Ethos e vozeamentos

  • Fernanda Santana Gomes PUC Minas
Palavras-chave: Ethos, Dialogismo, Polifonia, Alteridade, Responsividade discursiva

Resumo

O estudo consiste em uma análise discursiva da música Carta à mãe África, de Genival Oliveira Gonçalves. Com proeminente teor crítico social, o discurso remete ao racismo, de ontem e hoje, e à escravidão do negro ocorrida no passado de nosso país, mas que no presente ainda deixa transparecer marcas de opressão e violação dos direitos humanos. O principal objetivo é examinar como se constitui o ethos discursivo do enunciador. Dessa forma, busca flagrar os aspectos linguístico-discursivos do texto como interdiscursividade, processos de metaforização, jogos antitéticos e semióticos, responsividade discursiva, ativação de auditórios e construção, mobilização e projeção do ethos discursivo. O estudo baseia-se, principalmente, nas concepções teóricas de Bakhtin (2002, 2003, 2014) sobre dialogismo e polifonia e nas noções de ethos cunhadas por Aristóteles (2015) e Maingueneau (2008a, 2008b). Procedendo à análise, tornou-se possível perceber a atividade discursiva do enunciador, observar como se posiciona enunciativamente, instaurando e articulando movimentos dialógicos, a fim de mobilizar o auditório e legitimar o seu discurso. Sendo assim, foi possível perceber como se dá a construção e projeção do seu ethos discursivo.

Publicado
02-12-2020
Como Citar
Gomes, F. S. (2020). Ethos e vozeamentos. Cadernos CESPUC De Pesquisa Série Ensaios, (37), 45-65. https://doi.org/10.5752/P.2358-3231.2020n37p45-65