CERTIFICADO DA JUSTIÇA TIPO ¨ISO¨ PARA REDUÇÃO DA LITIGÂNCIA HABITUAL

  • Vicente de Paula Maciel Junior Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
  • Rubens Goyatá Campante Universidade Federal de Minas Gerais
Palavras-chave: Litigância Habitual, BNDES, Empresas, Certificação ISO

Resumo

O objetivo deste trabalho é analisar as questões litigantes habituais e as causas que elevam o alto índice de congestionamento da justiça. O interessante deste trabalho reside na metodologia comparativa utilizada que relaciona os litigantes habituais com o aspecto econômico e o custo benefício resultando nas vantagens que os maiores litigantes obtêm com a administração do tempo do contencioso. Para ampliar a busca, os autores coletam dados no site do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e listam a empresa que mais recebeu recursos públicos. Os autores observam que os maiores litigantes são os mesmos maiores beneficiários do dinheiro público ao comparar as listas do período de 2006 a 2015 do Conselho Nacional de Justiça que mostra os 100 maiores litigantes com aquela lista dos maiores beneficiários do dinheiro público. Assim, questiona-se por que o Estado pode emprestar dinheiro público a grandes empresas que costumam descumprir decisões judiciais e retardar deliberadamente os processos judiciais. Os autores não se limitam à coleta de dados, pois vão além ao propor que o Estado assuma o papel da questão judicial para implementar políticas públicas com caráter de sanção premium, estimular as empresas a cumprirem espontaneamente a lei e decisões judiciais. Assim, formulam uma proposta interessante para a criação de uma certidão judicial, que seria proferida pelo Conselho Nacional de Justiça ou pelo órgão jurisdicional máximo dos diversos setores da Justiça Especializada. Esse certificado seria uma espécie de ISO. A certidão seria um documento obrigatório de apresentação para contratação com o Governo, para que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, bancos públicos, União, Estados e Municípios não contratem ou emprestem dinheiro público a empresas que constam da lista de litigantes habituais repetidamente e por anos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vicente de Paula Maciel Junior, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais

Doutor em Direito Comercial pela Universidade Federal de Minas Gerais; Pós-doutor pela Università di Roma (La Sapienza); professor de Direito Processual dos cursos de graduação e pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais desde 2000; Desembargador Federal do Trabalho do TRT da 3ª Região; vencedor do prêmio INNOVARE 2021 na categoria juiz, com a prática: Processo Coletivo Eletrônico.

Rubens Goyatá Campante, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutor em Sociologia Política e Mestre em Ciências Políticas pela Universidade Federal de Minas Gerais, tendo defendido tese sobre o conceito de patrimonialismo, desde sua gênese na sociologia weberiana até seu uso por boa parte de intelectuais brasileiros como chave explicativa de interpretação do Brasil; Pesquisador do Centro de Estudos Republicanos Brasileiros (Cerbrás); Pesquisador da Escola Judicial do TRT3. Autor de diversos artigos, livros e publicações.

Referências

ALÉM, Ana Cláudia; GIAMBIAGI, Fábio (Org.). O BNDS em um brasil em transição. Rio de Janeiro: BNDS, 2010.

BARBOSA, Cláudia M. (Coord.). Demandas repetitivas relativas ao sistema de crédito no Brasil e propostas para sua solução. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR), 2010.

BRASIL. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES. Disponível em:http://bndes.gov.br/wps/portal/site/home/quem-somos/responsabilidade-social-e-ambiental/o-que-fazemos/relacionamento-clientes/. Acesso em 16 dez. 2016.

BNDES. Disponível em :http://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/transparência/.Acesso em 14 fev.2017.

Conselho Nacional de Justiça – CNJ. Disponível em: http://www.cnj.jus.br/images/pesquisasjudiciarias/pesquisa_100_maiores_litigantes.pdf.Acesso em: 15 out.2014.

BRASIL. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Disponível em: http://www.bndes.gov.br/wps/portal/site/home/transparencia/consulta-operacoes-bndes/consulta-a-operacoes-bndes/.

CAMPANTE, Rubens Goyatá; MACIEL JÚNIOR, Vicente de Paula. Litigância habitual e política pública de regulação trabalhista. Belo Horizonte: Globalprint, 2017.

CAMPANTE, Rubens Goyatá. Patrimonialismo no Brasil: corrupção e desigualdade. Curitiba: CRV, 2019.

CAPPELLETTI, Mauro; GARTH, Bryan. Acesso à Justiça. Porto alegre: Fabris, 1988.

DURKHEIM, Émile. Da divisão do trabalho social. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GABBAY, Daniela M.; CUNHA, Luciana G. Litigiosidade, morosidade e litigância repetitiva no judiciário: uma análise empírica. São Paulo: Saraiva, 2012 (Coleção direito, desenvolvimento e justiça – série produção científica).

ISO. INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARTIZATION. About ISO. Disponível em : https://www.iso.org/about-us.html. Acesso em: 1º ago.2017.

ISO. ISO 9000 – Quality Management. Disponível em: https://www.iso.org/iso9001-quality-management.html. Acesso em 1º ago.2017.

ISO. Quality management systems – Particular requirements for the application of ISO 9001:2008 for electoral organizations at all levels of government. Disponível em : https://www.iso.org/standard/60045.html. Acesso em 1º ago.2017.

MACIEL JÚNIOR, Vicente de Paula. Teoria das ações coletivas: as ações coletivas como ações temáticas. São Paulo: Ltr, 2006.

WORLD BUSINESS COUNCIL FOR SUSTAINABLE DEVELOPMENT (WBCSD). About us – Overview. Disponível em: http://www.wbcsd.org/Overview/About-us. Acesso em 01 ago. 2017.

WORLD BUSINESS COUNCIL FOR SUSTAINABLE DEVELOPMENT (WBCSD). Corporate Social Responsability apud CASTKA, Pavel; BALZAROVA, Michaela A. “ISO 2600 and supply chains – On the difusion of the social responsability standard” International Journal o Production Economics, vol. 111, issue 2, February 2008, p. 276.

MATTEI, Ugo; NADER, Laura. Quando o Estado de Direito é ilegal. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2013.
Publicado
26-04-2023
Como Citar
Maciel Junior, V. de P., & Campante, R. G. (2023). CERTIFICADO DA JUSTIÇA TIPO ¨ISO¨ PARA REDUÇÃO DA LITIGÂNCIA HABITUAL . Virtuajus, 8(14), 155-173. https://doi.org/10.5752/P.1678-3425.2023v8n14p155-173