Uma análise cognitiva do valor contrassequencial do Pretérito Perfeito do Indicativo

  • Adriana Maria Tenuta
  • Lafaiete Moreira
  • Marcus Lepesqueur
Palavras-chave: Valores verbais não canônicos, Pretérito Perfeito do Indicativo, Valor contrassequencial, Espaços mentais, Cognição.

Resumo

Este artigo traz análises do valor contrassequencial do Pretérito Perfeito do Indicativo encontrado em textos orais, representantes do português em uso no Brasil. Esse valor verbal foi analisado através de diagramação condizente com o Modelo dos Espaços Mentais da Linguística Cognitiva. Devido ao fato de, no âmbito desse quadro teórico, as expressões linguísticas revelarem aspectos da cognição humana, investigou-se uma motivação de caráter cognitivo para a ocorrência do referido valor verbal. Considerou-se, ainda, que a construção adequada de significados verbais requer a observação do contexto linguístico e/ou extralinguístico dos enunciados.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

CAMPOS, O. G. L. A. S; RODRIGUES, A. C. S.; GALEMBECK, P. T. A flexão modo-temporal no português culto do Brasil: formas de pretérito perfeito e imperfeito do indicativo. In: CASTRO, A. T.; BASÍLIO, M. (Org.) Gramática do português falado. Volume IV: Estudos descritivos. 2. ed. revista. Campinas: Editora Unicamp, 2002. p. 31-72.

CIENKI, A. Frames. Idealized cognitive models and domains. In: GEERAERTS, D.; CUYCKENS, H. (Ed.). The Oxford handbook of cognitive linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2007.

COSCARELLI, C. V. Entrevista: Uma conversa com Gilles Fauconnier. Revista brasileira de linguística aplicada, Belo Horizonte, v. 5, n. 2, p. 291-303, 2006.

CUNHA, C. Gramática do português contemporâneo. Belo Horizonte: Bernardo Alves, 1971.

CUNHA, C.; CINTRA, L. Nova gramática do português contemporâneo. 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

CUTRER, M. Time and tense in narrative and in everyday language. Tese (Doutorado em Ciência Cognitiva e Linguística). San Diego: UCSD, 1994.

FAUCONNIER, G. Mental spaces: aspects of meaning construction in natural language. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

FAUCONNIER, G. Mappings in thought and language. Cambridge: Cambridge University Press, 1997.

FAUCONNIER, G. Mental spaces. In: GEERAERTS, D.; CUYCKENS, H. (Ed.). The Oxford handbook of cognitive linguistics. Oxford: Oxford University Press, 2007.

LANGACKER, R. W. Foundations of cognitive grammar. Vol. I: Theoretical pre-requisites. Stanford: Stanford University Press, 1987.

LANGACKER, R. W. Foundations of cognitive grammar. Vol. II: Descriptive application. Stanford: Stanford University Press, 1991.

LANGACKER, R. W. Viewing and experiential reporting in cognitive grammar. In: DA SILVA, A. S. Linguagem e cognição: a perspectiva da linguística cognitiva. Braga: Associação Portuguesa de Linguística e Universidade Católica Portuguesa, Faculdade de Filosofia de Braga, 2001. p. 19-49.

LUFT, C. P. Moderna gramática brasileira. 8. ed. Rio de Janeiro: Globo, 1987.

MATTA, B. A. Ressonâncias léxico-estruturais no discurso conversacional em Português. Dissertação (Mestrado em Linguística). Belo Horizonte: UFMG, 2005.

NEVES, M. H. M. Gramática de usos do português. São Paulo: Unesp, 2000.

NICOLA, J.; INFANTE, U. Gramática contemporânea da língua portuguesa. São Paulo: Scipione, 1997.

ROCHA LIMA, C. H. Gramática normativa da língua portuguesa. 43. ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 2003.

RODRIGUES, A. C. S.; CAMPOS, O. G. L. A. S; GALEMBECK, P. T.;

TRAVAGLIA, L. C. Formas do pretérito perfeito e imperfeito do indicativo no plano textual-discursivo. In: KOCH, I. G.V. (Org.) Gramática do português falado. Volume VI: Desenvolvimentos. 2. ed. revista. Campinas: Editora Unicamp, 2002. p. 417-460.

TENUTA, A. M. Estrutura narrativa e espaços mentais. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, 2006.

TENUTA, A. M.; MOREIRA, L.; LEPESQUEUR, M. Valores expressos pelo tempo verbal presente do indicativo: uma análise de caráter cognitivo. In: FONSECA, M. E.; MARINHO, J. H. C. (Org.) Estudos da língua em uso: da gramática ao texto. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2010.

TURNER, M. The literary mind. Oxford: Oxford University Press, 1996.

Publicado
27-07-2010
Como Citar
Maria Tenuta, A., Moreira, L., & Lepesqueur, M. (2010). Uma análise cognitiva do valor contrassequencial do Pretérito Perfeito do Indicativo. Scripta, 14(26), 107-120. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4353
Seção
Dossiê: Cognição humana