Verbo, 1987.

PEREIRA, Edimilson de Almeida Gomes; MAGALHÃES, Núbia Pereira de. Ardis da imagem: exclusão e violência nos discursos da cultura brasileira. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2001.

PORTUGAL, Fernandes. Yorubá: a língua dos orixás. Rio de Janeiro: Pallas, 1998.

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos orixás. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

OGBEBARA, Awofa. Igbadu: a cabaça da existência: mitos nagôs revelados. Rio de Janeiro: Pallas, 1998.

RIBEIRO, Ronilda Iyakemi. Alma africana no Brasil. Os iorubás. São Paulo: Oduduwa, 1996.

RISÉRIO, Antônio. Oriki orixá. São Paulo: Perspectiva, 1996.

RODRIGUES, Eustáquio. A criança e seus direitos: declaração dos direitos da criança. Belo Horizonte: Compor, 1998, 20 nov. 1959.

ROSE, Barbara. American painting: twentieth century. Geneva: Rizzoli, 1986.

RUBIN, William. Louise Borgeois. New York: The Museum of Modern Art, 1982.

SANTAELLA, Lucia; NÖTH, Winfried. Imagem, cognição, semiótica, mídia. São Paulo: Iluminuras, 1997.

SANTOS, Juana Elblein. Os nagôs e a morte: padê, asésé e o culto de Egun na Bahia. Petrópolis: Vozes, 1976.

SANTOS, Deoscóredes M. dos (Mestre Didi). Porque Oxalá usa ekodidé. Rio de Janeiro: Pallas, 1997.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. Questão racial no Brasil. In: SCHWARCZ, Lilia Moritz; SOUZA REIS, Leticia Vidor de (Org.). Negras imagens: ensaios sobre cultura e escravidão no Brasil. São Paulo: Edusp, 1996. p. 11-29.

SCHWABACHER, Ethel K. Arshile Gorky. New York: Whitney Museum of American Art, 1957.

SHNEIDEIR, Pierre. Matisse. New York: Pizzoli, 1984.

STEMPEL, Karin. No limite da forma (über die grenze von form). Düsseldorf: Heraugeber, 1997.

VERGER, Pierre Fatumbi. Dieux d’Afrique. Paris: Revue Noire [1954], 1995.

VERGER, Pierre Fatumbi. Orixás. São Paulo: Corrupio, 1987.

ZANINI, Walter; LEITE, Rui Moreira. Flávio de Carvalho: 17ª Bienal de São Paulo. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo, 1983.

Publicado
15-10-2003
Como Citar
Moreira, A. S. (2003). A arte que anda. Scripta, 7(13), 252-262. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12518
Seção
Dossiê: Literaturas africanas de língua portuguesa