A PSICOLOGIA JUNTO ÀS POLÍTICAS PÚBLICAS EM SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIAS E DESASTRES

Raquel Ferreira Pacheco, Sílvia Regina Eulálio de Souza

Resumo


A sociedade brasileira convive, frequentemente e cada vez mais, com situações de emergências e desastres, as quais ocasionam danos de ordem ambiental, material, econômica, estrutural e, sobretudo, danos à vida humana e à saúde mental dos atingidos. Assim sendo, este estudo tem o propósito de trazer uma reflexão sobre a atuação do psicólogo nessas situações, a qual é recente, mas está em pleno desenvolvimento. Desta forma, o objetivo geral deste trabalho consiste em realizar uma reflexão sobre os desafios com os quais a Psicologia se defronta, em situações de emergências e desastres, bem como quais as suas possíveis contribuições em todas as fases de um evento dessa natureza. Enfatiza-se, sobretudo, o momento da prevenção e da redução dos riscos de desastres. Para tanto, utiliza-se o arcabouço teórico da Psicologia Social Comunitária para orientar a reflexão sobre essa atuação do psicólogo, em consonância com as políticas públicas vigentes em nosso país. O procedimento metodológico consiste em uma pesquisa bibliográfica. Então, por meio da reflexão sobre os documentos pesquisados, é possível perceber que o trabalho do psicólogo em situações de emergências e desastres precisa, necessariamente, ser realizado em equipe multiprofissional. Além disso, essa atuação também deve considerar a participação popular, a qual é peça fundamental para que o trabalho se desenvolva de modo crítico, solidário e contextualizado.

Palavras-chave


Psicologia; Políticas públicas; Emergências; Desastres; Proteção e Defesa Civil

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.