https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/issue/feed Scripta 2024-03-07T12:35:36+00:00 Raquel Guimarães scripta.pucminas@gmail.com Open Journal Systems <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: 1,5; margin: 0cm 0cm 0pt;">SCRIPTA - uma publicação quadrimestral do Programa de Pós-Graduação em Letras, da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais e Centro de Estudos Luso-afro-brasileiros da PUC Minas, classificada como A3 no QUALIS de sua área "Linguística e Literatura" (<a title="Plataforma Sucupira - CAPES-Brasil" href="https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/veiculoPublicacaoQualis/listaConsultaGeralPeriodicos.jsf" target="_blank" rel="noopener">Plataforma Sucupira - CAPES-Brasil</a>).<br><strong>Missão:</strong> publicar dossiês contendo artigos científicos e ensaios inéditos e de reconhecida qualidade acadêmica, além de entrevistas de interesse e resenhas de obras recentemente publicadas, produzidos por pesquisadores nacionais e estrangeiros, das áreas de Literaturas de Língua Portuguesa e Linguística.<br><strong>ISSN 1516-4039</strong><br><strong>e-ISSN 2358-3428</strong></p> https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/32368 Páginas Iniciais 2024-02-05T09:17:49+00:00 Maria Angela Paulino Teixeira Lopes mpaulinoteixeiralopes@gmail.com Eulália Vera Lúcia Fraga Leurquin eulalia@ufc.br Joaquim Dolz Joaquim.Dolz-Mestre@unige.ch <p>Páginas iniciais.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/32377 Contextos multilíngues e interações: 2024-03-07T12:34:48+00:00 Maria Angela Paulino Teixeira Lopes mpaulinoteixeiralopes@gmail.com Eulália Vera Lúcia Fraga Leurquin eulalia@ufc.br Joaquim Dolz Joaquim.Dolz-Mestre@unige.ch <p>Editorial.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/29913 Sonhar, ousar e esperançar: 2024-03-07T12:35:32+00:00 Antonieta Megale antonietaheyden@hotmail.com Michele El Kadri misalles@uel.br Vivian Saviolli viviansaviolli@gmail.com <p>Conscientes das situações-limites que vivenciamos em nosso país, como a desigualdade de oportunidades e o neoliberalismo que rege nossos processos educacionais, neste texto, sonhamos, ousamos e esperançamos ao discutir nossa visão de educação bi/multilíngue intercultural crítica e comprometida com a justiça social para a criação de inéditos viáveis (FREIRE, 1987; 1992) que desafiem a estrutura&nbsp; atual. Amparadas no conceito de inédito viável (FREIRE, 1987; 1992) e na noção de interculturalidade (CANDAU, 2008; FORNET-BETANCOUT, 2001; 2004), exemplificamos nossa visão por meio da análise de atividades temáticas do material <em>Global Kids</em>. Apontamos que a escolha intencional de histórias infantis que visam a superação do daltonismo cultural, propagado pelo caráter monocultural de nossas escolas, tem a potencialidade de promover o acesso a outras narrativas e discursos para a formação de sujeitos agentivos, responsivos e mais solidários.&nbsp;</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30860 Políticas educacionais, relações interculturais e práticas de letramento: 2024-03-07T12:34:54+00:00 Catarina Valle e Flister catarinaflister@gmail.com Sandra M. S. Cavalcante sandcavalcante@gmail.com <p>Este artigo, comprometido com a produção de conhecimento científico que coopere para a compreensão dos profundos desafios impostos pela crise internacional das migrações, no mundo contemporâneo, tem por objetivos descrever experiências e projetos educacionais comprometidos com o acolhimento de indígenas da etnia Warao, no Brasil, e problematizar aspectos constitutivos dessa experiência. Entre esses aspectos, destacamos parâmetros que fundamentam a compreensão: i) do fenômeno da migração no contexto sul global; ii) de políticas educacionais indigenistas, adotadas no Brasil atual; iii) das possibilidades e limitações do processo escolarização, alfabetização e letramento de indígenas Warao no contexto brasileiro. Para o cumprimento desses objetivos, apresentamos, em uma perspectiva histórico-social, aspectos originários constitutivos da cultura Warao, de forma a problematizar, criticamente, a (in)compreensão do reconhecimento de abordagens pedagógicas que (des)respeitam necessárias relações interculturais dentro e fora dos limites da escola.&nbsp;</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30530 Formação continuada de professores e mensuração educacional: 2024-03-07T12:34:56+00:00 Luana Mayer luanafmayer@gmail.com <p>O objetivo deste artigo é analisar como a mensuração educacional de um sistema de ensino bilíngue afeta a formação continuada de professores bilíngues com base em eventos do meu cotidiano de trabalho enquanto formadora de professores, atuando em escolas privadas no interior do estado de São Paulo, vinculada a um sistema de ensino, em um &nbsp;contexto chamado “bilíngue de elite” (CAVALCANTI, 1999). A discussão, recorte de uma pesquisa autoetnográfica (ADAMS, HOLMAN JONES &amp; ELLIS, 2022) de doutorado,&nbsp;parte de registros em diário de campo e eventos relacionados à mensuração educacional do sistema de ensino&nbsp;que&nbsp;deram corpo à análise. Como dispositivo teórico-analítico, os preceitos autoetnográficos de Chang (2016) foram observados, bem como o conceito de boa educação (BIESTA, 2012), inovação e constelação de práticas sociais inter-relacionadas (SIGNORINI, 2007). Os resultados indicam que os sistemas de ensino bilíngue se expandem baseados no discurso de que “não se aprende a falar inglês na escola” e, nesse compasso, na ideia de que “os professores não sabem dar aulas”. Ainda, a mensuração educacional no sistema de educação bilíngue valoriza dados que medem o que é possível medir, e não o que é desejável em termos de boa educação. Assim, a existência de sistemas bilíngues de ensino e também a orientação a partir da mensuração educacional que os sistemas realizam esvazia o potencial caráter crítico da formação continuada de professores bilíngues, e se torna um espaço de confronto entre as expectativas de diferentes agentes institucionais envolvidos nessa estrutura. &nbsp;&nbsp;&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30470 “Education plan for the ground school”: 2024-03-07T12:35:05+00:00 Isabela Vieira Barbosa miss.vieira@gmail.com Caique Fernando da Silva Fistarol cfersf@gmail.com Marcia Regina Selpa Heinzle selpamarcia@gmail.com <p>O presente artigo está situado no âmbito de questões voltadas para o ensino e a aprendizagem de línguas e seus efeitos na prática de atuação docente.&nbsp; Dessa forma, faz parte de um projeto maior que tem como objetivo analisar a internacionalização da educação básica em relação às políticas públicas para o ensino bilíngue no Brasil. Nesse ínterim, tem por objetivo compreender concepções e orientações do Ministério da Educação da Alemanha para o Ensino de Língua estrangeira para os anos equivalentes aos Anos Iniciais do Ensino Fundamental brasileiro. Estas orientações guiam as escolas primárias bilíngues aprovadas e direcionam-se, também, para as escolas primárias que tenham a possibilidade de iniciar aulas de língua estrangeira a partir do 1º ano. Os referenciais teóricos utilizados são CECR (2001), Libâneo (2006), Megale (2019), Spinassé (2006) e Souza (2019). Os procedimentos metodológicos e de análise de dados se baseiam em recortes do Quadro Comum Europeu de Ensino de Línguas e do documento do Ministério da Educação Alemão elaborado em parceria com o Ministério da Cultura, Juventude e Esporte do estado de Baden-Wurttemberg para os anos iniciais, intitulado “<em>Education plan for the ground school</em>”. Observou-se que o documento considera três itens: habilidades comunicativas, recursos linguísticos e competências culturais. Outrossim, apesar de haver direcionamentos, no entanto, conclui-se que o referido documento deixa em aberto possibilidades de conteúdo e de metodologia, assinalando apenas a importância de traçar metas para alcançar o aprendizado efetivo das competências e habilidades pelos estudantes.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/29992 A pertinência da aplicação da lei 10.639/2003 na formação de professores no campo do ensino e aprendizagem de português para falantes de outras línguas (PFOL) 2024-03-07T12:35:29+00:00 Robson Batista Moraes robsonbmoraes5@gmail.com <p>A educação brasileira deve cumprir a Lei 10.639/2003, que altera a de nº 9.394/1996 e estabelece as diretrizes da educação para incluir nos currículos da rede de ensino e na formação de professores, a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira" (BRASIL, 2003). Este artigo é fruto de pesquisas e experiências vivenciadas na aplicação do Exame de Certificação de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (CELPE-Bras), no posto aplicador da Universidade Federal da Bahia. Posto isso, objetiva-se explanar sobre a relevância da aplicação da Lei 10.639/2003 na formação&nbsp; de professores de Português para Falantes de Outras Línguas (PFOL) – pois ainda há lacunas relativas à inclusão da diversidade étnico-racial nas temáticas de pesquisas e no ensino nesse campo (DE ASSUNÇÃO BARBOSA, 2015; MORAES, 2020, 2021; SILVA, 2018).O artigo tem um caráter indisciplinar, está situado teoricamente no campo da Linguística Aplicada, na grande área de linguagem, e na subárea de ensino de Português para estrangeiros (MOITA LOPES, 2006; ALMEIDA FILHO, 2011). A proposta desta exposição recorre metodologicamente à pesquisa de abordagem qualitativa e documental (MARKONI; LAKATOS, 2019) e intenta problematizar a aplicabilidade da Lei no cenário de formação de professores e, consequentemente, no âmbito do ensino de PFOL como uma das vias para o enfrentamento ao racismo estrutural à brasileira e a valorização da cultura negra (ALMEIDA, 2018; KILOMBA, 2019). Este artigo busca contribuir com ponderações sobre a necessidade de ampliação do foco etnocêntrico na formação de professores, e propor que a diversidade cultural brasileira seja abarcada nesse campo de estudo.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30458 Reflections on plurilingualism and language education in the Brazilian Context 2024-03-07T12:35:16+00:00 Mergenfel Vaz Ferreira megchenvaz@yahoo.com Roberta Cristina Sol Fernandes Stanke roberta.stanke@yahoo.com.br <p>A publicação da nova Base Nacional Comum Curricular, em 22 de dezembro de 2017, movimentou diversas discussões no meio acadêmico da área de educação linguística em línguas adicionais a respeito da mudança do componente “Línguas Estrangeiras Modernas”, na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB, 1996), que facultava aos estados e municípios a escolha da língua de acordo com seus contextos específicos, para o componente curricular “Língua Inglesa”, como única língua adicional de ensino obrigatório na Educação Básica. Tais discussões, por sua vez, impulsionam movimentos nacionais como o Fica Espanhol e o Moveplu (Movimento a favor do Ensino Plurilíngue). Ao mesmo tempo, vemos surgir e expandirem-se iniciativas como o projeto de escolas bilíngues da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, com a oferta de ensino de inglês, espanhol, francês e alemão em escolas públicas do município. Ainda em favor do plurilinguismo, temos também os 51 municípios espalhados pelo país que lograram a cooficialização de diversas línguas indígenas, além de línguas de imigração alemãs e italianas. Considerando todos os fatores expostos, este artigo tem como objetivo discutir caminhos para uma educação linguística que possa promover a manutenção e o desenvolvimento do plurilinguismo no Brasil. Para isso, o texto revisita a literatura que se deburça sobre o plurilinguismo e a educação linguística no país, trazendo à discussão o conceito de educação linguística intercultural e a proposta que vem sendo implementada no Rio de Janeiro, focando de forma mais específica, o ensino-aprendizado de alemão nas escolas bilíngues municipais.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30469 Reflections and Proposals on Portuguese as a Welcoming Language ‘for’ and ‘with’ international migrant children in Brazil 2024-03-07T12:35:07+00:00 Juliana Reichert Assunção Tonelli teacherjuliana@uol.com.br Helena Vitalina Selbach helenaselbach@gmail.com <p>No Brasil, o influxo de migrantes aumentou nos últimos anos, tornando nossa sociedade ainda mais diversa e multicultural. Como resultado, há uma crescente necessidade de ensino de língua para crianças migrantes internacionais que podem não ter conhecimento prévio de português. Nesse contexto, o português pode ser visto como uma Língua de Acolhimento (PLAc), que pode possibilitar às crianças migrantes o acesso à educação, cidadania e a outras oportunidades. No entanto, ensinar e aprender PLAc também apresenta desafios, que incluem a falta de recursos e educadores capacitados, bem como a necessidade de levar em conta os diversos antecedentes linguísticos e culturais dessas crianças. Considerando esse cenário, o objetivo deste trabalho é refletir sobre o ensino e aprendizagem do PLAc “para” e “com” crianças migrantes internacionais no Brasil. Pretendemos oferecer insights sobre os desafios e oportunidades associados a esse processo, bem como oferecer algumas reflexões e sugestões.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30440 Enseigner une langue étrangère par le biais de chansons: 2024-03-07T12:35:21+00:00 Alba Arenas Soler alba.arenas.soler1@gmail.com Aina Monferrer-Palmer ainamonferrer@gmail.com <p>Este artigo expressa uma breve sequência didática que liga a Nova Cançó, um movimento musical anti-francês em catalão, e a Chanson Française. Muitas das canções em catalão deste movimento são simplesmente versões de canções francesas, o que as torna textos fundamentais para o ensino do catalão a alunos francófonos. No entanto, existe uma falta de reflexão coerente sobre a modelação didática da canção no ensino das línguas. Para colmatar esta lacuna, foi proposta uma sequência didática aos alunos de catalão do nível A2 da Universidade de Paris-8. Esta sequência utiliza seis canções para estudar a língua, a dimensão contextual e a dimensão criativa. Os alunos têm de escrever uma canção adaptada do francês para o catalão depois de trabalharem com as letras em francês e as traduções em catalão das seis canções escolhidas. As vozes francesas dos artistas originais foram removidas por inteligência artificial, permitindo aos alunos cantar o seu texto em catalão sobre o instrumental original. Esta sequência didática oferece uma reflexão sobre a modelação didática da canção e permite aos alunos desenvolver a sua competência linguística, cultural e criativa em catalão.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30386 Análise de livros didáticos para ensino de PLAc à luz de ficha para avaliação 2024-03-07T12:35:26+00:00 Dênia Moreira Andrade deniaandrade@gmail.com <p style="font-weight: 400;">Este artigo tem como objetivo apresentar uma ficha para a avaliação de materiais didáticos que visam ao ensino de Português como Língua de Acolhimento (PLAc) e refletir sobre a necessidade de se pensar critérios adequados que orientem a produção de livros didáticos dessa natureza. Partindo da compreensão de que materiais didáticos são instrumentos de política linguística (BIZON; DINIZ, 2019), acreditamos que o uso de uma ficha de avaliação poderá contribuir para: destacar e comparar com maior assertividade os aspectos positivos de diferentes materiais; problematizar aspectos a serem potencializados pelo professor em sua prática efetiva; lançar um olhar crítico para atividades/práticas que ecoam visões de mundo totalizantes e dicotômicas; e, consequentemente, aprofundar a discussão sobre parâmetros didático-pedagógicos&nbsp; implicados no ensino-aprendizagem de PLAc. Para análise ilustrativa, à luz da ficha de avaliação proposta, avaliamos uma unidade do livro <em>Me virando no dia a dia</em>, da Coleção <em>Vamos juntos(as)! Curso de Português como Língua de Acolhimento</em> (DINIZ; BIZON; RUANO, 2021).</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30462 E quando o aluno não fala a língua do professor? 2024-03-07T12:35:13+00:00 Kelin Regina Bergamini do Nascimento kelinbergamini@gmail.com Maridelma Laperuta-Martins chomsky1928@yahoo.com.br <p>Foz do Iguaçu, cidade brasileira situada na Tríplice Fronteira com Paraguai e Argentina, recebe alunos de várias nacionalidades, línguas e culturas. A multiplicidade linguístico-cultural, celebrada na sociedade pela ótica da diversidade, na escola apresenta-se conflituosa, principalmente quando se trata de alunos migrantes ou descendentes que não falam português. Assim, a questão de pesquisa que emergiu desse contexto foi: “Como se dá o atendimento educacional ofertado aos alunos que não possuem proficiência na língua portuguesa nas escolas municipais de Foz do Iguaçu?”. Delimitou-se o objeto de pesquisa por meio do objetivo: “Pesquisar e descrever o atendimento educacional fornecido a uma aluna migrante de língua árabe na rede pública de ensino de Foz do Iguaçu”. Partindo de uma pesquisa qualitativa, de natureza exploratório-descritiva, o estudo de caso proposto analisou os dados gerados por meio de entrevistas semiestruturadas com os profissionais que atuam em uma escola iguaçuense e de registros de observações participantes efetivadas em diário de campo. Os resultados obtidos demonstraram que as políticas de ensino para lidar com o multilinguismo ainda são incipientes no município de Foz do Iguaçu e a gestão de línguas nas escolas fica sob a responsabilidade isolada de cada professor, sem uma política institucional ou conjunta.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30482 Aquisição de perfect no inglês em contexto de imersão por falantes do espanhol de Porto Rico 2024-03-07T12:35:03+00:00 Érica Silva Rebouças eriica_reboucas@hotmail.com Adriana Leitão Martins adrianaleitao@letras.ufrj.br Juliana Barros Nespoli juliana_nespoli@yahoo.com.br <p>O objetivo deste trabalho é investigar a aquisição das realizações de perfect universal e perfect existencial, associados ao presente, por falantes de espanhol de Porto Rico adquirindo inglês como L2 em contexto de imersão. O aspecto perfect, quando associado ao presente, diz respeito a uma situação que começou ou ocorreu no passado e continua ou apresenta relevância no presente. Os falantes porto-riquenhos podem possuir o espanhol e o inglês como L1, sendo considerados bilíngues, como também podem adquirir o inglês como L2 após o período crítico, em contexto de imersão, sendo, a depender do domínio nessa L2, considerados bilíngues funcionais. A hipótese adotada foi a de que os falantes bilíngues funcionais porto-riquenhos com mais tempo de contato ininterrupto com a língua inglesa possuem desempenho nessa língua mais próximo àquele apresentado por falantes porto-riquenhos nativos de inglês e espanhol, segundo mapeamento de Rebouças, Martins e Nespoli (2022). Para isso, realizou-se um estudo de caso com 4 sujeitos a partir da aplicação de teste de decisão e de produção eliciada em inglês. Os resultados revelaram a seleção/utilização de present perfect continuous, present perfect, simple present e present continuous na veiculação de perfect universal e de simple past e present perfect (com ou sem apagamento do auxiliar) na veiculação de perfect existencial. A hipótese foi refutada porque os bilíngues estudados com mais tempo de contato com o inglês não selecionaram/produziram “to be” (present) + predicative na veiculação de perfect existencial - forma verificada em Rebouças, Martins e Nespoli (2022).</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30488 A produção escrita de sujeitos bilíngues: 2024-03-07T12:34:59+00:00 Antonieta Megale antonietaheyden@hotmail.com Gabriela Pinsdorf gabriela.pinsdorf@unifesp.br <p><span style="font-weight: 400;">O crescimento de escolas bilíngues no Brasil impulsiona a necessidade de compreendermos os processos que levam um estudante a se alfabetizar nessas línguas. Nesse cenário, este estudo tem como objetivo discutir a partir da noção de bilinguismo dinâmico (GARCÍA, 2009) como o sujeito bilíngue acessa os recursos construídos em seu repertório para produzir textos escritos na fase de alfabetização inicial em movimentos que revelam seu translinguar (GARCÍA; WEI, 2014). Em consonância com essa visão de linguagem, debatemos que o conceito de transferência entre línguas, muito utilizado para explicarmos o processo de construção de conhecimento por sujeitos bilíngues, revela uma visão de linguagem monoglóssica e que, portanto, a partir de lentes translíngues e heteroglóssicas, não podemos conceber as aprendizagens de bilíngues a partir do ato de transferir saberes construídos em uma língua para a outra língua (GARCÍA, et al., 2021). De outra feita, </span><span style="font-weight: 400;">esclarecemos que ao considerar a integridade do repertório, não se tratam de transferências linguísticas, mas sim, de acessos. Um conhecimento construído em uma determinada língua compõe o repertório singular do sujeito bilíngue, e pode ser acessado por outra língua, sempre que necessário.&nbsp;</span></p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30468 A projeção discursiva do ethos na interação examinador-examinando: 2024-03-07T12:35:10+00:00 Patrícia Rodrigues Tanuri Baptista ptanuri@hotmail.com Natália Moreira Tosatti nataliatosatti@yahoo.com.br Renato Caixeta da Silva rencaixe@yahoo.com.br <p>Este trabalho focaliza interações face a face entre examinador e examinando na prova oral do Celpe-Bras, exame brasileiro destinado à emissão do Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros, desenvolvido e outorgado pelo Ministério da Educação (MEC). Nosso objetivo consiste em analisar, a partir do arcabouço teórico da Análise do Discurso, como se dá a construção discursiva do <em>ethos </em> nessas interações, mais especificamente nos primeiros cinco minutos de conversa – conhecidos como “quebra-gelo” - destinados a tópicos de interesses pessoais do examinando, informados por ele nos formulários de inscrição. A escolha desse momento se justifica por se tratar de uma interação que tende a ser menos tensa e mais natural, servindo de preparação para a continuidade do exame oral. O <em>corpus</em> é composto por três interações, contando com participantes de diferentes origens: Dinamarca, Argentina e Turquia. Nesta análise, estamos compreendendo <em>ethos</em> a partir da concepção de Maingueneau, sendo igualmente importantes as contribuições de Ducrot (1984), Goffman (1995), Amossy (2016), assim como de Brown e Levinson (1987). Os dados evidenciam que os participantes são colaborativos não só na construção do <em>ethos </em>de si próprios, mas também do <em>ethos</em> institucional, marcado por demonstrações de proximidade e cordialidade.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30446 Fatores relacionados à neutralização de róticos e à despalatalização de [tʃ] e [dʒ] em português por hispanofalantes 2024-03-07T12:35:19+00:00 Pietra Da Ros pietradaros@icloud.com Rosemari Lorenz Martins rosel@feevale.br Lovani Volmer lovaniv@feevale.br <p>O trabalho compreende o fluxo migratório de latino-americanos com destino ao Brasil e o português como língua adicional necessária para a inserção social desse grupo, a fim de que haja comunicação com os nativos e, assim, a compreensão de direitos e deveres no país em que se encontram. Entende-se a aquisição fonológica da língua portuguesa como integrante do processo de aprendizagem da língua e, com base na percepção geral da primeira autora a partir de suas redes sociais de uma fala comum à região do Vale dos Sinos/RS, foi realizada uma análise da leitura de um mesmo texto em língua portuguesa de quatro imigrantes de três países diferentes com o objetivo de identificar processos fonológicos diferentes na produção comum desses sujeitos e justificar sua ocorrência. Os sistemas fonológicos do português e do espanhol foram contrastados e, em análise dos áudios, foi identificada a neutralização de róticos e a despalatalização de /tʃ/ e /dʒ/, diferentemente do que aponta a fala considerada comum à região. As causas para ambos os processos são justificadas por fatores diferentes: a neutralização do R-forte foi inversamente proporcional ao tempo de residência dos falantes no Brasil, enquanto a despalatalização pode decorrer do tempo de estudos formais do falante em português brasileiro.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/29695 “Ser professor/a de português” no PRP: 2024-03-07T12:35:36+00:00 David Christian de Oliveira Pereira prof.davidoliveira4@gmail.com <p>Este recorte de investigação de tese propõe apresentar quais discursos prévios concorrem para a construção das identidades docentes de dois graduandos em Letras-Português, inseridos no Programa Residência Pedagógica, tomando como referência o primeiro questionário estruturado aplicado no início da pesquisa. Situado no âmbito da Linguística do Discurso, este Estudo de Caso é de caráter qualitativo-interpretativista. Como vozes de sustentação deste trabalho, estão, por exemplo, Saviani (2005; 2009), Tardif (2014), Bauman (2005), Charaudeau e Maingueneau (2008), Hall (2014; 2019) e Foucault (2014). Identificamos, a partir da tessitura discursiva traçada, que as identidades dos estudantes e residentes pedagógicos vêm sendo (re)construídas ainda a passos lentos, com primazia por identidades estáticas em detrimento de identidades em movimento, mesmo estando esses sujeitos imersos em um Programa que se apresenta inovador em sua proposta prático-reflexiva.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30485 História da palavra “língua” a partir de publicações na/da Revista Scripta: 2024-03-07T12:35:00+00:00 Heitor Pereira de Lima oiheitorlima@gmail.com <p>Neste estudo, a partir dos pressupostos da Análise de Discurso e nas suas relações com a História das Ideias Linguísticas (ORLANDI, 2001), propomo-nos analisar o funcionamento da palavra língua a partir de publicações na/da Revista Scripta para, então, propor a história dessa palavra no periódico em questão. À vista desse objetivo, realizamos um recorte bem específico: consultamos o <em>site</em> da Revista a fim de localizar todos os textos produzidos por Ângela Vaz Leão, considerando desde a primeira publicação da Revista, realizada no ano de 1997 e organizada pela professora mineira, até a atual, datada de 2022. Nesse movimento, nos arriscamos na difícil e prazerosa tarefa de tecer uma homenagem à Dona Ângela, historiógrafa linguística que tanto (nos) importa aos estudos brasileiros. Nosso enfoque se dá, portanto, sobre a mobilização da palavra língua que vai construindo camadas discursivas nas/pelas quais a história dessa palavra no interior da língua vai sendo tecida.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/30439 Nuevas herramientas para la intercomprensión y el aprendizaje relacional de la pluralidad lingüística en España 2024-03-07T12:35:24+00:00 Gonzalo Llamedo-Pandiella llamedogonzalo@uniovi.es 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas https://periodicos.pucminas.br/index.php/scripta/article/view/32304 Entrevista com a professora Dra. Beate Reseda Streb: 2024-03-07T12:34:51+00:00 Eulália Vera Lúcia Fraga Leurquin eulalia@ufc.br <p>O texto apresenta uma entrevista realizada com a professora Beate Reseda Streb sobre o ensino e aprendizagem numa perspectova do bilinguismo. A pesquisadora fala sobre o seu percurso na área de bilinguismos, a partir das pesquisas de doutorado. Ela apresenta fala sobre suas experiências com os porjetos desevolvidos e sobre seus trabalhos em desenvolvimento sobre o tema e se posiciona sobre questões relevantes a respeito do bilinguismo.</p> 2023-12-21T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2023 Editora PUC Minas