A cidade à noite: tensões e sociabilidade no espaço público pelotense (Pelotas-RS, 1930-1939)

  • Thaís de Freitas Carvalho Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS)
Palavras-chave: Noite, Sociabilidade, Espaço público, Honra, Cultura popular.

Resumo

O presente estudo discute a noite pelotense de 1930 a 1939, com ênfase nas sociabilidades noturnas ligadas à cultura popular desse período. A escolha da década de 1930 do século passado refere-se à conjuntura de urbanização e modernização da cidade de Pelotas, percebida na análise do desenvolvimento do espaço urbano, eletrificação e dinamização das atividades culturais. Torna-se evidente a relação da cidade e seus habitantes com concepções e noções de comportamento ligadas aos ideais de modernidade e civilidade, os quais carregavam elementos de normatização que serviam ao surgimento de um capitalismo voltado ao consumo. O confronto entre estes novos padrões de convivência social e os velhos valores herdados de um modo de vida rural é contemplado neste trabalho por meio da análise das sociabilidades noturnas presentes nesse universo popular. O tempo noturno, escolhido por privilegiar o domínio dos trabalhadores sobre seu tempo, revela esses e outros traços de uma cultura popular que se mostra efervescente e singular. Partindo das declarações e depoimentos contidos nos inquéritos policiais e processos criminais do período, torna-se possível visualizar a vitalidade de uma noite popular que transitou pelas ruas e recheou o espaço urbano com seus encontros, seus conflitos e seus amores.

Biografia do Autor

Thaís de Freitas Carvalho, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS)

Doutoranda em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Mestre em História pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Bolsista CNPq. Trabalha com pesquisa e investigação em História Cultural, História das Ideias, Século XX, boemia e tempo noturno.

Referências

Fontes primárias

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO RIO GRANDE DO SUL. Fundo Comarca de Pelotas. Processo nº 1459, Caixa 70, Estante 128B, Subfundo 2ª Vara Cível e Crime, 1930.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO RIO GRANDE DO SUL. Fundo Comarca de Pelotas. Processo nº 1562, Caixa 79, Estante 128B, Subfundo 2ª Vara Cível e Crime, 1930.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO RIO GRANDE DO SUL. Fundo Comarca de Pelotas. Processo nº 1612, Caixa 83, Estante 128B, Subfundo 2ª Vara Cível e Crime, 1930.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO RIO GRANDE DO SUL. Fundo Comarca de Pelotas. Processo nº 1612, Caixa 83, Estante 140D, Subfundo 1ª Vara Cível, 1930.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO RIO GRANDE DO SUL. Fundo Comarca de Pelotas. Processo nº 1666, Caixa 87, Estante 128B, Subfundo 2º Cível e Crime, 1930.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO RIO GRANDE DO SUL. Fundo Comarca de Pelotas. Processo nº 1566, Caixa 79, Estante 128B, Subfundo 2º Cível e Crime, 1931.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO RIO GRANDE DO SUL. Fundo Comarca de Pelotas. Processo nº 1568, Caixa 79, Estante 128B, Subfundo 2º Cível e Crime, 1932.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO RIO GRANDE DO SUL. Fundo Comarca de Pelotas. Processo nº 1646, Caixa 84, Estante 128B, Subfundo 2º Cível e Crime, 1933.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO RIO GRANDE DO SUL. Fundo Comarca de Pelotas. Processo nº 1582, Caixa 80, Estante 140D, Subfundo 1ª Vara Cível, 1937.

Fontes secundárias

BENATTI, Antonio Paulo. O centro e as margens: boemia e prostituição na “capital mundial do café” (Londrina-PR, 1930-1970). 1996. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-graduação em História, Curitiba, 1996.

BORGES, Geruza Esteves. A energia elétrica como campo de pesquisa: os primórdios da eletrificação em Pelotas (1914-1916). 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em História) – Universidade Federal de Pelotas, Departamento de História, Pelotas, 2008.

CARVALHO, Thaís de Freitas. Um lugar chamado liberdade: música, tradição e boemia em Pelotas. 2010. Monografia (Trabalho de conclusão de Curso) – Universidade Federal de Pelotas, Departamento de História, Pelotas, 2010.

CHALHOUB, Sidney. Trabalho, lar e botequim: o cotidiano dos trabalhadores no Rio de Janeiro da belle époque. 2ª Ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 2001.

DAMATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro: Zahar Editores S.A., 1983.

ESTEVES, Martha de Abreu. Meninas perdidas: os populares e o cotidiano do amor no Rio de Janeiro da Belle Époque. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

FRÚGOLI JR., Heitor. Sociabilidade urbana. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2007.

GERTZ, René E. O Estado Novo no Rio Grande do Sul. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2005.

JARDIM, Denise Fagundes. De bar em bar: identidade masculina e auto-segregação entre homens de classes populares. 1991. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-graduação em Antropologia, Porto Alegre, 1991.

LONER, Beatriz; GILL, Lorena; MAGALHÃES, Mario (Org.). Dicionário de História de Pelotas. Pelotas: Ed. UFPel, 2010.

MAGALHÃES, Mario Osorio. História do Rio Grande do Sul (1626-1930). Pelotas: Armazém Literário, 2002.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Festa no pedaço: cultura popular e lazer na cidade. São Paulo: Brasiliense, 1984.

MATOS, Maria Izilda S. Nas fronteiras da história: a cidade iluminada. IN: NODARI, Eunice et al. (Org.). Simpósio Nacional da Associação Nacional de História (20: 1999: Florianópolis) História: fronteiras / Associação Nacional de História. São Paulo: Humanitas / FFLCH / USP: ANPUH, 1999.

MATOS, Maria Izilda S. de. Meu lar é o botequim: alcoolismo e masculinidade. 2ª ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2001.

MONSMA, Karl. Conflito simbólico e violência interétnica: europeus e negros no oeste paulista, 1888-1914. História em Revista, v. 10, p. 95-115, dez. 2004.

NOVAES, José. Um episódio de produção de subjetividade no Brasil de 1930: malandragem e Estado Novo. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 6, n. 1, p. 39-44, jan./jun. 2001.

PETERSEN, Áurea; PEDROSO, Elizabeth. Movimentos sociais urbanos (1930-1985). In: GERTZ, René. República: da revolução de 1930 à Ditadura Militar (1930-1985). Passo Fundo: Méritos, 2007.

REMEDI, José. Palavras de honra: um estudo acerca da honorabilidade na sociedade Sul-rio-grandense do século XIX, a partir dos romances de Caldre e Fião. 2011. Tese (Doutorado em História) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pós-Graduação em História, São Leopoldo, 2011.

RÜDIGER, Francisco. Cotidiano, mídia e indústria cultural: modernidade e tradicionalismo, dos anos 1930 à atualidade. In: GERTZ, René. República: da revolução de 1930 à Ditadura Militar (1930-1985). Passo Fundo: Méritos, 2007.

SIMMEL, Georg. Questões fundamentais da sociologia: indivíduo e sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.

SOARES, Luiz Carlos. Por uma genealogia da noite na cultura ocidental. In: NODARI, Eunice, et al. (Org.). Simpósio Nacional da Associação Nacional de História (20: 1999: Florianópolis) História: fronteiras / Associação Nacional de História. São Paulo: Humanitas / FFLCH / USP: ANPUH, 1999.

SOARES, Paulo Roberto Rodrigues. Do rural ao urbano: demografia, migrações e urbanização (1930-1985). In: GERTZ, René. República: da revolução de 1930 à Ditadura Militar (1930-1985). Passo Fundo: Méritos, 2007.

VIEIRA, Sidney Gonçalves. A fragmentação social do espaço urbano: uma análise da (re)produção do espaço urbano em Pelotas, RS. 1997. Dissertação (Mestrado em Planejamento Urbano e Regional) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Porto Alegre, 1997.

Publicado
14-11-2017
Seção
TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT - ARTIGOS/ARTICLES