Realismo afetivo em Predadores

Palavras-chave: realismos, literatura angolana, política, narrador, ironia

Resumo

Neste breve estudo, investigamos sobre a expressão do que é denominado realismo afetivo, no romance Predadores, do angolano Pepetela. Primeiramente, percebemos que ao expor as desigualdades da sociedade angolana, Predadores cria, no espaço da literatura, uma democracia literária sobre a qual teoriza Rancière, ao dar espaço as diversas histórias e a personagens de diferentes extratos sociais. Nesse cenário, entendemos que o “realismo afetivo”, teorizado por Schøllhammer (2012), se expressa numa forma de economia descritiva, ou de “redução radical do descritivo”, o que se adequa ao romance analisado. Consideramos que os efeitos sensitivos só são produzidos no romance por essa ser uma obra de verdadeira democracia literária, no sentido dado por Rancière. O encontro de um “efeito de igualdade” que se expressa como um “realismo sensitivo” acontece quando entendemos que estamos diante é um romance de caráter meta-reflexivo. Assim, o estudioso dinamarquês destaca que a reflexibilidade da arte e da literatura no século XX expressa a realidade da própria obra que volta para si mesma e a cisão que existe entre a realidade e sua representação. Não se trata mais de discutir o que é real ou realidade ou verdadeiro, mas do que pode ser experimentado como tal. É isto que o romance do escritor angolano possibilita percebê-lo como uma interface com a realidade.

Biografia do Autor

Alice Botelho Peixoto, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais
Doutoranda em literaturas de língua portuguesa na PUC Minas, bolsista CAPES. Mestre em literaturas de língua portuguesa pela PUC Minas (2016), com bolsa CAPES, sob orientação da professora doutora Maria Nazareth Soares Fonseca, apresentou a dissertação sobre a obra Predadores, do angolano Pepetela. Possui mestrado (maîtrise) em Letras (Literatura Francesa) pela Université de Toulouse II - Le Mirail (2011), sob orientação de Catherine Mazauric, apresentou a dissertação sobre a obra do escritor franco-jibutiano Abdourahman Waberi, que analisa as representações do nomadismo e do exílio, no contexto do mundo poscolonial africano, e a formação de identidades transnacionias. Possui graduação (licence) em Letras pela mesma universidade (2010) e graduação em Comunicação Social, especialização em Jornalismo, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2004). Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Jornalismo Especializado.

Referências

DUTRA, Robson Lacerda. Pepetela e a elipse do herói. 210f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Coordenação de Pós-Graduação em Letras Vernáculos, Rio de Janeiro, 2007. Disponível em <http://www.letras.ufrj.br/posverna/doutorado/DutraRL.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2015.

FOSTER, Hall. The return of the real. Cambridge: MIT, 1996.

LACAN, Jaques. Les quatre concepts fondamentaux de la psychanalyse. Le Séminaire. Livre XI. Texte établi par Jacques-Alain Miller. Éditions du Seuil, 1973. Collection Essais – Points.

MATA, Inocência. Narrando a nação: da retórica anticolonial à escrita da história. In: PADILHA, Laura Cavalcante; RIBEIRO, Margarida Calafate (Orgs.). Lendo Angola. Porto: Edições Afrontamento, 2008.

PEIXOTO, Alice Botelho. Predadores: a crônica de uma nação. 2016 76 f. Dissertação (Mestrado) - Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Programa de Pós-Graduação em Letras. Disponível em: http://www.biblioteca.pucminas.br/teses/Letras_PeixotoAB.pdf> Acesso em: 9 ago. 2017.

PELLEGRINI, Tânia. Apresentação. Realismos: modos de usar. Estudos de literatura brasileira contemporânea, n. 39, p. 11-17, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2316-40182012000100001&lng=pt&nrm=iso> Acesso em: 15 dez. 2015.

PELLEGRINI, Tânia. Realismo: a persistência de um mundo hostil. Revista brasileira de literatura comparada. n. 14, p. 11-36, 2009. Disponível em: <http://www.abralic.org.br/revista/2009/14/63/download> Acesso em: 10 jul. 2014.

PEPETELA, Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos. Predadores. Rio de Janeiro: Língua Geral, 2008.

RANCIÈRE, Jacques. O efeito de realidade e a política da ficção. Tradução de Carolina Santos. Novos estudos CEBRAP, São Paulo, n. 86, p. 75-90, mar. 2010.

RITUAL de iniciação mata 32 rapazes: mais de 150 pessoas foram hospitalizadas, a maior parte com infecções devido a circuncisões mal feitas. Rede Angola, Agência Lusa, 22 set. 2015. Internacional. Disponível em: <http://www.redeangola.info/ritual-de-iniciacao-mata32-rapazes/> Acesso em: 22 set. 2015.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Realismo afetivo: evocar realismo além da representação. Estudos de literatura brasileira contemporânea, n. 39, jan./jun. 2012, p. 129-148.

Publicado
12-04-2018
Como Citar
Botelho Peixoto, A. (2018). Realismo afetivo em Predadores. Cadernos CESPUC De Pesquisa Série Ensaios, (32), 35-43. https://doi.org/10.5752/P.2358-3231.n32p35-43
Seção
Realidade, realismo e novos realismos