Cidade e memória: entre o desejo e o afeto

  • Adriana Mara Vaz de Oliveira Universidade Federal de Goiás (UFG)
  • Márcia Metran de Mello Universidade Federal de Goiás (UFG)
Palavras-chave: Goiânia, Memória histórica, Memória dos pioneiros.

Resumo

Este artigo propõe um mergulho na gênese da cidade de Goiânia, perquirindo a memória dos seus criadores e de seus moradores pioneiros. A euforia expressa no desejo e sonho de construir uma nova cidade manifesta-se claramente em todos os relatos oficiais que constituem a memória histórica de Goiânia. Aqueles que detinham o controle do desejo realizaram o sonho. A afeição de todos os pioneiros por aquele lugar inóspito foi garantida pelo desejo de consolidar a cidade nova e moderna, que se contrapunha ao antigo e atrasado representado pela cidade de Goiás. A memória compartilhada manifestou-se nos seus depoimentos. 

Biografia do Autor

Adriana Mara Vaz de Oliveira, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Mestre em História das Sociedades Agrárias pela Universidade Federal de Goiás (UFG). Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Católica de Goiás (UFG). Professora da Universidade Federal de Goiás (UFG) no Curso de Arquitetura e Urbanismo. Professora do Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Goiás (UFG). Foi professora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (1989-2011), onde ministrou aulas no curso de Arquitetura e Urbanismo, no Mestrado de História e na Especialização de História Cultural. É integrante dos grupos de pesquisa Arquitetura Interfaces e Estudos Urbanos e Culturais. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Teoria, História e Crítica da Arquitetura e do Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: arquitetura, cidade, cidade contemporânea, projeto de arquitetura, história da arquitetura e da cidade, patrimônio e memória, teoria e crítica da arquitetura, cultura arquitetônica, memória e cidade, urbanismo.

Márcia Metran de Mello, Universidade Federal de Goiás (UFG)

Doutora em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB). Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (USP). Professora da Universidade Federal de Goiás. Lecionou na Universidade Católica de Goiás, Universidade Paulista, Universidade Mackenzie e Universidade de Brasília. Áreas de atuação: história da arte, desenho e plástica, teoria e história da arquitetura e do urbanismo e sociologia urbana.

Referências

BENJAMIN, Walter et al. Textos escolhidos. Tradução: José Lino Grünnwald et al. São Paulo: Abril Cultural, 1983.

BENJAMIN, Walter et al. Passagens. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2006.

FREITAS, Venerando de. Goiânia. In: IBGE. Goiânia: coletânea especialmente editada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística como contribuição ao Batismo Cultural de Goiânia. Rio de Janeiro: IBGE, 1942.

GODÓI, Armando Augusto. Relatório sobre a conveniência da mudança da capital. In: IBGE. Goiânia: coletânea especialmente editada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística como contribuição ao Batismo Cultural de Goiânia. Rio de Janeiro: IBGE, 1942.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução: Laurent Leon Shaffter. São Paulo: Vértice; Ed. Revista dos Tribunais, 1990.

HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória. Tradução: Sérgio Alcides. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000.

IBGE. Goiânia: coletânea especialmente editada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística como contribuição ao Batismo Cultural de Goiânia. Rio de Janeiro: IBGE, 1942.

LÉVI-STRAUSS, Claude. Tristes trópicos. São Paulo: Anhembi, 1957.

LIMA, Atílio Correia Lima. Plano Diretor da Cidade. In: IBGE. Goiânia: coletânea especialmente editada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística como contribuição ao Batismo Cultural de Goiânia. Rio de Janeiro: IBGE, 1942.

MANSO, Celina Fernandes Almeida (Org.). Goiânia art déco: acervo arquitetônico e urbanístico: dossiê de tombamento. Goiânia: SEPLAN, 2004. 3 v.

POLLAK, Michel. Memória e identidade social. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n.10, p. 200-212, 1992.

TEIXEIRA, Pedro Ludovico. O problema da mudança da capital. In: IBGE. Goiânia: coletânea especialmente editada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística como contribuição ao Batismo Cultural de Goiânia. Rio de Janeiro: IBGE, 1942.

TELES, José Mendonça. Memórias goianienses. 2. ed. Goiânia: Ed. PUC-GO, 2012.

VARGAS Getúlio. O verdadeiro sentido de brasilidade é a Marcha para o Oeste. In: IBGE. Goiânia: coletânea especialmente editada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística como contribuição ao Batismo Cultural de Goiânia. Rio de Janeiro: IBGE, 1942.

Publicado
14-11-2017
Seção
TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT - ARTIGOS/ARTICLES