O Sol, a serpente e o leão: saúde e política nas dissertações acadêmicas de Luís Siqueira Gama (1724-1725)

Palavras-chave: História, Política, Sociedade, Cultura

Resumo

No âmbito da Academia Brasílica dos Esquecidos, sediada na cidade de Salvador entre 1724 e 1725, foi elaborada uma série de dissertações históricas, as quais deveriam subsidiar, com relatos sobre o Brasil, a escrita de uma história do Império Português e de seus domínios. Essas dissertações foram divididas - segundo o modelo clássico - em história política, eclesiástica, natural e militar. O bacharel em direito Luís Siqueira da Gama foi designado para a elaboração das dissertações acerca da história política do Brasil. No presente estudo, analisamos sua décima dissertação, "de um maravilhoso caso, e apótema célebre devidamente ponderado nas histórias do Brasil", problematizando as representações da monarquia em função de tópicas retóricas relativas ao corpo humano e à noção de saúde. O letrado desenvolveu sua argumentação a partir de cinco tópicas retóricas, valendo-se de textos e emblemas modernos, cotejados com escritos de pensadores antigos. Seu discurso, ao mesmo tempo em que louva a imagem do Vice-Rei Vasco Fernandes César de Menezes, aponta concepções filosóficas e políticas relevantes para a sua época, no que se estabelece uma relação entre as ideias de saúde individual e de saúde coletiva.

Biografia do Autor

Marcelo Kochenborger Scarparo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Mestrado em História Social pela Universidade de São Paulo, Brasil(2015)
Técnico em Assuntos Educacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul , Brasil

Referências

ARISTÓTELES. Retórica. Lisboa: Imprensa Nacional; Casa da Moeda, 2005.

BLOCH, Marc. Os Reis Taumaturgos. O Caráter Sobrenatural do Poder Régio. França e Inglaterra. São Paulo: Cia. das Letras, 1999.

BLUTEAU, Raphael. Vocabulário Portuguez e Latino. v. 5. Lisboa: Oficina de Pascoal da Sylva, 1716.

BLUTEAU, Raphael. Vocabulário Portuguez e Latino. v. 7. Lisboa: Oficina de Pascoal da Sylva, 1720.

CALAFATE, Pedro. A Ideia de Natureza no Século XVIII em Portugal (1740-1800). Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1994.

CERVANTES SAAVEDRA, Miguel de. El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de la Mancha. Toledo: Empresa Pública Don Quijote de La Mancha, 2005

FOUCAULT, Michel. As Palavras e as Coisas. Petrópolis: Vozes, 1999.

GAMA, Luís Siqueira da. "Dissertação Décima: de um maravilhoso caso, e apótema célebre devidamente ponderado nas histórias do Brasil". In: CASTELLO, José Aderaldo. O Movimento Academicista no Brasil, v. 1, tomo 5. São Paulo: Conselho Estadual de Cultura, 1969, p. 125-138.

HALBWACHS, Maurice. A Memória Coletiva. São Paulo: Ed. Centauro, 2004.

HARTOG, François. Régimes d'historicité: présentisme et expériences du temps. Paris: Seuil, 2003.

HENRY, John. A Revolução Científica e as origens da ciência moderna. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1998.

KANTOR, Iris. Esquecidos e Renascidos: historiografia acadêmica luso-americana (1724-1759). São Paulo: Hucitec, 2004.

KANTOROWICZ, Ernest H. Os Dois Corpos do Rei – Um estudo sobre teologia medieval. Rio de Janeiro: Cia das Letras, 2000.

MACHADO, R. "Linguagem e Literatura". In:_______. Foucault, a Filosofia e a Literatura. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001. p. 139-175.

MOTA, Isabel Ferreira da. A Academia Real de História: os intelectuais, o poder cultural e o poder monárquico no século XVIII. Coimbra: Minerva, 2003.

POLLACK, Michael. Memória e Identidade Social. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, 1992, p. 200-212.

RIBEIRO, Márcia Moisés. A Ciência dos Trópicos: A arte médica no Brasil do Século XVIII. São Paulo, Hucitec, 1999.

SERRÃO, Joaquim Veríssimo. A Historiografia Portuguesa. v.1. Lisboa: Editorial Verbo, 1974.

SILVA, Taíse T. Quadros. “Poder e episteme na erudição histórica do Portugal setecentista: uma abordagem do programa historiográfico da Academia Real de História Portuguesa (1720-1721). História da Historiografia. Ouro Preto, n. 3, setembro de 2009.

THOMAS, Keith. O Homem e o Mundo Natural: mudanças de atitude em relação às plantas e aos animais (1500-1800). São Paulo: Cia das Letras, 2010.

TOMAS DE AQUINO. "Do reino ou do governo dos príncipes ao Rei de Chipre". In: Escritos Políticos de Santo Tomás de Aquino. Petrópolis: Vozes, 1995.

Publicado
05-09-2020
Como Citar
Scarparo, M. K. (2020). O Sol, a serpente e o leão: saúde e política nas dissertações acadêmicas de Luís Siqueira Gama (1724-1725). Cadernos De História, 21(33), 16. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/cadernoshistoria/article/view/18366
Seção
TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT - ARTIGOS/ARTICLES