“Ser professor é...” Representações do fazer docente

  • Anneliese Maria Bento Gama de Carvalho
Palavras-chave: Fazer-docente, Representação, Agir, Interação.

Resumo

Neste artigo, apresento, de forma consolidada, os resultados principais de minha pesquisa de doutorado, em que analisei o agir de dois sujeitos professores do ensino fundamental em situações interativas de “aula” e “entrevista” (semidiretiva), investigando como o sujeito se constrói “professor”, agindo no gênero “aula” e falando sobre o seu agir no gênero “entrevista”. O quadro teórico-metodológico da pesquisa envolveu: Teoria da Atividade; Interacionismo Sociodiscursivo; Teoria das Representações Sociais; Linguística de Textos; Estudos sobre referenciação e enunciação e Análise do discurso. O corpus foi constituído por aulas e entrevistas gravadas com duas professoras dos primeiros anos do ensino fundamental, em Portugal e no Brasil. Os resultados revelaram uma maior congruência de regularidades entre as representações sociais dos sujeitos professores observados nas situações interativas “aula”, apontando esse gênero de atividade como importante expediente para o estudo e investigação do fazer docente.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRIC, Jean-Claude. Pratiques sociales et Représentations. Paris: Presses Universitaires de France, 1994.

ABRIC, Jean-Claude. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, Antonia Silva Parede; OLIVEIRA, Denize Cristina de (Org.). Estudos interdisciplinares de representação social. Tradução de Pedro Humberto Faria Campos. Goiânia: AB, 2000. p. 29-32.

BRONCKART, Jean-Paul. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. São Paulo: EDUC, 1999.

BRONCKART, Jean-Paul. O agir nos discursos: das concepções teóricas às concepções dos trabalhadores. Tradução de Ana Rachel Machado e Maria de Lourdes Meirelles Matencio. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2008.

CARVALHO, Anneliese Maria Bento Gama de. SER PROFESSOR É...

Representações do fazer docente (des/re)veladas no discurso e na ação do professor. 2010. 291 f. Tese (Doutorado em Letras) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

CHARAUDEAU, Patrick. Análise do discurso: controvérsias e perspectivas. In: MARI, Hugo et al. (Org.). Fundamentos e dimensões da análise do discurso. Belo Horizonte: NAD/FALE-UFMG, 1999. p. 27-43.

ERICKSON, F. Novas tendências da pesquisa etnográfica na educação. In: CONFERÊNCIA NA FACULDADE DE EDUCAÇÃO DA USP, 1993, São Paulo.

CORACINI, Maria José. Língua estrangeira e língua materna: uma questão de sujeito e identidade. In: CORACINI, Maria José (Org.). Identidade & discurso: (des)construindo subjetividades. Campinas, SP: Editora da UNICAMP; Chapecó: Argos, 2003. p. 139-159.

FILLIETTAZ, Laurent. As contribuições de uma abordagem praxeológica do discurso para análise do trabalho do professor: o enquadramento das atividades em aula. In: MACHADO, Anna Rachel (Org.). O ensino como trabalho: uma abordagem discursiva. Londrina: Eduel, 2004. p. 199-236.

GOFFMAN, Erving. Representação do eu na vida cotidiana. Tradução de Maria Célia Santos Raposo. 14. Petrópolis, RJ: Vozes, 2007.

HABERMAS, Jürgen. Logique des sciences sociales et autres essais. Paris: PUF, 1987.

JODELET, Denise. Représentations sociales: un domaine en expansion. In: JODELET, Denise (Org.). Les Représentations Sociales. Paris: Presses Universitaires de France, 1989. p. 31-61.

MATENCIO, Maria de Lourdes Meirelles. Produção de sentidos e construção de saberes na interação em sala de aula. In: KLEIMAN, Angela Bustos; OLIVEIRA, Maria do Socorro (Org.). Letramentos múltiplos: agentes, práticas, representações. Natal: EDUFRN, 2008. p. 183-193.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. Tradução de Pedrinho A. Guareschi. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

PY, Bernard. Représentations sociales et discours. Questions épistémologiques et méthodologiques. In: PY, Bernard (Org.) Travaux neuchâtelois de linguistique, 32. Neuchâtel: Université de Neuchâtel, 2000. p. 5-20.

SILVA, Jane Quintiliano Guimarães; MATENCIO, Maria de Lourdes Meirelles. Referência pessoal e jogo interlocutivo: efeitos identitários. In: MATENCIO, Maria de Lourdes Meirelles; KLEIMAN, Angela Bustos (Org.). Letramento e formação do professor: práticas discursivas, representações e construção do saber. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2005. p. 245-266.

SPRADLEY, James P. Participant observation. New York: Holt, Rinehart and Winston, 1980.

VYGOTSKY, Lev S. A formação social da mente. Tradução de J. Cipollanteo et al. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

Publicado
18-07-2011
Como Citar
Maria Bento Gama de Carvalho, A. (2011). “Ser professor é.” Representações do fazer docente. Scripta, 15(28), 245-266. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4318
Seção
Dossiê: Linguagem e discurso em práticas formativas e profissionais