PSICO-ONCOLOGIA: UMA ALIADA NO TRATAMENTO DE CÂNCER

Gizele da Silva Alves, Jéssica Aparecida Viana, Mayra Fernanda Silva de Souza

Resumo


Considerando as elevadas taxas de incidência de câncer na população, e os impactos que o diagnóstico de câncer provoca nos pacientes, neste estudo buscou-se evidenciar a importância da participação dos profissionais da área da Psico-oncologia junto aos pacientes que recebem o diagnóstico de câncer. A Psico-oncologia surgiu como uma área do conhecimento, com o intuito de auxiliar pacientes diagnosticados com câncer, a encontrarem formas de lidar com o sofrimento decorrente do diagnóstico recebido, como também proporcionar uma maior qualidade de vida a esses pacientes. Neste sentido, a proposta da presente pesquisa, foi de identificar as contribuições da Psico-oncologia frente ao diagnóstico de câncer, e para alcançar esse objetivo, apresentou-se uma breve contextualização histórica sobre a Psicologia da Saúde, Psicologia Hospitalar e a Psico-oncologia; abordou-se também o processo de saúde doença, bem como a etiologia e as características da doença de câncer; e as contribuições do Psico-oncologista para o paciente que recebe o diagnóstico de câncer. O levantamento bibliográfico foi necessário para a efetivação desta pesquisa, as contribuições teóricas de diversos autores que também abordam este assunto, trouxeram um importante subsídio sobre o tema discutido. Os resultados da pesquisa realizada apontaram que a Psico-oncologia exerce um importante auxílio no enfrentamento do câncer, e pôde-se perceber que a presença destes profissionais da Psicologia é significativo para os sujeitos que recebem um diagnóstico impactante como o de câncer. Os Psico-oncologistas podem contribuir atuando como facilitadores na identificação dos medos, dúvidas e expectativas do paciente, bem como oferecer um espaço de escuta efetiva e suporte psicológico, é importante também o trabalho realizado com familiares e a própria equipe de saúde, pois são pessoas fundamentais na assistência ao sujeito diagnosticado com câncer.

Palavras-chave: Processo saúde-doença. Câncer. Psico-oncologia. Pacientes com câncer.


Palavras-chave


Processo saúde-doença; Câncer; Psico-oncologia; Pacientes com câncer

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Raquel Ayres de; MALAGRIS, Lucia Emmanoel Novaes. A prática da psicologia da saúde. Revista Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, Rio de Janeiro, v. 14, n. 2, p. 183-202, 2011. Disponível em: . Acesso em: 18 out. 2016.

ALVES, Railda Fernandes; EULÁLIO, Maria do Carmo. Abrangência e níveis de aplicação da Psicologia da Saúde. In: ALVES, Railda Fernandes. Psicologia da saúde: teoria, intervenção e pesquisa. Campina Grande: EDUEPB, 2011. Cap. 2, p. 65-84.

ANGERAMI-CAMON, Valdemar Augusto (Org.). O ressignificado da prática clínica e suas implicações na realidade da saúde. In: ANGERAMI-CAMON, Valdemar Augusto (Org.). Psicologia da Saúde: Um novo significado para a prática clínica. São Paulo: Pioneira, 2002. Cap. 1, p. 7-11.

BACKES, Marli Terezinha Stein; ROSA, Luciana Martins; FERNANDES, Gisele Cristina Manfrini; BECKER, Sandra Greice; MEIRELLES, Betina Horner Schlindwein; SANTOS, Sílvia Maria de Azevedo. Conceitos de saúde e doença ao longo da história sob o olhar epidemiológico e antropológico. Revista Enfermagem Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, v.17, n. 1, p. 112-117, 2009. Disponível em: . Acesso em: 12 mar. 2017.

BERNAT, Ana Beatriz Rocha; PEREIRA, Daphne Rodrigues; SWINERD, Monica Marchese. Um olhar sobre os aspectos relevantes que envolvem o sofrimento psíquico do paciente oncológico. In: BERNAT, Ana Beatriz Rocha; PEREIRA, Daphne Rodrigues; SWINERD, Monica Marchese. Sofrimento psíquico do paciente oncológico: o que há de específico? Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva.Hospital do Câncer. Rio de Janeiro: INCA, 2014. Cap. 16, p.133-138.

BIFULCO, Vera Anita; Psico-oncologia: Apoio emocional para o paciente, a família e a equipe no enfrentamento do câncer. In: BIFULCO, Vera Anita; JÚNIOR, Hézio Jadir Fernandes; BARBOSA, Alessandra Bigal. Câncer: uma visão multiprofissional. Barueri, SP: Minha editora, 2010. Cap.11, p. 231-244.

BRUSCATO Wilze Laura; BENEDITTI, Carmem; LOPES, Sandra Ribeiro de Almeida. O trabalho em equipe multiprofissional na saúde. In: BRUSCATO Wilze Laura; BENEDITTI, Carmem; LOPES, Sandra Ribeiro de Almeida. A prática da Psicologia Hospitalar na Santa Casa de São Paulo: novas páginas em uma antiga história. 2 ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010. Cap. 2, p. 33-42.

CAMPOS, Gastão Wagner de Souza. Clínica e saúde coletiva compartilhadas: teoria paidéia e reformulação ampliada do trabalho em saúde. In: Minayo C, et al., organizadores. Tratado de Saúde Coletiva. São Paulo: Hucitec; 2006. p.41-79.

CARDOSO, Flávia Tanes. Câncer infantil: aspectos emocionais e atuação do psicólogo. Revista Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, Rio de Janeiro, v. 10, n.1, p. 25-52, 2007. Disponível em: Acesso em: 28 mar. 2017.

CARVALHO, Maria Margarida. Psico-oncologia: história, características e desafios. Psicologia USP [online], São Paulo, v. 13, n. 1, p. 151-166, 2002. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2016.

CARVALHO, Vicente Augusto de. et al. (Org.). Temas em psico-oncologia. São Paulo: Summus, 2008.

CASTRO, Elisa Kern de; BORNHOLDT, Ellen. Psicologia da saúde x psicologia hospitalar: definições e possibilidades de inserção profissional. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v. 24, n. 3, p. 48-57, 2004. Disponível em: . Acesso em: 19 out. 2016.

FARINHAS, Giseli Vieceli; WENDLING Maria Isabel; ZANON, Letícia Lovato Dellazzana. Impacto psicológico do diagnóstico de câncer na família: um estudo de caso a partir da percepção do cuidador. Pensando famílias, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 111-129, 2013. Disponível em: Acesso em: 28 de fev. 2017.

GRANER, Karen Mendes; JUNIOR, Aderson Luiz Costa; ROLIM, Gustavo Sattolo. Dor em oncologia: intervenções complementares e alternativas ao tratamento medicamentoso. Temas em Psicologia, Ribeirão Preto, v. 18, n. 2, p. 345-355, 2010. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2017.

INCA. Instituto nacional do câncer José Alencar Gomes da Silva. ABC do câncer: abordagens básicas para o controle do câncer. 2. ed. Rio de Janeiro: Inca, 2011.

INCA. Instituto nacional do câncer José Alencar Gomes da Silva. Rio de Janeiro: INCA, 2017. Disponível em: . Acesso: 05 mar. 2017.

JUNIOR, Áderson L. Costa. O desenvolvimento da psico-oncologia: implicações para a pesquisa e intervenção profissional em saúde. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v. 21, n. 2, p. 36-43, 2001. Disponível em: . Acesso em: 27 ago. 2016.

MALTA, Júlia Dias Santana; SCHALL, Virgínia Torre; MODENA, Celina Maria. O momento do diagnóstico e as dificuldades encontradas pelos oncologistas pediátricos no tratamento do câncer em Belo Horizonte. Revista Brasileira de Cancerologia, Belo Horizonte, v. 55, n. 1, p. 33-39, 2009. Disponível em: Acesso em: 26 de fev. 2017.

MANTOVANI, Alexandre; MANTOVANI, Carina CellaPanaia. Psico-oncologia e grupos: trabalhando vínculos em uma casa de apoio a pacientes com câncer. Revista Sociedade Psicoterapias Analíticas Grupais do Estado de São Paulo, Ribeirão Preto, v. 9, n. 1, p. 11-17, 2008. Disponível em: . Acesso em: 29 mar. 2017.

MARUYAMA, Sônia Ayako Tao; ZAGO, Márcia Maria Fontão. O processo de adoecer do portador de colostomia por câncer. Revista Latino-América de Enfermagem, Ribeirão Preto, v.13, n. 2, p. 216-222, 2005. Disponivel em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-11692005000200013>. Acesso em: 18 abr. 2017.

MIYAZAKI, Maria Cristina O. S.; DOMINGOS, Neide Micelli; CABALLO, Vicente; VALERIO, Nelson Iguimar. Psicologia da saúde: intervenções em hospitais públicos. In: RANGÉ, Bernard. Psicoterapias cognitivo-comportamentais: um diálogo com a psiquiatria. 2. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2011. Cap. 35, p. 568-580.

O'DONNELL, Dearbhaile et al. Questões Psicossociais e controle de sintomas. In: O'DONNELL, Dearbhaile et al. Oncologia: solução de problemas. Rio de Janeiro: Revinter, 2010. Seção 9, p.217-234.

SCLIAR, Moacir. História do conceito de saúde. Revista Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 29-41, 2007. Disponível em: Acesso em: 21 de abril 2017.

SILVA, Rafaella Brito; BOAVENTURA, Carolina Brum Faria. Psico-oncologia e Gestalt-terapia: uma comunicação possível e necessária. Revista abordagem Gestalt, Goiania, v. 17, n. 1, p. 37-46, 2011. Disponível em: . Acesso em: 01 out. 2016.

SILVA, Shirley de Souza; AQUINO, Thiago Antonio Avellar; SANTOS, Roberta Montenegro dos. O paciente com câncer: cognições e emoções a partir do diagnóstico. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2, p. 73-88, 2008. Disponível em: . Acesso em: 26 de fev. 2017.

SILVA, Gizele Alves; VIANA, Jéssica Aparecida. PSICO-ONCOLOGIA: uma aliada no tratamento de câncer. 2017. Monografia ( Conclusão do curso ) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Faculdade de Psicologia, Arcos.

SILVA, Valéria Costa Evangelista; ZAGO, Márcia Maria Fontão. A revelação do diagnóstico de câncer para profissionais e pacientes. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasilia, v. 58, n. 4, p. 476-480, 2005. Disponível em: . Acesso em: 26 de fev. 2017.

STRAUB, Richard. A psicologia da saúde hoje e amanhã. In:STRAUB, Richard O.Psicologia da Saúde. Porto Alegre: Artmed, 2005. Epílogo. p. 571.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas

Compartilhar no Facebook



Licença Creative CommonsEsta obra está protegida com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.