O IMPACTO DO QUARTO PODER SOBRE A GREVE E SUA INFLUÊNCIA NO MOVIMENTO PAREDISTA DOS RODOVIÁRIOS DE BELO HORIZONTE

  • Anne Shirley de Oliveira Rezende Martins Puc Minas
  • Gabriel de Souza Salema PUC Minas
  • Marina Aparecida Querino Ianhez Macêdo PUC Minas
Palavras-chave: Greve, Mídia e Quarto Poder

Resumo

O presente artigo tem o objetivo de realizar uma análise sobre o instituto da greve, sua importância, suas características e seus elementos, conjugada com o impacto da mídia sobre o resultado final de um movimento paredista, tendo poder para deslegitimar movimentos que perante o ordenamento jurídico vigente não padecem de vício e legitimando condutas ilícitas. Com seu poder de persuasão, a mídia dá enfoques diferentes às situações análogas, bastando um interesse para autorizar o discurso, elegendo como vencedor aquele que melhor lhe aprouver. Analisa-se como a mídia pode noticiar uma greve de diferentes faces, ratificando um direito constitucional ou criminalizando-o em nome de interesses pessoais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anne Shirley de Oliveira Rezende Martins, Puc Minas
Possui graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1995), mestrado em Master of Law (International Law) - University Of London (1996), mestrado em Direito Mercantil - Universidad de Deusto (2001) e doutorado em Direito Privado - Universidad de Deusto (2002). Professora Adjunto IV da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais de Família, Sucessões, Prática Civil e Processual Civil, Membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Campus Coração Eucarístico, da Faculdade Mineira de Direito (FMD-PUCMinas), membro com direito a voto - CIRIEC Universitat de Valencia, colaboradora e investigadora do Instituto de Estudios Cooperativos e membro da Associação Internacional de Direito - Universidad de Deusto
Gabriel de Souza Salema, PUC Minas
Graduando em Direito da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Marina Aparecida Querino Ianhez Macêdo, PUC Minas

Possui graduação em História pela Universidade Federal de Minas Gerais(2006). Atualmente é Professora Municipal da Escola Municipal Maria de Magalhães Pinto. Graduanda em Direito da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. 

Referências

BARROS, Alice Monteiro de. Curso de direito do trabalho. 2 ed. São Paulo: LTR, 2006.

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado, 1988.

LEITE, Carlos Henrique Bezerra. A Greve como Direito Fundamental. Curitiba: Juruá, 2000.

MENDONÇA, Deborah – A Importância da Mídia na Política de Democratização das Relações de Trabalho no Brasil – Da história à atualidade. Trabalho de Mestrado – Universidade Federal do Rio Grande do Sul – Porto Alegre – 2010.

MORAIS, Denis. O Planeta Mídia: Tendências da Comunicação na era Global. Campo Grande: Letra Livre, 1998.

TEMER, Ana Carolina Rocha Pessoa (Org). Mídia, Cidadania e Poder. Goiânia: FACOMB/FUNAPE, 2011.

THOMPSON, John B. O Escândalo Político: poder e visibilidade na era da mídia. Tradução de Pedrinho A. Guareschi, Petrópolis: Vozes. 2002.

VIANA, Márcio Túlio. Direito de resistência: possibilidade de autodefesa do empregado em face do empregador. São Paulo: LTR, 1996.

ZANGRANDO, Carlos Herinque da Silva. A greve no direito brasileiro. 1 ed. Rio de Janeiro: Forense, 1994.

Publicado
14-12-2016
Como Citar
Martins, A. S. de O. R., Salema, G. de S., & Macêdo, M. A. Q. I. (2016). O IMPACTO DO QUARTO PODER SOBRE A GREVE E SUA INFLUÊNCIA NO MOVIMENTO PAREDISTA DOS RODOVIÁRIOS DE BELO HORIZONTE. Virtuajus, 1(1), 46-57. Recuperado de https://periodicos.pucminas.br/index.php/virtuajus/article/view/13671
Seção
Dossiê Direito e Justiça: uma relação histórico-conceitual