Gêneros do discurso e gramática no ensino de língua materna

  • Norma Seltzer Goldstein
Palavras-chave: Gêneros e ensino de gramática, Recursos gramaticais e efeitos de sentido, Formas verbais e gêneros do discurso.

Resumo

Quando o processo escolar de ensino de língua materna baseia-se no trabalho com os gêneros do discurso – levando em conta as condições de produção –, além da leitura e da escrita, também a gramática tem muito a ganhar. A escolha do que se vai dizer, para quem, com qual finalidade, passa pelo questionamento sobre “como fazê-lo”. Resulta daí a busca de recursos gramaticais a serem empregados em função das intenções do enunciador e dos efeitos de sentido que ele deseja produzir no texto. Dessa forma, o ensino da gramática resulta operacional e permite que seja compreendido seu papel na formação de leitores e redatores competentes, levando os alunos a pesquisar e a refletir sobre os usos da língua. Comentam-se aqui algumas atividades desse tipo, inspiradas em aplicações realizadas nos três níveis de ensino – fundamental, médio e superior –, relacionadas ao uso das formas verbais.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ACESSE o site www.eda3m.com.br e veja tudo o que a 3M inventou para sua vida ficar melhor. Veja, 4 de junho de 2008, p. 120.

ACESSE o nosso portal e saiba onde ir, como chegar e onde se hospedar [...] www.saojoaobahia.com.br. Veja, 4 de junho de 2008, p.171.

A.S.Q. O cozinheiro e o doceiro popular. Rio de Janeiro: Editora Quaresma, 1927.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997, p. 277-326.

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. São Paulo: Cia Editora Nacional, 1964.

BILAC, Olavo. Vossa insolência: crônicas. (Org.) Antonio Dimas. São Paulo: Cia das Letras, 1996.

BRAGA, Ana Maria. Receitas do dia-a-dia. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em: <http://www.ancine.gov.br/media/Constituicao_Federal_EC53.pdf>. Acesso em: 30 ago. 2009.

CÂMARA aprova lei que torna a adoção mais rápida. O Estado de São Paulo, São Paulo, 21 de agosto de 2008, p. A1.

CAMARA JÚNIOR., J. M. Espécies de vocábulo. In: CAMARA JÚNIOR., J. M. Princípios de linguística geral. 4. ed. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1973. cap. 10, p.149-161.

COMO fazer uma pipa. Revista Jangada Brasil. Ano I - novembro 1998 - nº 03. Disponível em: . Acesso em: 30 ago. 2009.

CONSTITUIÇÃO 1988: texto constitucional de 5 de outubro de 1988. Brasília: Atual, 1988. Senado Federal, Subsecretaria de Edições Técnicas, 1988.

CUNHA, Celso Ferreira. Gramática da língua portuguesa. Rio de Janeiro: MEC, 1980.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização de Roxane Rojo. Campinas: Mercado de Letras, 2004. PARTICIPE e dê um lance de esperança neste Natal. Estado de Minas, 7 de novembro de 1999, p. 48.

GOLDSTEIN, Ilana S. Notas para reflexão a partir de Macunaíma. Palestra apresentada no SESC. São Paulo, 2004.

KOCH, Ingedore G. Vilaça. Os gêneros do discurso. In: KOCH, Ingedore G. Vilaça. Desvendando os segredos do texto. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2003. cap. 4, p. 53-60.

KOCH, Ingedore G. Vilaça. Os tempos verbais no discurso. In: KOCH, Ingedore G. Vilaça. Argumentação e linguagem. 2. ed São Paulo: Cortez, 1987. cap. 3, p. 37-48.

KOCH, Ingedore G. Vilaça. Tempos verbais. In: KOCH, Ingedore G. Vilaça. A inter-ação pela linguagem. 4. ed. São Paulo: Contexto, 1998. cap. 2, p. 51-57.

LAPA, M. Rodrigues. Estilística da língua portuguesa. 4. ed. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1965.

LISPECTOR, Clarice et al. Para gostar de ler: contos. São Paulo: Ática, 1984. v. 9, p.14-16.

MARTINS, Nilce Sant’anna. Introdução à estilística: expressividade na língua portuguesa. São Paulo: T. A. Queiroz, 1989.

MORDOMIA a bordo. O Estado de São Paulo, São Paulo, 21 de agosto de 2008, p. A1.

MULHERES vão à luta por ouro e mais respeito no futebol. O Estado de São Paulo, São Paulo, 21 de agosto de 2008, p. A1.

PETRY, André. Vai ter para todo mundo? Veja, São Paulo, n. 2062, p.73-74, 29 mai 2008.

QUARESMA, A. S. O cozinheiro e doceiro popular: manual completíssimo da arte de cozinhar e fazer doces. 17. Ed. Rio de Janeiro: Spiker [Borsoi, 1965] STF veta nepotismo nos três poderes. O Estado de São Paulo, São Paulo, 21 de agosto de 2008, p. A1.

UMA lição para o governo. O Estado de São Paulo, São Paulo, 21 de agosto de 2008, p. A1.

VÔLEI feminino perto de final histórica. O Estado de São Paulo, São Paulo, 21 de agosto de 2008, p. A1.

Publicado
27-07-2009
Como Citar
Seltzer Goldstein, N. (2009). Gêneros do discurso e gramática no ensino de língua materna. Scripta, 13(24), 95-110. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/4397
Seção
Dossiê: Ensino-aprendizagem da escrita na formação de profissionais de nível universitário