O USO DO FACEBOOK PELAS OPERADORAS DE SAÚDE BRASILEIRAS PARA ESTRATÉGIAS DE PROMOÇÃO DA SAÚDE: UMA REFLEXÃO FILOSÓFICA ACERCA DA RELAÇÃO HOMEM E MÍDIA.

Palavras-chave: Promoção da saúde, Facebook, Interatividade, Internet, Operadoras de planos de saúde, homem midiatizado

Resumo

O presente artigo busca discutir o uso do Facebook  pelas operadoras de saúde brasileiras para as estratégias de promoção da saúde, indicando a necessidade de suplantação do paradigma informacional tradicional, como possibilidade de que essas organizações colham maiores benefícios do investimento, não trivial, nos Sites de Redes Sociais. Como tal, sugere aí grandes oportunidades a serem exploradas pelas operadoras, em alavancar o relacionamento e a interação com os sujeitos explorando, cada vez mais, o potencial do Facebook em prol da promoção da saúde individual e da sociedade. Estudos demonstram o notável alcance dessa rede social no compartilhamento de informações, na construção de comunidades e em prol da ação de mídia. Para tanto, é necessário que essas operadoras estejam atentas à necessidade de adoção de um modelo comunicacional mais efetivo e que seja sinérgico à interatividade latente nas mídias sociais, caracterizado pelo paradigma da interatividade e construção conjunta de conhecimentos. Dadas essas conclusões do presente estudo, no entanto, ainda são necessárias maiores reflexões que sustentem essa afirmativa, na medida da profundidade da discussão, sobre um tema tão complexo. Assim, sugerem-se mais estudos tendo em vista como esse fenômeno pode contribuir para tais objetivos de promoção de saúde, aqui tratados. Desse modo, a reflexão filosófica buscará possibilidades que sustentem tal prática, sob a ótica do paradigma do homem globalizado e sua interface com a saúde digital propagada pelas maiores operadoras de saúde brasileiras.

Biografia do Autor

Paola Lanzalotta Marcelino, Universidade Fernando Pessoa
Sou graduada em enfermagem, especialista em gestão em saúde pela Fundação Getúlio Vargas, mestre em gestão empresarial pela UTAD e doutoranda em ciências da informação na Universidade Fernando Pessoa. Diretora executiva - IS1 - Inteligência em Saúde, com conhecimento em gestão dos serviços de saúde (foco na saúde suplementar) e nas ações e programas de promoção da saúde e em gestão empresarial (foco em custos e geração de vantagens competitivas). Meus esforços, atualmente, estão direcionados para área acadêmica e para a produção científica visando ampliar minha experiência e qualidade como docente.
Jorge Pedro Sousa, Universidade Fernando Pessoa

Sou professor catedrático e investigador da Universidade Fernando Pessoa e do Centro de Investigação Media & Jornalismo. Tenho 48 anos. Interesso-me por teoria e história do jornalismo, produtos jornalísticos e produção jornalística. A minha pesquisa mais recente incide na história da introdução do jornalismo em Portugal e na análise dos primeiros dispositivos jornalísticos e pré-jornalísticos portugueses, bem como na recuperação da história da teorização do jornalismo em Portugal.

http://jorgepedrosousa.ufp.edu.pt


Mozahir Salomão Bruck

Concluiu o Doutorado em Literaturas de Língua Portuguesa em 2008 (com Bolsa Sanduíche pela Universidade Nova de Lisboa,) e o Mestrado em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2000. Atualmente é Professor Adjunto I da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, onde leciona no Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social e no Curso de Graduação em Jornalismo. Publicou um livro sobre Radiojornalismo, outro sobre Biografias e Literatura e Organizou a Coletânea Interações Plurais. Participou de 28 eventos nacionais e 7 Internacionais. Atua na área de Comunicação, com Ênfase em Jornalismo e Radiodifusão. Em seu Currículo Lattes os termos mais frequentes na Contextualização da Produção Científica, Tecnológica e Artístico-Cultural são: Radiodifusão, Radiodifusão – Aspectos Sociais, Radiojornalismo – Linguagens e Radiojornalismo – Aspectos Sociais, Teoria Do Jornalismo, Narrativas Jornalísticas e Biografias. Juntamente com o Prof.Carlos Alberto De Carvalho lançou em 2012 o livro Jornalismo: Cenários E Encenações. Atualmente é Secretário de Comunicação da PUC Minas.
Programa de Pós-graduação stricto sensu em Comunicação Social, Jornalismo Coração Eucarístico. 
Lattes: http://lattes.cnpq.br/1672186596294004
Publicado
13-08-2016
Como Citar
Marcelino, P. L., Sousa, J. P., & Bruck, M. S. (2016). O USO DO FACEBOOK PELAS OPERADORAS DE SAÚDE BRASILEIRAS PARA ESTRATÉGIAS DE PROMOÇÃO DA SAÚDE: UMA REFLEXÃO FILOSÓFICA ACERCA DA RELAÇÃO HOMEM E MÍDIA. Sapere Aude, 7(13), 404-420. https://doi.org/10.5752/P.2177-6342.2016v7n13p404
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT