“Mal-estar entre os ferroviários”: a relação entre o Estado, a CVRD, o SINDFER e os trabalhadores de 1957 a 1961

  • André Ricardo Valle Vasco Pereira Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)
  • Douglas Edward Furness Grandson Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) http://orcid.org/0000-0002-0252-2887
Palavras-chave: Folha Capixaba, Sindifer (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de Vitória), Companhia Vale do Rio Doce (CVRD).

Resumo

Esse artigo toma o jornal do Partido Comunista do Brasil (PCB), Folha Capixaba, no período de 1957 até 1961, como base para estudar as relações estabelecidas entre o poder de Estado, a direção da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD), o Sindifer (Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de Vitória) e os trabalhadores. Buscamos identificar as estratégias usadas por comunistas e trabalhistas como mediadores no interior desse arranjo de poder. Para tanto, discutimos com a literatura especializada e buscamos uma solução interpretativa que não seja unilateral no sentido dos mecanismos de controle ou cooptação, das dinâmicas internas das lideranças e das realidades vividas pelos ferroviários. Além disso, acompanhamos as circunstâncias mutantes de uma conjuntura complexa e rica, nas quais os atores por vezes se aliaram ou se afastaram, mas tendo sempre que dar respostas satisfatórias às pressões de suas bases e tendo em vista os limites estabelecidos. 

Biografia do Autor

André Ricardo Valle Vasco Pereira, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutorado em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ). Mestre em História pela Universidade Federal Fluminense. Graduado em História pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Professor do Departamento de História da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Tem experiência na área de História Política e Teoria e Metodologia da Historia.

Douglas Edward Furness Grandson, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Mestre em História Social e das Relações Políticas pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Estuda História do Brasil República, com ênfase em: classe trabalhadora capixaba, partidos políticos, poder e discursos, publicidade e propaganda política. Trabalha na área de Memória política e política da memória. Membro do Laboratório de História Política e das Ideias (Lehpi), e do Laboratório de Estudos Regionais e Conexões Atlânticas.

 

Referências

Fontes primárias

% conseguiram os ferroviários: Vale custou mas cedeu. Folha Capixaba, Vitória, 31 jan. 1959, p. 1.

COUTINHO, Lourival. Os ferroviários na luta de emancipação nacional. Folha Capixaba, Vitória, 5 jul. 1958, p. 5.

ELEIÇÃO na Cia. V. R. D.; exemplo de democracia. Folha Capixaba, Vitória, 21 nov. 1959, p. 8.

EM PERIGO a previdência social. Folha Capixaba, Vitória, 4 fev. 1961, p. 3.

FARIA, Boécio Pache de. O destino do Sindicato dos Ferroviários. Folha Capixaba, Vitória, 23 fev. 1957, p. 4.

MAL ESTAR entre os ferroviários. Folha Capixaba, Vitória, 25 mai. 1957, p. 2.

PAULINO, Geraldo. As eleições de 3 de outubro e a responsabilidade dos ferroviários. Folha Capixaba, Vitória, 23 ago. 1958, p. 3.

REALIZAÇÃO no Espírito Santo de um Congresso da Previdência. Folha Capixaba, Vitória, 11 mai. 1957, p. 5.

SANTANA, Manoel. Pleiteiam aumento de salários os ferroviários da Vitória-Minas. Folha Capixaba, Vitória, 13 fev. 1960, p. 6. Coluna Sindical.

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL (Brasil). Dados estatísticos. 4º volume, eleições federais, estaduais, realisadas em 1958, e me confronto com anteriores. Rio de Janeiro: Departamento de Imprensa Nacional, 1961.

VITÓRIA espetacular da chapa Etevany-Alcyr nas eleições do Sindicato dos Ferroviários. Folha Capixaba, Vitória, 9 nov. 1957, p. 7.

Fontes secundárias

AMARAL, Maísa Maria Batista Prates do. Quando o camarada era mau: hierarquização e disciplinarização do trabalho na CVRD. In: GIL, Antonio Carlos Amador; PEREIRA, André Ricardo Valle Vasco; JESUS, Graziela Menezes de (Org.). Estudos de história política e das ideias. Vitória: LEHPI/UFES, 2014. p. 7-36.

BENEVIDES, Maria Victória Mesquita Benevides. A UDN e o udenismo: ambiguidades do liberalismo brasileiro. São Paulo: Paz e Terra, 1984.

BERTOCCHI, Charles Torres. Yes, agora nós temos um dono? Subordinação e resistência operária na etapa de reestruturação produtiva da Companhia Vale do Rio Doce. In: GIL, Antonio Carlos Amador; PEREIRA, André Ricardo Valle Vasco; JESUS, Graziela Menezes de (Org.). Estudos de história política e das ideias. Vitória: LEHPI/UFES, 2014. p. 74-36.

BRAGA, Ruy. A política do precariado: do populismo ao lulismo. São Paulo: Boitempo, 2010.

CARDOSO, Lucian Rodrigues. Dilemas de Mario Gurgel: um trabalhista na Prefeitura de Vitória (1957 – 1958). In: GIL, Antonio Carlos Amador; PEREIRA, André Ricardo Valle Vasco; JESUS, Graziela Menezes de (Org.). Estudos de história política e das ideias. Vitória: LEHPI/UFES, 2014. p. 113-131.

ELSTER, John. Marxismo, funcionalismo e teoria dos jogos:

argumentos em favor do individualismo metodológico. Lua Nova, São Paulo, n. 17, p. 163-204, jun. 1989. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-64451989000200009>. Acesso em: 16 jun. 2016.

FERREIRA, Jorge. O imaginário trabalhista: getulismo, PTB e cultura popular 1945-1964. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

GOMES, Angela Maria de Castro. A invenção do trabalhismo. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

GOMES, Dino Oliveira. A práxis do guerreiro: a história de Antonio Ribeiro Granja. Brasília: Fundação Astrojildo Pereira, 2006.

GRANDSON, Douglas Edward Furness. As representações sobre a CVRD e a campanha do petróleo em A Gazeta, 1948. 100 f. 2014. Monografia (Graduação em História) – Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais, Departamento de História, Vitória, 2014. Disponível em: <http://lehpi.ufes.br/sites/lehpi.ufes.br/files/field/anexo/douglas_mono.pdf>. Acesso em: 27 mar. 2015.

GRANDSON, Douglas Edward Furness. Entre o Amplo e o específico: mecanismos de controle sobre os trabalhadores da CVRD de 1959-1961. Revista Intellectus, Jaguariúna, v. 4, n. 36, p. 33-52, 2016. Disponível em: <http://www.revistaintellectus.com.br/DownloadArtigo.ashx?codigo=624>. Acesso em: 20 mar. 2017.

GRANJA, Antonio Ribeiro. Antonio Ribeiro Granja: depoimento [jul. 2012]. Entrevistador: André Ricardo Valle Vasco Pereira. Vitória: UFES, 2012. 1 arquivo mp3.

HISTÓRIA da Câmara. Nova Era: Câmara de Vereadores, 2017. Disponível em: <http://www.cmne.mg.gov.br/site/index.php?option=com_content&view=article&id=59&Itemid=75>. Acesso em: 20 mar. 2017.

IANNI, Octávio. A crise dos paradigmas na sociologia. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 32, p. 195-215, jun. 1991. Disponível em: <https://poderedesenvolvimentolocal.files.wordpress.com/2011/02/octavio_ianni_-_a_crise_de_paradigmas_na_sociologia.pdf>. Acesso em: 16 jun. 2016.

JOELSONS, Paula. AMFORP em Porto Alegre (1928-1959): multinacional norte-americana de eletricidade e o papel do gerente geral J. E. L. Millender. 2014. 128 f. Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014. Disponível em: <http://repositorio.pucrs.br/dspace/handle/10923/6823>. Acesso em: 18 jun. 2016.

MICHELS, Robert. Sociologia dos partidos políticos. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1982.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. De ferro e flexíveis: marcas do Estado empresário na subjetividade operária. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

OLIVEIRA, Marlon Pittol de. Partido Comunista do Brasil na Câmara Municipal de Vitória: leituras e propostas. In: GIL, Antonio Carlos Amador; PEREIRA, André Ricardo Valle Vasco; JESUS, Graziela Menezes de (Org.). Estudos de história política e das ideias. Vitória: LEHPI/UFES, 2014. p. 352-370.

OLSON, Mancur. A lógica da ação coletiva. São Paulo: Edusp, 1999.

PANEBIANCO, Ângelo. Modelos de partido: organização e poder nos partidos políticos. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PEREIRA, André Ricardo Valle Vasco. Conflito de discursos na greve de 1948 na Companhia Vale do Rio Doce. In: CAMPOS, Adriana P.; VIANNA, Karulliny Silverol Siqueira; MOTTA, Katia Sausen da; LAGO, Rafaela Domingos (Org.). Memórias, traumas e rupturas. Vitória: LHPL/UFES, 2013a. p. 1-15.

PEREIRA, André Ricardo Valle Vasco. Espremeram tudo! Modernidade e tradição na memória de um ex-funcionário da Companhia Vale do Rio Doce. História Oral, Rio de Janeiro, v. 16, n. 1, p. 209-233, jan.-jun. 2013b. Disponível em: <http://revista.historiaoral.org.br/index.php?journal=rho&page=article&op=view&path%5B%5D=280&path%5B%5D=311>. Acesso em: 6 jun. 2016.

PEREIRA, André Ricardo Valle Vasco. Que os homens não enganem os homens: a greve de 1948 na Companhia Vale do Rio Doce. In: GIL, Antonio Carlos Amador; PEREIRA, André Ricardo Valle Vasco; JESUS, Graziela Menezes de (Org.). Estudos de história política e das ideias. Vitória: LEHPI/UFES, 2014. p. 393-413.

PEREIRA, André Ricardo Valle Vasco. Teoria e Metodologia em Historia: o tratamento das fontes. Espírito Santo: SEAD/UFES, 2015.

PRZEWORSKI, Adam. Capitalismo e social democracia. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

RAMALHO, José Ricardo. Estado-patrão e luta operária: o caso da FNM. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

SILVA, Marta Zorzal e. A Vale do Rio Doce na estratégia do desenvolvimento brasileiro. Vitória: EDUFES, 2004.

SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Getúlio a Castelo. 8. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

WEFFORT, Francisco. O populismo na política brasileira. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003.

Publicado
14-11-2017
Seção
TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT - ARTIGOS/ARTICLES