Violência colonial: uma leitura de dois

  • Susanna Ramos Ventura
Palavras-chave: Revitalização de leitura, Releitura teórica, Análise literária.

Resumo

Opresente trabalho propõe realizar uma leitura de dois contos do escritor angolano José Luandino Vieira (“O fato completo de Lucas Matesso” e “À sexta-feira”), iluminados por leituras consideradas clássicas no final da década de 1960: Frantz Fanon, Jean Paul Sartre, Albert Memmi. Posteriormente esquecidas, ou mesmo consideradas ultrapassadas, propomos, pela releitura da teoria, a verificação da atualidade e validade de colocações que foram produzidas num momento histórico de efervescência – quando as lutas de libertação das colônias africanas estavam em marcha – para a realização, hoje, de uma análise literária.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CHAVES, Rita. A formação do romance angolano. São Paulo: Universidade de São Paulo, Coleção Via Atlântica, n. 1, 1999.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968.

MEMMI, Albert. Retrato do colonizado precedido pelo retrato do colonizador. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

SARTRE, Jean Paul. Prefácio. In: Os condenados da terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1968, p. 1-21.

SARTRE, Jean Paul. Orfeu negro. In: Reflexões sobre o racismo. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1960.

VIEIRA, José Luandino. Vidas novas. Luanda: União dos Escritores Angolanos, 1985.

Publicado
15-10-2003
Como Citar
Ventura, S. R. (2003). Violência colonial: uma leitura de dois. Scripta, 7(13), 328-340. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/12531
Seção
Dossiê: Literaturas africanas de língua portuguesa