AS PALAVRAS E AS COISAS: UMA HISTÓRIA DO PENSAMENTO QUE NOS AJUDA A ENTENDER A EMERGÊNCIA DA QUESTÃO DO SUJEITO NA FILOSOFIA MODERNA

  • Luama Socio USP
Palavras-chave: História, Pensamento, Sujeito, Discurso, Linguagem

Resumo

Através de uma análise histórica do desenvolvimento do pensamento ocidental no contexto das línguas francesa e inglesa, tendo como ponto de partida uma reflexão aprofundada sobre o século XVIII, a obra de Foucault, “As Palavras e as Coisas”, nos faz entender que a raiz do pensamento moderno repousa na linguagem como extensão dos próprios modos de funcionamento da mente humana e de seus sujeitos. A linguagem não é apenas representação, no sentido de espelho ou expressão do mundo percebido. Foucault irá performatizar essa questão com seu próprio discurso, realizando nitidamente um método que podemos classificar de “kantiano” , em que o procedimento geral da comparação, como movimento básico do funcionamento das categorias mentais, aparece como expediente organizacional, tanto do discurso de Foucault, quanto como sub-tema do material analisado. Essa história do pensamento nos ajuda a entender  a questão da emergência do sujeito na filosofia moderna.

Biografia do Autor

Luama Socio, USP
Luama Socio é doutora em Filosofia pela USP, mestre em Teoria Literária pela UNESP, graduada em Letras pela UNESP. Seu doutorado, defendido em Novembro de 2015, aborda a filosofia empírica e imaterialista de George Berkeley sob o ângulo da filosofia da linguagem como elemento de alternativa crítica no âmbito da teoria do conhecimento.
Publicado
21-06-2016
Como Citar
Socio, L. (2016). AS PALAVRAS E AS COISAS: UMA HISTÓRIA DO PENSAMENTO QUE NOS AJUDA A ENTENDER A EMERGÊNCIA DA QUESTÃO DO SUJEITO NA FILOSOFIA MODERNA. Sapere Aude, 7(13), 58-69. https://doi.org/10.5752/P.2177-6342.2016v7n13p58
Seção
ARTIGOS/ARTICLES: DOSSIÊ/DOSSIER