QUALIDADE DE VIDA DE MULHERES COM TRIPLA JORNADA: MÃES, ESTUDANTES E PROFISSIONAIS.

Palavras-chave: Palavras chave, Qualidade de vida, História da mulher, Tripla jornada.

Resumo

Resumo

O trajeto deste trabalho voltou- se para a compreensão da qualidade de vida de mulheres com tripla jornada (mães, estudantes e profissionais) ao conciliar vida profissional, maternidade e vida acadêmica, além das demais atividades do cotidiano. Para tal, foi feita uma revisão história sobre a evolução do papel da mulher desde os primórdios até o alcance da posição atual, seguido de uma reavaliação do conceito “qualidade de vida”, para assim apresentar o estudo de campo realizado com 23 mulheres do curso de psicologia da PUC- BETIM, mães e profissionais de diversas áreas. Utilizou- se do método semi- estruturado, com questionário fechado da OMS e três questões abertas. O contexto de significados foi esclarecido a partir das categorias de domínios do WHOQOL bref (físico, social, psicológico e meio ambiente). O estudo mostrou que apesar do conceito qualidade de vida ser externamente subjetivo e internamente particular, nenhuma das entrevistadas encontram- se acima de 67,4% de boa qualidade de vida, considerando que quanto mais próximo de 100% maior satisfação.

 

Palavras chave: Qualidade de vida; História da mulher; Tripla jornada.

 

Biografia do Autor

Daiane Guimarães Salgado, Pontifícia Universidade Católica De Minas Gerais
Daiane Gimarães Salgado, 29 anos, nascida em 18 de Fevereiro, 1989 em Belo Horizonte,Minas Gerais,  Brasil. Estudante de picologia, oitavo período na PUC Minas, campus de Betim.

Referências

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

BIASOLI- ALVES, Zélia M. M. Continuidades e rupturas no papel da mulher brasileira no século XX. Psicologia: teoria e pesquisa. São Paulo. Vol. 16, N. 3, 2000, pp. 233- 239.

BICEGLIA, Tânia, R. A mulher e a evolução histórica de suas conquistas na legislação civil e constitucional Brasileira. São Paulo. 2002.

BRASIL. Ministério da educação. A trajetória da mulher na educação Brasileira. http://portal.mec.gov.br/component/content/article/202-noticias/264937351/5710-sp-1216879868?Itemid=164 . – Acessado ás 12hs e 21min. Do dia 13 de outubro, 2017.

CALVETTI, Prisla Ukcer et at. Psicologia da saúde e qualidade de vida: pesquisas e intervenções em psicologia clínica. Mudanças- psicologia da saúde. Vol. 14, n.1, p. 18-23, 2006.

EFÉSIOS. Português. In: BIBLIA SAGRADA. Tradução de João Ferreira De Almeida. Rio De Janeiro. 12 Ed. 2008.

ESPÍNDOLA, Gabriela. Psiciclo- treinamento- desenvolvimento- profissional. A trajetória do poder da mulher: Do lar ao mercado de trabalho. Sl.2014.

FLECK, Marcelo P. A. O instrumento de avaliação de qualidade de vida da Organização Mundial da Saúde (WHOQOL-100): características e perspectivas. Ciência e saúde coletiva. Rio De Janeiro. Vol. 5, n. 1, 2000.

MACIEL, Nicoly Machado et al. Morbidades referidas e qualidade de vida: estudo de base populacional. Fisioterapia e pesquisa. São Paulo. Vol. 23, N. 1. Pp. 91-97,2016.

PROBAST, Elisiana R. A evolução da mulher no mercado de trabalho. Sl. 2016. Disponível em: <<http://www.mobilizadores.org.br/wp-content/uploads/2014/05/artigo_jan_gen_a_evolucao_da_mulher_no_mercado_de_trabalho.pdf >> Acesso em: 10 Out.2017.

SILVA, Érika C.; HELENO, Maria Geralda V. Qualidade de vida e bem-estar subjetivo de estudantes universitários. Psicologia e saúde. São Paulo. Vol. 4, n. 1, pp 69-76, 2012.

SILVA, Fabiane F.; RIBEIRO, Paula R. C. Trajetórias de mulheres na ciência: “ser cientista” e “ser mulher”. Ciência e educação. Bauru. Vol. 20, n. 2, P. 449- 466, 2014.

Publicado
16-12-2019
Como Citar
SALGADO, D. G. QUALIDADE DE VIDA DE MULHERES COM TRIPLA JORNADA: MÃES, ESTUDANTES E PROFISSIONAIS. Pretextos - Revista da Graduação em Psicologia da PUC Minas, v. 4, n. 8, p. 308-320, 16 dez. 2019.
Seção
Artigos de temática livre