O intelectual em São Bernardo: Agregar

  • Rogério Silva Pereira Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD); Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)
Palavras-chave: São Bernardo, Graciliano Ramos,

Resumo

O artigo descreve Paulo Honório, o narrador do romance São Bernardo (1934), como sendo um intelectual. Assim, partindo de proposições tomadas à fortuna crítica de Graciliano Ramos, se propõe aprofundar algumas noções consagradas sobre este romance do autor. Nesse sentido, as leituras que atribuem ao romance a condição de ficção autobiográfica (MIRANDA, 1992) e de confissão (CANDIDO, 1992 e MOURÃO, 1969) são instrumentalizados para identificar, dentro de um artefato iminentemente ficcional que é São Bernardo, elementos que situariam seu narrador como uma pessoa que escreve efetivamente uma autobiografia com teor altamente confessional. Para tanto, o conceito de confissão (FOUCAULT, 1988) é utilizado para aprofundar a noção de “descontrole” (LAFETÁ, 1977), ideia estruturante para se compreender o romance. O fito é alcançar uma descrição do público leitor que seria o leitor da autobiografia confessional escrita pelo narrador, ao mesmo tempo em que se explicitaria esse narrador como sendo um escritor intelectual que, ao eleger o público literário como interlocutor de sua confissão, faz um elogio da palavra escrita, da literatura e da vida pública como lócus de resolução de problemas

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rogério Silva Pereira, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD); Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)

Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Doutor em Literaturas de Língua portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas)

Referências

ARENDT, Hannah. A Condição humana. Tradução de R. Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universidade, 1997.

BÍBLIA. Português. Bíblia sagrada. Tradução do Centro Bíblico Católico. São Paulo: Ave Maria. 1967.

BUZZIO, J. C.; PEREIRA, R. S.; FERRAZ, S. A Madalena comunista de Graciliano Ramos. In: FERRAZ; S. (Org.). Maria adalena: das páginas da Bíblia para a ficção (textos críticos). Maringá: Editora da Universidade Estadual de Maringá, 2011. v. 1, p. 255-277.

CANDIDO, A. Ficção e confissão: ensaios sobre Graciliano Ramos. São Paulo: Ed. 34, 1992.

FELDMAN, H. Graciliano Ramos: reflexos e sua personalidade na sua obra. Tradução de Luís Gonzaga M. Chaves e G. Magalhães. Fortaleza: Imprensa Universitária do Ceará, 1967.

FOUCAULT, M. Scientia sexualis. In: História da sexualidade I: A vontade de saber. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e J. A. Builhon Albuquerque. Rio de Janeiro, Edições Graal, 1988. p. 51-71.

LAFETÁ, J. L. O mundo à revelia. In: Ramos, G. São Bernardo. 27. ed. Rio de Janeiro, Record, 1977. p. 173-197.

LEJEUNE, P. O pacto autobiográfico: de Rousseau à internet. Organização de Jovita Maria Gerheim Noronha. Tradução de Jovita Maria Gerheim Noronha e Maria Inês Coimbra Guedes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

LINS, A. Valores e misérias de Vidas secas. In: RAMOS, G. Vidas secas. Rio de Janeiro, São Paulo: Record, 1979. p. 128-155.

MANNHEIM, Karl. Ideologia e utopia. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.

MALARD, L. Ensaio de literatura brasileira - Ideologia e realidade em Graciliano Ramos. Belo Horizonte: Itatiaia, 1976.

Sergio MICELI. Intelectuais à brasileira. São Paulo, Companhia das Letras, 2001.

MIRANDA, W. M. Corpos escritos: Graciliano Ramos e Silviano Santiago. São Paulo: Edusp; Belo Horizonte: Editora UFMG, 1992.

MOURÃO, R. Estruturas; ensaio sobre o romance de Graciliano Ramos. Tendência, 1969.

PAULINO, M. G. R. Reflexões sobre os limites de poder do narrador em São Bernardo. 1979. Dissertação (Mestrado em Literatura Brasileira) - Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Letras, Belo Horizonte, 1979.

PEREIRA, R. O intelectual no romance de Graciliano Ramos. 2004. Tese (Doutorado em Literaturas de Língua Portuguesa) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Programa de pós-graduação em Letras, Belo Horizonte, 2004.

PUCCINELLI, L. Graciliano Ramos. São Paulo: Quiron; Brasília: INL, 1975.

RAMOS, G. São Bernardo. São Paulo: Record, 1977.

WALTY, I. L. C. Graciliano Ramos: escrito à mão. In: Muito +, São Paulo, n. 18, jun., 2001. p. 33.

ZILBERMAN, R. São Bernardo e os processos de comunicação. P Movimento, Porto Alegre, 1975.

Publicado
22-12-2016
Como Citar
Pereira, R. S. (2016). O intelectual em São Bernardo: Agregar. Scripta, 20(39), 234-260. https://doi.org/10.5752/P.2358-3428.2016v20n39p234
Seção
Dossiê: realismos e mediações