Patriotas, mães e esposas: um estudo da representação das mulheres nos periódicos estudantis em São Paulo (1889-1930)

  • Renata Marcílio Cândido Unifesp
  • Milena Cacau de Carvalho Unifesp
Palavras-chave: História das estudantes, associações e grêmios estudantis, periódicas educacionais

Resumo

O artigo em tela apresenta os resultados da pesquisa realizada sobre a participação das mulheres nas organizações estudantis do ensino superior e profissionalizante no Estado de São Paulo entre o final do século XIX e o início do século XX. Para o desenvolvimento desta pesquisa, foi feito o levantamento dos periódicos produzidos por estes órgãos/associações, em seguida, empreendeu-se a análise temática destes documentos buscando identificar a participação das mulheres nestes colegiados, tanto de forma ativa assumindo cargos e autoria de textos, quanto de maneira indireta, sendo citadas nos artigos e na própria existência de “colunas femininas”. Deste modo, através das fontes documentais e bibliográficas, foi possível estabelecer duas categorias de análise: 1) textos produzidos sobre as mulheres 2) textos produzidos pelas mulheres, mas não necessariamente destinados a elas. Percebe-se que ao mesmo tempo em que as organizações estudantis eram incorporadas ao discurso de consolidação de espaços democráticos que ascendiam no contexto histórico e social, foram também palco de reproduções de valores e identidades ditas masculinas e/ou femininas.

Biografia do Autor

Renata Marcílio Cândido, Unifesp

Professora do do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Departamento de Educação da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH) da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Possui graduação em Pedagogia pela Universidade de São Paulo (2003), Mestrado em Educação (2007) e Doutorado em Educação (2012) pela mesma universidade. Atualmente coordena a Residência Pedagógica para Educação Infantil no âmbito do Curso de Pedagogia e integra o Grupo de Pesquisa 'História da Educação: Intelectuais, Instituições, Impressos" (Unifesp).Tem experiência na área de Educação, com ênfase em História da Educação e Tópicos Específicos da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: história da educação, cultura escolar, avaliação, festas escolares, práticas da vida escolar e uso dos uniformes. (Fonte: Currículo Lattes)

Milena Cacau de Carvalho, Unifesp

Graduação em Pedagogia - Unifesp

Referências

ACADEMICO, O. (1901-1904). Orgam Scientifico e Litterario dos alunos da Faculdade de Direito de São Paulo. N° 3-4. São Paulo.
ALVORADA, A. (1909). Orgam do gremio literário “Sílvio de Almeida”. N° 1. São Paulo.
ARAÚJO, Helena Costa. (1998). Em torno da cidadania e do gênero - a produção de discursos de educadores/as e mudança cultural: razões para um otimismo?. In: SOUZA, C. P. de; CATANI, D. B. (orgs.) Práticas Educativas, Culturas Escolares e Profissão Docente (pp. 41-50). São Paulo
ASPIRANTE, O. (1889). Folha imparcial, literária e noticiosa do orgam dos alumnos do externato Santo Antonio. N° 11. [Versão eletrônica]. São Paulo.
AURORA, A. (1903). Orgam de alumnos do Instituto Silvio Almeida. N° 2. São Paulo.
BEIJA-FLOR, O. (1899). Orgam da Escola Modelo Prudente de Moraes. N° 4. São Paulo.
BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. 4. ed. Rio de Janeiro: Bestbolso, 2017. Tradução Maria Helena Kuhner.
CARVALHO, Maria Eulina Pessoa de. Gênero, educação e ciência. In: MACHADO, Chaliton José dos Santos; SANTIAGO, Idalina Maria Freitas Lima e NUNES, Maria Lúcia da Silva (org.) Gêneros e práticas culturais: desafios históricos e saberes interdisciplinares. Campina Grande: EDUEPB, 2010. p. 231-.244.
CARVALHO, Marta Maria Chagas de. A Escola e A República e outros ensaios. 1. ed. Bragança Paulista: EDUSF, 2003. v. 1. 356p.
CATANI, Denice Bárbara; BASTOS, Maria Helena Camara. Educação em revista: a imprensa periódica e a história da educação. São Paulo. Escritutas, 1997.
; SOUSA, Cynthia Pereira de. (orgs.). Imprensa Periódica Educacional Paulista (1890-1996). São Paulo: Plêiade, 1999.
CHÂTEAU, J. Os grandes pedagogistas. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1978.
Condor, O (1903). Publicação produzida pelo Gymnasio Diocesano. São Paulo
CRUZ; HELOISA, F. C. (Org.) . São Paulo Em Revista: Catálogo de Publicações da Imprensa Cultural e de Variedades Paulistana -1870/1930. São Paulo: Arquivo do Estado/CEDIC/PUC/Imprensa Oficial, 1997.
ESTIMULO, O (1914). Revista do Grêmio Normalista 2 de Agosto. São Paulo.
ESTUDO, O. (1921-1933). Revista do órgão dos corpos docente e discente do Gymnasio Anglo-Latino (antiga Escola Guerreiro). N° 1-22. São Paulo.
FILHO, C. A. P. G. Escola de Primeiras Letras: o ensino público primário em Pernambuco durante a segunda metade do século XIX. Tese de Doutorado. Pernambuco: UFPE, 2016.
IDEA, A (1910). Órgão humorístico, literário e noticioso dos almnos do Gymnasio Macedo. São Paulo
JURITY, A. (1904). Publicação das alunas do 2º ano da Escola Complementar Caetano Campos. N° 1 e 2. [Versão eletrônica]. São Paulo.
LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, R. Da chibata ao magistério: a trajetória da educação feminina no Brasil patriarcal. São Paulo: Ática, 2001.
LIBERTAS. (1902). Instituto de Sciencias e Letras do Gymnasio de S. Paulo. N° 1. São Paulo.
LOURO, Guacira Lopes. Gênero e Magistério: identidade, história, representação. In: Catani, D; Bueno, B. O; Sousa, C. P de e Souza, M.C.C.C. Docência, Memória e Gênero: estudos sobre formação. São Paulo: Editora Escrituras, 1997, p. 7 -84.
LOURO, Guacira Lopes. Mulheres na sala de aula. In: PRIORE, Mary Del (Org.); PINSKY, Carla Bassanezi (Coord.). História das mulheres no Brasil. 9 ed. São Paulo: Contexto, 2004.
MACIEL, Laura Antunes. Produzindo notícias e histórias: algumas questões em torno da relação telégrafo e imprensa – 1880/1920. In: FRAGA, Andréa S. Imprensa estudantil e práticas de escrita e de leitura: a revista "O Estudo". Dissertação de Mestrado. Porto Alegre: PUCRS, 2012.
NÉVOAS. (1903). Revista literária publicada pelo centro normalista. N°6. São Paulo.
ONZE DE AGOSTO. (1903 – 1914). Orgão do Centro Acadêmico 11 de Agosto. São Paulo.
PERRENOUD, P. Ofício de aluno e sentido do trabalho escolar. Porto, Porto Editora, 1995.
PORVIR, O. (1902). Orgam dos alumnos externos do Instituto de Sciencias e Letras. N° 1 e 14. São Paulo.
RABELO, J. O.; COSTA, M. O.; MARTINS, B. T.. A Educação Feminina no Brasil em meados do século XIX e início do século XX. ANAIS ON LINE ENFOPE 2015, 2015.
SCHUELER, A. F. M.; Magaldi, Ana Maria. Educação escolar na Primeira República: memória, história e perspectivas de pesquisa. Tempo. Revista do Departamento de História da UFF, v. 26, p. 32-55, 2009.
TRINDADE, S. A.; MENEZES, I. R. A educação na modernidade e a modernização da escola no Brasil do final do século XIX e início do século XX. Revista HISTEDBR On-line, v. 36, p. 124-135, 2009.
ZICHIA, Andrea de Carvalho. O direito à educação no Período Imperial: um estudo de suas origens no Brasil. Tese de Doutorado. São Paulo: USP, 2008.
Publicado
17-12-2020
Como Citar
Candido, R. M., & Carvalho, M. C. de. (2020). Patriotas, mães e esposas: um estudo da representação das mulheres nos periódicos estudantis em São Paulo (1889-1930). Cadernos De História, 21(35), 92. https://doi.org/10.5752/P.2237-8871.2020v21n35p92
Seção
TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT - ARTIGOS/ARTICLES