Mitos, ritos e símbolos: o culto a Nossa Senhora das Águas-PR

  • João Paulo Pacheco Rodrigues Universidade Estadual de Maringá (UEM)
  • Sandra de Cássia Araújo Pelegrini Universidade Estadual de Maringá (UEM)
Palavras-chave: História regional, Patrimônio imaterial, Catolicismo popular.ba, Nossa Senhora das Águas.

Resumo

Esse artigo propõe analisar a festa de Nossa Senhora das Águas-PR, a partir dos anseios da comunidade católica de Ivatuba. Mesmo que essa celebração seja uma prática religiosa que se fundamenta em ritos e símbolos de outros lugares, apresenta, contudo, particularidades que foram solidificadas no processo de criação da santa na região onde serpenteia o rio Ivaí. Pautados nos pressupostos teóricos de Burke (2004), Hobsbawm (1984) e Portelli (2004), buscamos compreender as raízes para tal devoção e como o sentimento mariano foi solidificado no cerne ivatubense.

Biografia do Autor

João Paulo Pacheco Rodrigues, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Doutorando em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Mestre em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Especialista em História do Brasil pela Universidade Cândido Mendes-RJ. Professor Tutor do curso de História modalidade EAD/UAB da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Pesquisador do Centro de Estudos das Artes e do Patrimônio Cultural (CEAPAC). Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil, História do Paraná e Patrimônio Cultural.

Sandra de Cássia Araújo Pelegrini, Universidade Estadual de Maringá (UEM)

Pós-Doutora em Patrimônio Cultural pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Professora do Programa de Pós-graduação em História da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Coordenadora do Museu Bacia do Paraná (MBP) e do Centro de Estudos das Artes e do Patrimônio Cultural (CEAPAC). Atua na linha de pesquisa “Cultura e Narrativas”, investigando as articulações entre memórias/identidades, história/patrimônio cultural, artes e museus.

Referências

ADUCCI, Edésia. Maria e seus títulos gloriosos. São Paulo: Loiola, 1998.

AQUINO, Maurício de. História e Devoção. Bauru: Editora USC, 2011.

BÍBLIA SAGRADA. Edição Pastoral, São Paulo: Paulus, 2004.

BURKE, Peter. Testemunha ocular: história e imagem. Bauru: EDUSC, 2004.

CARNEIRO JUNIOR, Renato Augusto. Festas populares do Paraná. n. 2. Curitiba: Secretaria de Estado da Cultura, 2005.

CHARTIER, Roger. À Beira da falésia: a história entre incertezas e inquietudes. Trad. Patrícia Chittoni Ramos. Porto Alegre: UFRGS, 2002.

COUTO, Edilece Souza. Tempo de festas: homenagens a Santa Bárbara, N. S. da Conceição e Sant’Ana em Salvador (1860 – 1940). 2004. Tese (Doutorado em História) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Programa de Pós-Graduação em História, São Paulo, 2004.

DA MATTA, Roberto. O que faz o Brasil, Brasil? 7. ed. Rio de Janeiro: Rocco, 1994.

DESTEFANI, E. V. Regime Hidrológico do Rio Ivaí – PR. 2005. 94 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual de Maringá, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Maringá, 2005.

HOBSBAWM, Eric. Introdução: a invenção das tradições. In: HOBSBAWM, Eric; RANGER, Terence (Org.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984. p. 9-23.

LE GOFF, Jacques. Memória. In: LE GOFF, Jacques. História e Memória. 5ª. Campinas: Ed. Unicamp, 2003.

LICHT, Henrique. Nossa Senhora dos Navegantes: Porto Alegre 1871-2006. Porto Alegre: Editora Polotti, 2008.

MAGABALE, Nilza Botelho. Invocações da Virgem Maria no Brasil. Petrópolis/RJ: Vozes, 2001.

MOTA, Lucio Tadeu. História do Paraná: ocupação humana e relações interculturais. Maringá: EDUEM, 2005.

PELEGRINI, Sandra. Patrimônio Cultural: consciência e preservação. São Paulo; Brasiliense, 2009.

PELEGRINI, Sandra; RODRIGUES, João. Ivatuba: história, memória e tradição paranaense. Maringá: Unicorpore, 2014.

PETRUSKI, Maura Regina. Julho chegou... E a festa também: Sant’ana e suas comemorações na cidade de Ponta Grossa (1930-1961). 2008. 267 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Paraná, Programa de Pós-Graduação em História, Curitiba, 2008.

PORTELLI, Alessandro. O momento da minha vida: funções do tempo na história oral. In: FENELON, Déa et al. (Org.). Muitas memórias, outras histórias. São Paulo: Olho d’ Água, 2004. p. 298-313.

Publicado
14-11-2017
Seção
TEMÁTICA LIVRE/FREE SUBJECT - ARTIGOS/ARTICLES