Tensões e mobilizações em torno da abolição da escravidão em Diamantina (1860 – 1888)

  • Higor Natanael Azevedo Carvalho Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri
Palavras-chave: Jornal, Cultura Política, História Regional

Resumo

O artigo apresenta alguns dos principais discursos políticos sobre o processo de abolição gradual da escravidão no Brasil, a partir dos prenúncios em jornais impressos em Diamantina, interior da província de Minas Gerais, nos anos de 1860 a 1887.  Objetivou a diversidade do pensamento político no período supracitado, portanto, elegeu-se imprensas cujo viés ideológico era distinto, a saber: grupo liberal e grupo conservador. Nessa ordem, as leituras do O Jequitinhonha (1860-1873) e do Sete de Setembro (1887-1888) se deram a partir dos termos buscados “escravidão” e “abolição”. Desse modo, foi possível acompanhar os discursos empreendidos nessas imprensas sobre os processos que culminariam na abolição da escravidão, em 1888, e seus efeitos para a cidade como, também, para o Império.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Higor Natanael Azevedo Carvalho, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Bacharel em Humanidades pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

Referências

FONTES

O Jequitinhonha, Diamantina, 03/01/1869.
O Jequitinhonha, Diamantina, 08/11/1868.
O Jequitinhonha, Diamantina, 20/01/1861.
O Jequitinhonha, Diamantina, 30/11/1861.
O Jequitinhonha, Diamantina, 07/12/1861.
O Jequitinhonha, Diamantina, 19/12/1861.
O Jequitinhonha, Diamantina, 13/06/1869.
O Jequitinhonha, Diamantina, 08/081869.
O Jequitinhonha, Diamantina, 05/12/1869.
O Jequitinhonha, Diamantina, 06/04/1873.
Sete de Setembro, Diamantina, 24/09/1887.
Sete de Setembro, Diamantina, 02/04/1887.
Sete de Setembro, Diamantina, 12/04/1887.
Sete de Setembro, Diamantina, 19/04/1888.
Sete de Setembro, Diamantina, 26/04/1888.
Sete de Setembro, Diamantina, 03/05/1888.
Sete de Setembro, Diamantina, 25/05/1888.

REFERÊNCIAS

ABREU, Marta, SOIHET, Rachel e GONTIJO, Rebeca (orgs). Cultura política e leituras do passado: historiografia e ensino de história. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2007.

LOPES, Marcos Antônio, MARTINS, Marcos Lobato. Negócio à moda antiga: tropas de comércio em Diamantina nos meados do século XX. In: História (São Paulo) v. 30, n.1, p. 332-348, 2011.

CHAVES, Edneila Rodrigues. Criação de vila em Minas Gerais no início do regime monárquico. A região Norte. In: Varia História, Belo Horizonte, v. 29, n. 51, p. 817-825, 2013.

MARTINS, Marcos Lobato. A mineração de diamantes e a administração dos terrenos diamantinos: Minas Gerais, décadas de 1830-1870. In: Revista de História, São Paulo, n. 167, p. 129-163, 2012.

MARTINS, Marcos Lobato. Os futuros do passado: projetos oitocentistas para o desenvolvimento do "norte de minas". In: História Econômica & História de Empresas, n. 15, p. 5-38, 2012.

MARTINS, Marcos. Breviário de Diamantina: uma história do garimpo de diamantes nas Minas Gerais (século XIX). Belo Horizonte: Fino Traço, 2014.
FOUCAULT, Michel. A Ordem do Discurso. 3 ed. São Paulo: Edições Loyola. 1996.

FURTADO, Júnia Ferreira. Quem nasce, quem chega: o mundo dos escravos no Distrito Diamantino e no Arraial do Tejuco. In: LIBBY, Douglas Cole; FURTADO, Júnia Ferreira. (Orgs). Trabalho livre, trabalho escravo: Brasil e Europa, séculos XVIII e XIX. São Paulo: Annablume, 2006.

FREYRE, Gilberto. O escravo nos anúncios de jornais brasileiros do século XIX. 2 ed. São Paulo: Editora Nacional; Instituto Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais, 1979.

FERREIRA, Raína de Castro. Utopia e prognóstico na história do Brasil imaginada por Joaquim Felício dos Santos (1860-1873). Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto. 2017.

GOODWIN JÚNIOR. James. Cidades de papel – Imprensa, progresso e tradição – Diamantina e Juiz de Fora, MG (1884-1914). Belo Horizonte: Fino Traço, 2015.

NOVAES, Eder. Joaquim Felício dos Santos: Republicanismo e Cultura Historiográfica (1860-1871). 2014. 197 f. Dissertação (Mestrado em História). Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2014.

COSTA, Emília. A abolição. 9 ed. São Paulo: UNESP, 2010.

COSTA, Emília. Da Senzala à Colônia. 5 ed. São Paulo: UNESP, 2010.

SODRÉ, Nelson. História da Imprensa no Brasil. 4. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 1999.

SILVA, Juremir. Raízes do conservadorismo brasileiro: a abolição na imprensa e no imaginário social. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.
Publicado
22-06-2022