“No Candomblé de antigamente”: nostalgia e autenticidade reclamada em terreiros de Salvador

  • João Ferreira Dias Investigador Associado do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa – Grupo Mundos Novos e Conexões Mundiais.
Palavras-chave: Candomblé. Salvador. Nostalgia. Memória. Autenticidade. Perda cultural. Passado composto.

Resumo

O presente artigo trata do lugar da nostalgia em terreiros históricos de Salvador da Bahia, avaliando seu impacto na vivência cotidiana e nas narrativas de autenticidade, reconhecendo que o sentimento nostálgico não se aparta de um pressuposto de perda cultural ao colocar o passado glorioso na balança com o presente desregrado. A memória instituída surge, então, como bengala em narrativas de poder e legitimidade. A saudade do outrora nunca é isenta de intenções particulares de autenticidade. Intenta-se, assim, saber o alcance político da nostalgia em que ideias de “passado composto” e saudade se entrelaçam em clássicos pressupostos de “tradição”, sem com isso deixarem de oferecer outra leitura do conceito.

Biografia do Autor

João Ferreira Dias, Investigador Associado do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa – Grupo Mundos Novos e Conexões Mundiais.

Doutor em Estudos Africanos pelo Instituto Universitário de Lisboa. Investigador Integrado ao Centro de Estudos Internacionais do ISCTE-IUL. Investigador Associado do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa – Grupo Mundos Novos e Conexões Mundiais.

Referências

AQUINO, Cássio Adriano Braz; MARTINS, José Clerton de Oliveira. Ócio, lazer e tempo livre na sociedade do consumo e do trabalho. Revista Mal Estar e Subjetividade, v. 7. N.2, p. 479-500, 2007.

BASTIDE, Roger. Mémoire collective et sociologie du bricolage. L'Année sociologique, 21, p. 65-108, 1970.

BASTIDE, Roger. Les Religions africaines au Brésil. Paris: Presses Universitaires de France, 1960.

BAUDRILLARD, Jean. A Sociedade de Consumo. (Trad. Artur Mourão). Lisboa: Edições 70, 2008.

BENEVIDES, Maria Victória. Ai que saudade do MDB!. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, v. 3., n.1, p.27-34, 1986.

BERLINER, David; SARRÓ, Ramón. Learning Religion: Anthropological Approaches. Oxford/Nova Iorque: Berghahn Books, 2007.

BORA, Zélia M. Memórias da religião: Mãe Zozó, passado e presente no candomblé baiano <http://www.revisor10.com.br/24h/pessoa/temp/anexo/1/136/132.pdf>, 2007, acessado em 22 de janeiro de 2017.

CARVALHO, José Jorge de. “A Força da Nostalgia”. A Concepção de Tempo Histórico dos Cultos Afro-Brasileiros Tradicionais. Religião e Sociedade, v.14, n.2, p. 37-61, 1987.

CASTILLO, Lisa Earl. Bamboxê Obitikô e a expansão do culto aos orixás (século XIX): uma rede religiosa afroatlântica. Tempo, v. 22, n. 39, p.126-153, 2016.

CASTILLO, Lisa Earl; NICOLAU PARÉS, Luís. Marcelina da Silva e seu mundo: novos dados para uma historiografia do candomblé ketu. Afro-Ásia, 36, p.111-151, 2007.

CONSORTE, Josildeth Gomes. Em torno de um manifesto de ialorixás baianas contra o sincretismo. In: BACELAR, Jéferson, e Carlos CAROSO. Faces da Tradição Afro-Brasileira: religiosidade, sincretismo, anti-sincretismo, reafricanização, práticas terapêuticas, etnobotânica e comida. Rio de Janeiro/Salvador: Pallas Editora, p. 71-91, 1999.

BOYM, Svetlana. The future of nostalgia. Nova Iorque: Basic Books, 2001.

CAPONE, Stefania. Re-Africanisation in Afro-Brazilian religions: rethinking religious syncretism. In: ENGLER, S. e SCHMIDT (eds.), The Brill Handbook of Contemporary Religions in Brazil. Leiden: Brazil, p. 473-488, 2016.

CAPONE, Stefania. O pai-de-santo e o babalaô: interação religiosa e rearranjos rituais na religião dos orishas. Revista Pós Ciências Sociais, v.8, n.16, pp. 107-128, 2011.

CAPONE, Stefania. A Busca da África no Candomblé - Tradição e Poder no Candomblé. Rio de Janeiro: Pallas, 2004.

DANTO, Arthur. Analytical Philosophy of History. Cambridge: Cambridge University Press, 1965.

DA COSTA LIMA, Vivaldo. O candomblé da Bahia na década de 1930. Estudos Avançados, v. 18, n. 52, p. 201-221, 2004.

DA COSTA LIMA, Vivaldo. A família-de-santo nos candomblés jeje-nagôs da Bahia: um estudo de relações intra-grupais. Dissertação de Mestrado em Ciências Humanas, UFBA, 1977.

ELHAJJI, Mohammed. Memória coletiva e espacialidade étnica. Galáxia, v.2, n.4, p. 177-191, 2007.

ESTEVES CARDOSO, Miguel. Misticismo e ideologia no contexto cultural português: a saudade, o sebastianismo e o integralismo lusitano. Análise Social, v. XVIII (72-73-74), p. 1399-1408, 1982.

EUGÊNIO, Rodnei William. A bênção aos mais velhos – Poder e senioridade nos Terreiros de Candomblé. Dissertação de Mestrado em Gerontologia. São Paulo: PUC-SP.

FERREIRA DIAS, João. “A África é aqui, no terreiro”: horizontes nostálgicos, sentidos da África e outros lugares no Candomblé (jeje-nagô) de Salvador e Uberaba, Tese de Doutorado em Estudos Africanos, Lisboa: ISCTE-IUL, 2016c.

FERREIRA DIAS, João. “Candomblé é a África”. Esquecimento e Utopia no Candomblé jeje-nagô”, Cadernos de História, p. 64-82, 2016b.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Vértice/Revista dos Tribunais, p. 9-17, 1990.

HOBSBAWM, Eric. Introduction: Inventing traditions. In: HOBSBAWM, Eric & RANGER, Terrence (eds.). The Invention of Tradition. Cambridge, Cambridge University Press, p.1-14, 1983.

LANDES, Ruth. The city of women. EUA: UNM Press, 1947.

LEAL, João. The making of saudade. National identity and ethnic psychology in Portugal. In: DEKKER, T. & HELSLOOT, J. (eds), Roots and rituals. The construction of ethnic identities. Amsterdão: Het Spinhuis Publishers, p. 267-268, 2000.

LEGG, Stephan. Reviewing geographies of memory/forgetting. Environment and Planning, v. 39, p. 456-466, 2007.

LEGG, Stephan. Memory and nostalgia. Cultural Geographies, V. 11, p. 99-107, 2004.

MONTERO, Rosa. A Louca da Casa. Lisboa: Edições Asa, 2004.

NASCIMENTO, Adriano; MENANDRO, Paulo. Memória social e saudade: especificidades e possibilidades de articulação na análise psicossocial de recordações, Memorandum, v. 8, p. 5-19, 2005.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto História, 10, p. 7-28, 1993.

NORA, Pierre. Entre mémoire et histoire. Les lieux de mémoire, V.1, p. 23-43, 1984.

PICKERING, Michael; KEIGHTLEY, Emily. The Modalities of Nostalgia. Current Sociology, v. 56, p. 919-41, 2006.

POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio. Revista Estudos Históricos, v. 2, n.3, p. 3-15, 1989.

REIS, João José. De escravo a rico liberto: A trajetória do africano Manoel Joaquim Ricardo na Bahia oitocentista. Revista de História, 174, p.15-68, 2016.

SEDIKIDES, Constantine, et al. Nostalgia past, present, and future. Current Directions in Psychological Science, v.17, n.5, p. 304-307, 2008.

SILVEIRA, Renato da. O candomblé da Barroquinha: processo de constituição do primeiro terreiro baiano de keto. Salvador: Edições Maianga, 2006.

SODRÉ, Moniz. O terreiro e a cidade: a forma social negro-brasileira. Rio de Janeiro: Vozes, 1988.

SULEIMAN, Susan Rubin. Crises of Memory and the Second World War. Cambridge (EUA), Harvard University Press, 2006.

SULEIMAN, Susan Rubin. Amnesia and amnesty. Forgetting Institute of Romance Studies, School of Advanced Study, University of London, 2002.

TUAN, Yi Fu. Topofilia. Rio de Janeiro: DIFEL, 1980.

TRIAUD, Jean-Louis. Lieux de mémoire et passés composés. In: CHRÉTIEN, Jean-Pierre, and Jean-Louis TRIAUD (eds.). Histoire d'Afrique: les enjeux de mémoire. Paris: KARTHALA Editions, p. 9-12, 1999.

VIANNA, Carla Cristiane Martins. As impurezas da ditadura militar. Nau Literária v.1., n.1, p.1-14, 2005.

WILDSCHUT, Tim et. al., “Nostalgia”: content, triggers, functions. Journal of Personality and Social Psycology, v. 91, p. 975-993, 2006.

Publicado
30-05-2019
Seção
TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT - ARTIGOS/ARTICLES