Levantamento Socioespacial: a autoprodução do espaço na Ocupação Esperança

  • Eduardo Ramalho Moutinho Bittencourt PUC Minas
  • Sílvia do Rosário Delgado dos Reis PUC Minas
  • Viviane Zerlotini da Silva PUC Minas
Palavras-chave: Autoprodução do Espaço. Ocupação Urbana. Urbanização. LSE

Resumo

O Escritório de Integração (EI) acompanha a Região da Izidora por meio de ações de assessoria técnica aos moradores, desde 2014. O local é uma ocupação urbana da Região Metropolitana de Belo Horizonte, onde está situada a Ocupação Esperança. Este trabalho tem o objetivo de relatar a metodologia do Levantamento Socioespacial (LSE) nesse território, aplicado por meio de passeios acompanhados e entrevistas em narrativas. Esse levantamento é parte integrante do projeto de extensão Prosa[1] e tem como pontos de partida os valores da autoprodução e a formação socioambientalmente responsável de produtores do espaço. Acredita-se que, de posse de informações técnicas, os moradores possam contestar a urbanização formal e assim restituir ao grupo o controle sobre os processos produtivos do próprio espaço. Pretende-se dar continuidade a essa atividade em 2019, para que possa ser elaborado um novo plano de urbanização na comunidade, baseado nos princípios e nas práticas já configurados no território.

Biografia do Autor

Eduardo Ramalho Moutinho Bittencourt, PUC Minas

Professor assistente II do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), mestre em Arquitetura e Urbanismo, coordenador de Extensão do curso de Arquitetura e Urbanismo do Coração Eucarístico e cocoordenador do Escritório de Integração (E.I.) e colaborador do projeto Prosa.

Sílvia do Rosário Delgado dos Reis, PUC Minas

Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela PUC Minas / Coração Eucarístico. Extensionista do projeto “Prosa: Escola de Formação de Autoprodutores em Processos Socioambientais”.

Viviane Zerlotini da Silva, PUC Minas

Professora adjunta do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da PUC Minas, doutora em Arquitetura e Urbanismo pela UFMG / NPGAU, mestre em Engenharia de Produção da Escola de Engenharia da UFMG. Cocoordenadora do E. I. e coordenadora do projeto Prosa.

Referências

BITTENCOURT, Eduardo Moutinho Ramalho. Agir na urgência, decidir na incerteza: desafios na integração entre o ensino e a extensão em disciplina a partir da assessoria técnica direta. In: BARROS, Ev'Ângela Batista Rodrigues de; ALBUQUERQUE, Lucimar Magalhães de; RESENDE, Márcia Colamarco Ferreira (orgs.) Ressignificando a relação teoria e prática: reflexões sobre as práticas curriculares de extensão da PUC Minas. Belo Horizonte: PUC-MG, 2019. E-book (320 p.: il.). Disponível em: http://portal.pucminas.br/imagedb/documento/DOC_DSC_NOME_ARQUI20190603173459.pdf. Acesso em: 16 jun.2019.

CARVALHO, Edézio Teixeira. Geologia urbana para todos: uma visão de Belo Horizonte. Belo Horizonte: [s. n.], 2001.

SILVA, Viviane Zerlotini da; ROCHA, Caroline Cristiane; BITTENCOURT, Eduardo Moutinho Ramalho; LEAL, Luiz Felipe Velloso; BENFICA, Mariana Laureano; LOURENÇO, Tiago Castelo Branco. Assessoria Técnica a Ocupações Urbanas: processos autônomos de urbanização. Conecte-se! Revista Interdisciplinar de Extensão. Belo Horizonte, v. 2, n. 3, 2018 Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/conecte-se/article/view/17660. Acesso em 14 mar. 2019.

SILVA, Viviane Zerlotini da; ROCHA, Caroline Cristiane. Levantamento socioespacial: para compreender a autoprodução do espaço. Salvador: V Enanparq, 2018.

Publicado
03-12-2019