"A MÃE-LOBA", DE MARIA ISABEL BARRENO: UMA LEITURA

  • Gabriela Araújo Medeiros PUC Minas
Palavras-chave: Ironia. A mãe-loba. maria Isabel Barreno. Leitura e Psicanálise. Linguagem. Sigmund Freud.

Resumo

Para analisar o conto de Maria Isabel Barreno "A mãe-loba", o trabalho pretende fazer uma aproximação entre Literatura e Psicanálise, toman­do a ironia  como  uma categoria  principal, já que esta revela um para além dos sentidos, denunciando a condição do sujeito  da linguagem, do sujeito  do inconsciente, assim como  a condição da própria  lingua­gem. Condição esta que está diretamente relacionada  a uma sobrede­terminação, em que os significantes não são suficientes para dizer por inteiro, para dizer tudo: ao dizer, diz-se mais do que se quer  dizer, se­ não o seu contrário. Dessa maneira, a fiada implica em um fiar e desfi­ar, para assim propiciar  uma nova tessitura... seja de uma  nova estória, ou uma nova história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALAIN-MILLER, Jacques. O piropo: psicanálise e linguagem. In: Percurso de La­can. Conferencias Caraquenhas. 2. ed. Trad. Ari Roitman. Rio de Janeiro: Zahar, 1984. p. 27-39.

BARRENO, Maria Isabel. A mãe-loba. In: O círculo virtuoso. Lisboa: Caminho, 1986. p. 45-70.

FREUD, Sigmund. Totem e tabu e outros trabalhos. Edição Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1980. v. XIII.

LACAN, Jacques. O seminário sobre ''A carta roubada". In: Escritos. Trad. Vera Ri­beiro. Rio de Janeiro: Zahar, 1998. p. 13-66.

Publicado
11-05-2017
Como Citar
Medeiros, G. A. (2017). "A MÃE-LOBA", DE MARIA ISABEL BARRENO: UMA LEITURA. Cadernos CESPUC De Pesquisa Série Ensaios, 1(12), 35-46. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoscespuc/article/view/14739