O FEMININO SEGUNDO G.H.: PSICANÁLISE E LITERATURA NA OBRA “A PAIXÃO SEGUNDO G.H.” DE CLARICE LISPECTOR

Mariana Magalhães Miranda

Resumo


Tema recorrente nas letras de músicas, nas obras de arte, no cinema e na literatura, é possível tratar e ilustrar a sexualidade feminina de diferentes maneiras. A psicanálise, como uma ciência do particular, dedica boa parte de seus estudos ao feminino, bem como recebe importantes contribuições dele. Desse modo, pretende-se articular a obra de Clarice Lispector, A paixão segundo G.H., com a perspectiva lacaniana sobre a mulher, a fim de investigar o amor como um semblante para a personagem G.H. Toma-se, como ponto de partida, a relação sustentável e permutável entre a literatura e psicanálise, como um saber que ensina à teoria psicanalítica. Portanto, o percurso traçado se orienta por fragmentos do romance que podem dialogar com contribuições psicanalíticas a respeito desse assunto. São trabalhados os conceitos de semblante, gozo, amor e feminino, a partir da protagonista do livro. Esse trabalho tem como objetivo ensinar as particularidades da relação entre o amor e os semblantes para o sujeito feminino.

Palavras-chave


Semblante; Gozo; Objeto a; Amor; Feminino

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas

Licença Creative CommonsEsta obra está protegida com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.
SalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvarSalvar