Das amarras do poder às entrelinhas do discurso: a pedagogia ambígua da favela em Capão Pecado, de Ferréz

Palavras-chave: Relações de poder, Literatura marginal, Ferréz, Capão Pecado

Resumo

Pretende-se, no presente trabalho, investigar como o narrador de Capão Pecado propõe um contraponto ao código de moral da marginalidade, assumindo um tom pedagógico ambíguo que, ao mesmo tempo, critica o “sistema” e valoriza as regras de moralidade por este pregoadas. Para tal análise, pretende-se relacionar a instância narrativa da obra em questão com os pressupostos teóricos de Michel Foucault sobre a dissolução das relações de poder, representada pela figura do panóptico. Verifica-se, com isso, que os valores morais da sociedade tradicional burguesa dissolvem-se nas mais diversas estruturas, diluindo, nesse processo, algumas fronteiras entre centro e margem para se estabelecer como norma até mesmo onde são questionados e subvertidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juan Filipe Stacul, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Doutorando em Literaturas de Língua Portuguesa na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Bolsista CAPES.

Referências

FERRÉZ. Amanhecer Esmeralda. Rio de Janeiro: Objetiva, 2005.

FERRÉZ. Capão pecado. São Paulo: Labortexto Editorial, 2000.

FERRÉZ. Capão pecado. São Paulo: Planeta, 2013.

FERRÉZ. Cronista de um tempo ruim. São Paulo: Selo Povo, 2009.

FERRÉZ. Deus foi almoçar. São Paulo: Planeta do Brasil, 2012.

FERRÉZ. Fortaleza da desilusão. São Paulo: [s.d.], 1997.

FERRÉZ. Manual Prático do ódio. Rio de Janeiro: Objetiva, 2003.

FERRÉZ. Ninguém é inocente em São Paulo. Rio de Janeiro: Objetiva, 2006.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade: curso no Collège de France

(1975-1976). Tradução de Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J.A. Guilhon Albuquerque. 7. ed. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 36. ed. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 2009.

JESUS, Carolina Maria. Quarto de despejo: diário de uma favelada. Rio de

Janeiro: Francisco Alves, 1966.

KRISTEVA, Julia. The power of horror: An essay on abjection. New York:

Columbia University Press, 1986

LINS, Paulo. Cidade de Deus. São Paulo: Planeta, 2012

LINS, Paulo. Paulo Lins e a estética da marginalidade: Entrevista. Disponível em http://augustasp.com/ruaaugusta/01/paulo-lins-e-a-estetica-da-marginalidade/. Acesso: 15/02/2014

SANTIAGO, Silviano. Uma literatura nos trópicos: ensaios sobre dependência cultural. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

SANTOS, Maria Aparecida Costa. Ferréz: o rapper da literatura. In: Anais do primeiro colóquio internacional culturas jovens, Afro-Brasil América, São Paulo, 2012

VELLOSO, Luciana Mendes. Capão pecado: sem inspiração para cartão postal. Dissertação (Mestrado em Letras) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2007

WOLFF, Janet. Feminine Sentences: essays on women and culture. Berkeley and Los Angeles: University of California Press, 1990.

Publicado
22-12-2016
Como Citar
Stacul, J. F. (2016). Das amarras do poder às entrelinhas do discurso: a pedagogia ambígua da favela em Capão Pecado, de Ferréz. Scripta, 20(39), 215-233. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2016v20n39p215
Seção
Dossiê: realismos e mediações