Sobre progresso, urbanismo e contradições: cidade e história no sertão das Minas Gerais no século XX

  • Alysson Luiz Freitas Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)
  • Kamila Freire Fonseca Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)
Palavras-chave: História das cidades, Norte de Minas Gerais, Progresso, Urbanismo.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo analisar o cenário de progresso e modernidade que se constituiu na cidade de Montes Claros, norte de Minas Gerais, no decorrer do século XX. A nossa análise empreende esforços sobre a compreensão da história urbana na região montes-clarense. Para a concretização desse trabalho, tivemos como base teórica os estudos sobre História das Cidades, livros, dissertações e teses produzidos nas últimas décadas por memorialistas, historiadores e profissionais de áreas afins. Além destas bases teóricas, exploramos também documentos municipais que registraram a busca por melhorias na cidade nos aspectos estruturais e urbanos e contamos, ainda, com os relatos de moradores do bairro São Judas Tadeu, na intenção de construir “uma história vista de baixo” sobre os aspectos de desenvolvimento urbano. Sendo assim, partimos do estudo da cidade e de um de seus principais bairros para compreender suas condições de progresso, urbanismo e algumas das contradições presentes no seu crescimento.

Biografia do Autor

Alysson Luiz Freitas, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Professor do Programa Pós-graduação em História da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). Tem experiência na área de História, Cultura e Política, com ênfase em História do Brasil, Historia da África e da Escravidão. Atualmente realiza pesquisas na área de análise de imagens, mídias, iconografias, cinema e música, com ênfase em Arte e História da Arquitetura. Pesquisa e leciona também nas áreas de Direito e Criminologia, com ênfase nos estudos sobre Direito e Diversidade e Crime.

Kamila Freire Fonseca, Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes)

Mestre em História Social pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). Tem experiência na área de História, com ênfase em História, atuando principalmente nos seguintes temas: memória, praça, patrimônio cultural e Montes Claros.

 

Referências

Fontes primárias

ARQUIVO PÚBLICO DE MONTES CLAROS. Intendência Municipal da Cidade de Montes Claros, Novembro de 1892.

ARQUIVO PÚBLICO DE MONTES CLAROS. Intendência Municipal da Cidade de Montes Claros, 1901.

ARQUIVO PÚBLICO DE MONTES CLAROS. Intendência Municipal da Cidade de Montes Claros, 1902.

ARQUIVO PÚBLICO DE MONTES CLAROS. Intendência Municipal da Cidade de Montes Claros, 25 de janeiro de 1903. p. 1-2.

CÂMARA MUNICIPAL DE MONTES CLAROS. Fundos da Administração Pública, série A, s/d.

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS. Divisão de Pesquisa e Documentação Regional – DPDOR. Série Ofícios. Correspondências e Posturas Municipais. Cxs. 1-307, s/d.

MONTES CLAROS em expansão. Revista Tempo, Montes Claros, n. 70, nov. 2011.

Fontes secundárias

BRESCIANI, Maria Stella. História e Historiografia das cidades, um percurso. In: FREITAS, Marcos Cezar de (Org.). Historiografia Brasileira em Perspectiva. São Paulo: Contexto, 2003.

BRESCIANI, Maria Stella. Permanência e ruptura no estudo das cidades. In: FERNANDES, Ana; GOMES, Marco Aurélio de Filgueiras. Cidade & história: Modernização das cidades brasileiras nos séculos XIX e XX. Salvador: Ed. UFBA, 1992.

BRITO, Gy Reis Gomes de. Montes Claros: da construção ao progresso – 1917-1926. Montes Claros: Ed. Unimontes, 2006.

CARDOSO JÚNIOR, Edi de Freitas. Experiência e poder na urbe em expansão: “cultura política popular” em Montes Claros/MG entre 1930 e 1964. 2008. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-graduação em História, Belo Horizonte, 2008.

CORRÊA, Roberto Lobato. O espaço urbano. São Paulo: Editora Ática, 1999.

FABRIS, Annateresa. Fragmentos urbanos: representações culturais. São Paulo: Studio Nobel, 2000.

FERREIRA, Marieta de Moraes. História Oral: velhas questões, novos desafios. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (Org.). Novos Domínios da História. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

FRISCH, Michael; HAMILTON, Paula; THOMSON, Alistar. Os debates sobre memória e história: alguns aspectos internacionais. In: FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína (Org.). Usos e abusos da História Oral. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 2005.

GUIMARÃES, Jorge Tadeu. Faces do legislativo. Montes Claros: Ed. Arapuim, 1997.

JESUS, Alysson Luiz Freitas de. Cotidiano e poder nas relações sociais escravistas e pós-escravidão: o sertão das Minas entre 1850 e 1915. 2011. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-graduação em História, São Paulo, 2011.

RAMINELLI, Ronald. História Urbana. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

RODRIGUES, Rejane Meireles do Amaral. “Tudo isso é animador”: a cidade de Montes Claros pela imprensa, no início do século XX. História e Perspectivas, Uberlândia, n. 50, p. 301-324, jan./jun. 2014.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. Cidades visíveis, cidades sensíveis, cidades imaginárias. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 27, n. 53, p. 11-23, jun. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbh/v27n53/a02v5327.pdf>. Acesso em: 07 mai. 2017.

MONTEIRO, Charles. Entre História urbana e história da cidade: questões e debates. Revista Oficina do Historiador, Porto Alegre, v. 5, n. 1, p. 101-112, jun. 2012. Disponível em: <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/oficinadohistoriador/ article/view/11835/8320>. Acesso em: 07 mai. 2017.

THOMPSON, Paul. A voz do passado história oral. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002.

Publicado
14-11-2017
Seção
TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT - ARTIGOS/ARTICLES