UM ESTUDO COMPARATIVO DAS RUPTURAS E CONTINUIDADES NA CONCEPÇÃO DE JUSTIÇA EM HUMANO DEMASIADO HUMANO E GENEALOGIA DA MORAL

  • Samuel Procópio Menezes de Oliveira Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Justiça, Humano Demasiado Humano, Genealogia da Moral

Resumo

O presente estudo tem como objetivo investigar as rupturas e continuidades na concepção de justiça nietzschiana a partir de duas obras, quais sejam: Humano Demasiado Humano e Genealogia da Moral. Por rupturas, entende-se os aspectos dissonantes entre as duas obras e por continuidades os aspectos consoantes ou convergentes. Pretende-se, com a investigação empreendida, verificar se é possível apreender um caráter normativo e não só meramente descritivo da noção de justiça em Nietzsche. Justifica esta pesquisa o fato de que as conexões entre Nietzsche, justiça, Direito e normatividade não podem mais serem vistas como fato surpreendente para os pesquisadores. Os temas que gravitam no entorno dessa discussão são abundantes, como é o caso do abolicionismo penal, da democracia e da desigualdade entre os homens, dentre outros. O método utilizado neste trabalho é precisamente o método de revisão bibliográfica, pois com este poderá ser possível realizar um detido estudo comparativo com vistas a qualitativamente debruçar-se diante da argumentação nietzschiana sobre a justiça em períodos distintos de sua produção bibliográfica. Sendo assim, conclui-se que existem pontos extremamente convergentes entre as obras Humano Demasiado Humano e Genealogia da Moral, como, por exemplo, o equilíbrio de forças e o conflito de interesses. Porém, existem também pontos em oposição, como a normatividade e o Direito como centro de gravidade da justiça entre credor e devedor na obra Genealogia da Moral, situação inexistente nos instintos de autoconservação do homem explorados em Humano Demasiado Humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samuel Procópio Menezes de Oliveira, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais; Universidade Federal de Minas Gerais

Graduando em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais. Graduando em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Foi aluno do curso de Direito da Faculdade de Direito (Faculty of Law) da Universidade Católica Portuguesa.

Referências

BARBOSA, Karina Junqueira. A morte de Deus: Uma interpretação nietzscheana do realismo. 2002. Dissertação (Mestrado em Ciências Políticas) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Minas Gerais, [S. l.], 2002.

SEDGWICK Peter R., Nietzsche’s justice: naturalism in search of an ethics. 2013.

KIRKLAND, Paul E. Nietzsche ‘s tragic realism. The Review of Politics, [s. l.], p. 55-78, 2010

MEDINA, Pedro Pablo. Realismo Trágico de Nietzsche. Dissertação (Mestrado em Sociologia Política) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina. 2015.

NIETZSCHE, Friederich. Crepúsculo dos Ídolos. Trad: Paulo César de Souza. São Paulo: Cia das Letras, 2006.

NIETZSCHE, Friedrich. Genealogia da Moral (tradução de Paulo César de Souza). São Paulo: Companhia das Letras , 7ª reimpressão, 2007.

NIETZSCHE, Friedrich. Humano Demasiado Humano (tradução de Paulo Cezar de Souza). São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

QUELOZ. Matthieu. Nietzsche’s pragmatic genealogy of justice, British Journal for the History of Philosophy. 2017.

Publicado
20-04-2023
Como Citar
Oliveira, S. P. M. de. (2023). UM ESTUDO COMPARATIVO DAS RUPTURAS E CONTINUIDADES NA CONCEPÇÃO DE JUSTIÇA EM HUMANO DEMASIADO HUMANO E GENEALOGIA DA MORAL. Virtuajus, 8(14), 297-310. https://doi.org/10.5752/P.1678-3425.2023v8n14p297-310