Cotidiano e anonimato nas cidades: a enunciação peregrina de Rubem Fonseca

Palavras-chave: Literatura, Cotidiano, Cidade, Realismo, Ponto de vista da narrativa

Resumo

Partindo de depoimentos de autores de narrativas de ficção cujas obras ganharam notoriedade na década de 90 do século passado, o artigo consiste numa reflexão sobre a especificidade da literatura urbana de Rubem Fonseca, considerando a estreita relação entre a mobilidade dos pontos de vista e o deslocamento cotidiano dos personagens nas grandes cidades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vera Lucia Follain de Figueiredo, PUC-Rio
Professora Associada do Departamento de Comunicação Social da PUC Rio.

Referências

ANTÔNIO, João. Abraçado ao meu rancor. São Paulo: Cosac & Naify, 2001.

ANTÔNIO, João. Leão-de-chácara. São Paulo: Cosac e Naify, 2002.

ANTÔNIO, João. Malaguetas, perus e bacanaço. São Paulo: Cosacnaify, 2004.

BLANCHOT, Maurice. Conversa Infinita 2: a experiência limite. São Paulo: Escuta, 2007.

BONASSI, Fernando. Entrevista concedida em 2003, a Claudinei Vieira e a Fransueldes de Abreu. Disponível em: <http://www.igler.com.br>. Acesso em: 20 mar. 2004.

FONSECA, Rubem. O caso Morel. Rio de Janeiro: Artenova, 1973.

FONSECA, Rubem. O cobrador. Rio de Janeiro. Nova Fronteira, 1979.

FONSECA, Rubem. Bufo & Spallanzani, Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1985.

FONSECA, Rubem. Vastas emoções, pensamentos imperfeitos. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

FONSECA, Rubem. Feliz ano novo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

FONSECA, Rubem. Os prisioneiros. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

FONSECA, Rubem. Romance Negro e outras histórias. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

FONSECA, Rubem. O buraco na parede. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

FONSECA, Rubem. Histórias de amor. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

FONSECA, Rubem. Diário de um fescenino. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

FONSECA, Rubem. O romance morreu. São Paulo: Companhia das Letras,

FONSECA, Rubem. O Seminarista. Rio de Janeiro: Agir, 2009.

FONSECA, Rubem. José. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2011.

FONSECA, Rubem. Amálgama. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2013.

FONSECA, Rubem. Histórias Curtas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

GOMES, Renato. Todas as cidades, a cidade. Rio de Janeiro: Rocco, 2008.

MARTINEZ, Tomás Eloy. “Rubem Fonseca, o narrador do mal”. Disponível em terramagazine.terra.com.br. Acesso em 01/04/ 2009.

NANCY, Jean-Luc. La ciudad a lo lejos. Buenos Aires: Manantial, 2013.

RANCIÈRE, Jacques. El espectador emancipado. Buenos Aires: Manantial, 2010.

RUFFATO, Luiz. Entrevista concedida, na PUC-Rio, a Andréa Chauffaille Drummond, em junho de 2003.

SCHNAIDERMAN, Boris (org.). Contos Reunidos/ Rubem Fonseca. São Paulo: Companhia das Letras, 1994,

TEZZA, Cristóvão. “Rubem Fonseca e sua prosa irresistível em dose dupla”. In: FONSECA, Rubem. E do meio do mundo prostituto só amores guardei ao meu charuto. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

TREVISAN, Dalton. Faca no coração. Rio de Janeiro: Record, 1979.

Publicado
22-12-2016
Como Citar
Figueiredo, V. L. F. de. (2016). Cotidiano e anonimato nas cidades: a enunciação peregrina de Rubem Fonseca. Scripta, 20(39), 147-161. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2016v20n39p147
Seção
Dossiê: realismos e mediações