A REALIDADE DA MEDIAÇÃO EMPRESARIAL E A SUA BAIXA ADESÃO NAS RELAÇÕES COORPORATIVAS NOS PEQUENOS E MÉDIOS CENTROS URBANOS

  • Emanuel Vítor das Mercês Souza Centro Universitário Presidente Tancredo de Almeida Neves
  • Edmilson Junior Alves UNIPTAM
Palavras-chave: Microempresários, Mediação, Recomposição, Interempresarial

Resumo

O presente versará sobre o estudo no tocante às resoluções conflituosas existentes nos centros comerciais, sobretudo os de pequeno e médio porte. Para que assim se amplie os perímetros de usualidade desse método, afim de almejar a recomposição nos ambientes de relações continuadas. Desta forma, discorrido através da explicação dos desafios da mediação empresarial nas relações colaborativas atuais; apresentação da efetividade das resoluções conflituosas, enfatizando os baixos custos para as empresas. Além destes, a ligação da mediação aos grandes e pequenos desafios das problemáticas perante os desafios. Para lograr êxito foi realizada uma pesquisa de campo com o intento de materializar a hipótese ora levantada, de que o mal que aflige a sociedade atual é a ignorância maciça. Logo essa hermenêutica da contemporaneidade, a longo prazo, tem ligação direta à pacificação social, uma vez que os litígios deslindam-se naturalmente devido ao fato de o Poder Judiciário não ser capaz de acompanhar o desenvolvimento das relações interpessoais e interempresariais. Vale ressaltar ainda que a Mediação Empresarial trata de forma direta uma das vertentes do desenvolvimento social nos pequenos e médios centros, haja vista que a economia local, na maioria das vezes é composta majoritariamente por micro e pequenos empreendedores, e nisso consiste a máxima da pertinência dessa temática, a fim de granjear a manutenção e quiçá o crescimento dos níveis de geração de emprego e renda, refletindo positivamente no Índice de Desenvolvimento Humano. Portanto esse trabalho é um convite à reta observância do real atendimento à função social dos processos judiciais, a eficácia, igualmente é perceptível perceber que a Mediação é instrumento utilizado a séculos, contudo, vindo a ter legislação especifica somente na contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Emanuel Vítor das Mercês Souza, Centro Universitário Presidente Tancredo de Almeida Neves

Graduando em Direito pelo UNIPTAN - Centro Universitário Presidente Tancredo de Almeida Neves.

Edmilson Junior Alves, UNIPTAM

Graduando em Direito pelo UNIPTAN - Centro Universitário Presidente Tancredo de Almeida Neves.

Referências

BRASIL. Lei nº 13.140, de 26 de junho de 2015. Dispõe sobre a mediação entre particulares como meio de solução de controvérsia e sobre a autocomposição de conflitos do âmbito da administração pública. Diário Oficial da União, 29 de junho de 2015. Disponível em . Acessado em 5 de março de 2022.

BRASIL. Lei nº 3.071, de 1º de janeiro de 1916. Código Civil dos Estados Unidos do Brasil. Diário Oficial da União: Rio de Janeiro/DF, 5 de janeiro de 1916. Disponível em . Acessado em 25 de março de 2022.

BRASIL. STF. Agravo em Recurso Extraordinário.

BRAZIL. Constituição (1824). Constituição Política do Império do Brazil. Coleção de Leis do Império do Brasil – 1824, pag. 7. vol. 1. Disponível em . Acessado em 25 de março de 2022.

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Relatório das Metas Nacionais do Poder Judiciário 2022. Brasília: CNJ, dezembro, 2021. Disponível em: . Acessado em 24 de março de 2022.

GONÇALVES, Luiz Antônio de Araújo. A metamorfose das feiras nordestinas: a inserção da confecção popular. PDF. 1ª edição. Edgard Blucher Ltda, 2019.

MENDES, Taysa Dornfeld de A. Mediação e sua utilização no Direito Empresarial. 2020. Disponível em . Acessado em 5 de março de 2022.

MIRANDA, Maria Bernadete. O instituto da mediação no meio ambiente dos conflitos empresariais. 2009. Disponível em . Acesso em 1º de março de 2022.

MORAES, Alcemir da Silva. Direito e Justiça: da pré-história à contemporaneidade. 2009. Disponível em . Acessado em 15 de março de 2022.

OLIVEIRA, Ana Claudia. FENICIOS. Educa+Brasil. 2020. Disponível em . Acessado em 22 de fevereiro de 2022.

PINHEIRO, Bruno Victor de Arruda. Mediação: histórico, conceito e princípios. 2020. Disponível em . Acessado em 5 de março de 2022.

Porto Editora – Comércio na Idade Média na Infopédia. Porto: Porto Editora. Disponível em . Acessado em 6 de março de 2022.

sem autor. Câmaras privadas são aliadas dp TJMG na resolução de conflitos empresariais. 2021. Disponível em . Acessado em 6 de março de 2022.

sem autor. CGJ cria projeto-piloto de mediação em renegociações de dívidas em empresas. 2020. Disponível em . Acessado em 16 de março de 2022.

sem autor. TJMG, Federaminas e CACB firmam convênio inédito no Brasil para facilitar medicação de conflitos empresariais. 2021. disponível em . Acessado em 28 de fevereiro de 2022.

SILVA, Daniel Neves. Idade Moderna. Mundo Educação. “sem data”. Disponível em . Acessado em 22 de fevereiro de 2022.

SILVA, Edison Ferreira da. Breve História da Mediação no Mundo. sem data. Disponível em . Acessado em 5 de março de 2022.

SOLBERG, Tomaz. Mediação em grande causa. (sem data). Disponível em . Acessado em 2 de abril de 2022.

TARTUCE, Fernanda. Mediação nos conflitos civis. 4ª ed., rev., atual. e ampl. – Rio de Janeiro: Forense. São Paulo. método. 2018. Disponível em . Acessado em 24 de março de 2022.

TJMG. Câmaras Privadas de Conciliação e Mediação. Disponível em . Acessado em 20 de fevereiro de 2022.
Publicado
03-05-2023
Como Citar
Souza, E. V. das M., & Alves, E. J. (2023). A REALIDADE DA MEDIAÇÃO EMPRESARIAL E A SUA BAIXA ADESÃO NAS RELAÇÕES COORPORATIVAS NOS PEQUENOS E MÉDIOS CENTROS URBANOS. Virtuajus, 8(14), 311-323. https://doi.org/10.5752/P.1678-3425.2023v8n14p311-323