Dizer “eu” em África – poesia e subjetividade

  • Mário César Lugarinho
Palavras-chave: Lirismo africano, Manifestações poéticas, Novo lirismo.

Resumo

Este artigo propõe uma reflexão acerca das recentes manifestações poéticas africanas em língua portuguesa e a emergência de um lirismo inédito.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMADA, José Luís Hopffer (Org.). Mirabilis de veias ao sol: antologia dos novíssimos poetas cabo-verdianos. Praia: Instituto Cabo-verdiano do Livro/Caminho, 1991.

COUTO, Mia. Raiz de orvalho e outros poemas. Lisboa: Caminho, 1999.

KNOPFLI, Rui. O monhé das cobras. Lisboa: Caminho, 1997.

MELO, João. Tanto amor. Porto: Asa, 1989.

PADILHA, Laura. Paula Tavares e a semeadura das palavras. In: SEPÚLVEDA, Maria do Carmo; SALGADO, Tereza (Org.). África & Brasil: letras em laços. Rio de Janeiro: Atlântica, 2000. p. 287-302.

SOARES, Francisco (Org.). Antologia da nova poesia angolana (1985-2000). Lisboa: INCM, 2001.

SOARES, Francisco. Notícia da literatura angolana. Lisboa: INCM, 2001.

TAVARES, Paula. O lago da lua. Lisboa: Caminho, 1999.

TAVARES, Paula. Ritos de passagem: poema. Luanda: Lito-Tipo, 1985.

Publicado
15-10-2003
Como Citar
Lugarinho, M. C. (2003). Dizer “eu” em África – poesia e subjetividade. Scripta, 7(13), 314-319. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12529
Seção
Dossiê: Literaturas africanas de língua portuguesa