Três teses sobre a Economia Doméstica no Brasil

Elementos para uma interpretação histórica

  • José Carlos do Amaral Junior Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná IAPAR-EMATER
Palavras-chave: Economia Doméstica, Educação, Historiografia

Resumo

Esse estudo apresenta uma análise das três teses prevalentes nos trabalhos acadêmicos sobre a Economia Doméstica no Brasil, essa importante área de formação técnica e superior de origem estadunidense. Apresentando cada uma delas - a da centralidade da categoria gênero, a político-instrumental e a histórico-crítica - demonstra-se como as leituras históricas sobre a gênese e extinção do projeto educativo da Economia Doméstica são substancialmente alteradas em função dos seus elementos centrais. Nessa perspectiva, entende-se que a terceira tese avança na construção de uma abordagem histórica que resolve algumas das lacunas apresentadas, englobando as dimensões educativas da trajetória da Economia Doméstica nos EUA e no Brasil.

Biografia do Autor

José Carlos do Amaral Junior, Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná IAPAR-EMATER

Doutor em Memória: Linguagem e Sociedade (UESB). Mestre em Economia Doméstica (UFV). Especialista em Gestão de Políticas Públicas com ênfase em Gênero e Raça (UFOP). Economista Doméstico, Assistente Social e Historiador. 

Referências

ALMEIDA, S. E. S.; FARIAS, I. A. Economia Doméstica: a estudante de 1940 do Atheneu Sergipense e o profissional do século XXI. In: V Congresso Brasileiro de Hist;oria da Educação. Aracaju-SE: [s.n.], 2008.
AMARAL JUNIOR, J. C. A Pedagogia do Doméstico: uma memória apreendida da síntese dialética entre Economia Doméstica e Extensão Rural. Tese (Doutorado em Memória: Linguagem e Sociedade) - Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Vitória da Conquista, Bahia, 2020.
AMARAL JUNIOR, J. C. Economia Doméstica: adaptação, transformação ou extinção? 2. ed. São Paulo: PerSe, 2016.
AMARAL JUNIOR, J. C. Educação para mulheres: análise histórica dos ensinamentos de Economia Doméstica no Brasil. Revista HISTEDBR Online, n. 52, 2013.
AMARAL JUNIOR, J. C. Novas questões sobre o curso superior de Economia Doméstica no Brasil: história, memória e extinção. Revista Espaço Acadêmico, v. 17, n. 194, 2017.
AMARAL JUNIOR, J. C. Questões contemporâneas sobre o ensino de Economia Doméstica no Brasil: 61 anos depois. Revista Espaço Acadêmico, n. 155, 2014.
AMARAL JUNIOR, J. C.; BARBOSA, F. B. Mulheres, ensino superior e políticas públicas: um panorama da (des)construção das desigualdades. 1. ed. São Paulo: PerSe, 2016.
BEECHER, C. E. A tratise on Domestic Economy - for the use of young ladies at home and school. New York: Harpers & Brothers, 1841.
FERREIRA, N. V. C. Magistério em Economia Rural Doméstica em Minas Gerais: Uberaba (1953-1962). Suplemento EXedra, 2013.
FERREIRA, N. V. C.; NETO, W. G. Organização inicial do ensino profissional feminino em Uberaba/MG: Economia Rural Doméstica (1953-1962). Revista HISTEDBR, n. 51, 2013.
HOBSBAWN, E. A era das revoluções (1789-1848). 37. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.
HOBSBAWN, E. A era do capital (1848-1875). 28. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.
HOBSBAWN, E. A era dos impérios (1875-1914). 25. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.
HOBSBAWN, E. Sobre história. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.
LOPES, M. F. O Sorriso da Paineira: construção de gênero em uma Universidade Rural. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1995.
MAGALHÃES, C. S.; GUEDES, R. C. Perfil histórico do curso de Economia Doméstica implementado na década de 1960 na UFRural-RJ. In: XX Congresso Brasileiro de Economia Doméstica, VIII Encontro Latino-Americano de Economia Doméstica e I Encontro Intercontinental de Economia Doméstica. Fortaleza, Ceará: [s.n.], 2009.
OLIVEIRA, A. C. M. Economia Doméstica: origem, desenvolvimento e campo de atuação profissional. Vértices, v. 8, n. 1, 2006.
OLIVEIRA, I. B.; NETO, C. F. M. “Um ninho de cozinheiras?”: Henrique Castriciano de Souza e a “modernidade pedagógica” da escola doméstica de Natal. Revista Humanidades, v. 30, n. 2, p. 304–332, 2015.
PARLOA, M. An ideal kitchen - A guide for all who would be good housekeepers. 20. ed. Boston, Massachusetts: Estes and Lauriat, 1887.
PARLOA, M. Young housekeeper - Designed especially to aid beginners. Boston, Massachusetts: Estes and Lauriat, 1894.
PINHEIRO, C. F. Estado, extensão rural e economia doméstica no Brasil (1948-1974). Dissertação (Mestrado em História) - Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, 2016.
RATTO, I. M. R. De boa mãe de família à consumidora esclarecida: os currículos dos cursos de Economia Doméstica. Estudos Sociedade e Agricultura, v. 3, p. 155–160, 1994.
RIBEIRO, M. G. M. A constituição das ciências humanas numa Universidade Rural. ALEPH, v. 14, p. 52–60, 2010.
RICHARDS, E. H. Euthenics - the science of controllabel enviroment. A plea forbetter living conditions as a first step toward higher human efficiency. 2. ed. Boston, Massachusetts: Witcomb & Barrows, 1912.
RICHARDS, E. H. The cost of shelter. [s.l.]: MIT - Massachusetts Institute Of Technology, 1905.
SIMÃO, F. L. R. Ser mulher, “uma missão”: Escola Superior de Ciências Domésticas, domesticidade, discurso e representações de gênero (1948-1992). Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, 2016.
Publicado
17-12-2020
Como Citar
Amaral Junior, J. C. do. (2020). Três teses sobre a Economia Doméstica no Brasil. Cadernos De História, 21(35), 73. https://doi.org/10.5752/P.2237-8871.2020v21n35p73
Seção
TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT - ARTIGOS/ARTICLES