Brizola, as eleições de 1958 e as disputas em torno do Trabalhismo no Rio Grande do Sul (1956-1959)

  • Samuel da Silva Alves Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Trabalhismo, Partido Trabalhista Brasileiro, Eleições de 1958

Resumo

Este artigo é um recorte de uma pesquisa de mestrado, já finalizada, que tratou da candidatura e da campanha eleitoral de Leonel de Moura Brizola ao governo do Rio Grande do Sul em 1958. As eleições de 1958 inserem-se no chamado “segundo tempo do trabalhismo”, de um PTB sem Getúlio Vargas, marcado por disputas em âmbito nacional e estadual entre lideranças, antigas e em ascensão, pelo domínio da máquina partidária, pelas redefinições dos conteúdos programáticos e pelo legado do carisma varguista. Nesse artigo, buscamos analisar de que forma a disputa entre Leonel Brizola e Loureiro da Silva pelo posto de candidato do PTB ao governo estadual e a tentativa de impugnação da candidatura trabalhista por parte de Guilherme Mariante, ex-deputado estadual do PTB, se enquadram nesse contexto do trabalhismo pós-1954. O ponto de partida teórico para esta análise é a teoria do campo político, proposta pelo sociólogo francês Pierre Bourdieu.

Biografia do Autor

Samuel da Silva Alves, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Doutorando em História na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), com bolsa de dedicação exclusiva do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Mestre em História pela PUCRS (2020). Graduado em História (Licenciatura) pela Universidade La Salle - Canoas (2017). Tem interesse nas seguintes temáticas: experiência democrática brasileira (1945-1964), história do voto, cidadania política, eleições, campanhas eleitorais, trabalhismo e PTB. A pesquisa de doutorado trata da exclusão dos analfabetos da cidadania eleitoral durante a experiência democrática brasileira (1945-1964).

Referências

BODEA, Miguel. Trabalhismo e populismo no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, 1992.

BOMBARDELLI, Maura. A trajetória de Fernando Ferrari no PTB: da formação do partido ao “trabalhismo renovador” (1945-1960). [Dissertação de mestrado]. Porto Alegre: UFRGS, 2016.

BOMBARDELLI, Maura. O PTB e as eleições estaduais de 1954 e 1958 no Rio Grande do Sul: disputas internas, novas lideranças e mudanças na agenda do partido. In: BRANDALISE, Carla; HARRES, Marluza Marques (Orgs.). O PTB do Rio Grande do Sul e a experiência democrática (1945-1964). São Leopoldo: Oikos, 2017.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp; Porto Alegre: ZOUK, 2007.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. 5 ed. Rio de Janeiro: Bertrand, 2002.

CÁNEPA, Mercedes Maria Loguercio. Partidos e representação política: a articulação dos níveis estadual e nacional no Rio Grande do Sul (1945-1965). Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2005.

CORTÉS, Carlos E. Política Gaúcha (1930-1964). Porto Alegre: Edipucrs, 2007.

D’ARAÚJO, Maria Celina. Sindicatos, carisma e poder: o PTB de 1945-1965. Rio de Janeiro: FGV, 1996.

DELGADO, Lucília de Almeida Neves. PTB, do getulismo ao reformismo (1945-1964). São Paulo: Marco Zero, 1989.

DE GRANDI, Celito. Loureiro da Silva, o Charrua. Porto Alegre, Literalis, 2002.

GOMES, Angela de Castro. Trabalhismo e democracia: o PTB sem Vargas. In: _____. (org.). Vargas e a crise dos anos 50. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994, p. 133-160.

PINTO, Céli Regina Jardim. O poder e o político na teoria dos campos. Veritas: revista trimestral de Filosofia e Ciências Humanas da PUCRS, Porto Alegre, vol. 41, n. 162, p. 221-227, jun. 1996.
Publicado
17-12-2020
Como Citar
ALVES, S. DA S. Brizola, as eleições de 1958 e as disputas em torno do Trabalhismo no Rio Grande do Sul (1956-1959). Cadernos de História, v. 21, n. 35, p. 242, 17 dez. 2020.
Seção
Temática Livre - Artigos