IMPACTOS DO NEUROMARKETING NA VULNERABILIDADE DO CONSUMDOR

Palavras-chave: Direito do Consumidor, Neuromarketing, Vulnerabilidade

Resumo

A aplicação da neurociência à pesquisa de marketing deu origem ao neuromarketing, voltado a compreender como o cérebro reage à publicidade. O objetivo do trabalho é esclarecer o que é neuromarketing e analisar suas potencialidades e limitações, a fim de entender como ele impacta na vulnerabilidade do consumidor. Para tanto, adota-se o método dedutivo e pesquisa qualitativa e exploratória. Os resultados da pesquisa apontam que muito da crítica se baseia em especulações que desconsideram as limitações da técnica. Os resultados obtidos pelo neuromarketing apenas indicam probabilidades de comportamento, bem como não existe respaldo científico para afirmar que ele possibilite qualquer tipo de controle sobre o consumidor, seja de suas vontades ou ações. Entretanto, ele agrava o desequilíbrio informacional da relação de consumo, tem alto potencial manipulador e fomenta o consumismo, o que o tornam um instrumento para agravar a vulnerabilidade, passível de ser controlado e regulamentado no panorama científico, ético e legal.

Biografia do Autor

Mariele Zoratto, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, na área de concentração Direito Socioambiental e Sustentabilidade. Advogada.

Antônio Carlos Efing, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Possui graduação em DIREITO pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (1989), mestrado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1996) e doutorado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2000). Atualmente é professor titular da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Tem experiência na área de Direito, com ênfase em Direitos coletivos, atuando principalmente nos seguintes temas: Direito do Consumidor, Código de Defesa do Consumidor, Direito e Tecnologia, Consumo e Meio Ambiente, Consumo consciente e sustentável, contratos, contratos eletrônicos, segurança jurídica nos contratos celebrados via internet, Novas tecnologias e Direito.

Publicado
09-12-2020
Seção
Direito e Democracia na sociedade contemporânea