A IMPORTÂNCIA DA ATUAÇÃO PSICANALÍTICA JUNTO A PACIENTES RENAIS CRÔNICOS EM HEMODIÁLISE

  • Gianna Vasconcellos Serelle Macedo
Palavras-chave: Doença renal crônica, Hemodiálise, Psicanálise

Resumo

Este artigo busca investigar e analisar a importância da psicanálise no tratamento do paciente renal crônico em hemodiálise. Ser um doente renal crônico significa vivenciar situações de limitações e perdas complexas inerentes à cronicidade da doença e à complexidade do tratamento. O estudo sobre a relevância da psicanálise nesse contexto foi articulado à experiência vivenciada durante um estágio do Curso de Psicologia PUC MINAS no setor de hemodiálise do Centro de Nefrologia da Santa Casa de Belo Horizonte, Minas Gerais. A pesquisa recorreu a uma abordagem qualitativa, descritiva e exploratória, na qual foram adotados dois métodos de pesquisa: a revisão bibliográfica orientada pela psicanálise e o estudo de dois casos clínicos. A análise dos dados foi fundamentada pela análise de conteúdo, tendo como instrumentos de investigação a observação direta desses pacientes e os fragmentos dos relatos verbais recolhidos durante os atendimentos psicológicos. Através da articulação da teoria pesquisada com a prática vivenciada no estágio, foi possível compreender melhor a situação do doente renal crônico e constatar a necessidade e a importância da psicanálise no atendimento desses pacientes.

Biografia do Autor

Gianna Vasconcellos Serelle Macedo

Graduada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais.

Referências

ALMEIDA, Cristiane Palotti. Filtrando as emoções: O atendimento psicológico ao paciente renal crônico e cardiopata. In: ISMAEL, Silvia Maria Cury; SANTOS, Janaina Xavier de Andrade dos. Psicologia Hospitalar sobre o adoecimento...Articulando conceitos com a prática clínica. São Paulo: Atheneu, 2013. p.45- 52.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011. 229 p.

BATISTA, Juliana dos Santos. Em busca da morada: considerações sobre ética e psicologia da saúde In: ISMAEL, Silvia Maria Cury; SANTOS, Janaina Xavier de Andrade dos. Psicologia Hospitalar sobre o adoecimento...Articulando conceitos com a prática clínica. São Paulo: Atheneu, 2013. p.19 -26.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 389/2014. Define os critérios para a organização da linha de cuidado da Pessoa com Doença Renal Crônica (DRC) e institui incentivo financeiro de custeio destinado ao cuidado ambulatorial pré-dialítico. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/prt0389_13_03_2014.html> Acesso em: 15 out. 2017.

CAIUBY, Andrea Vannini Santesso; KARAM, Chirstiane Hegedus. Aspectos psicológicos de pacientes com insuficiência renal crônica. In: ISMAEL, S.M.C. A prática psicológica e sua interface com as doenças. 2. ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010. p.131-148.

CARBONE, Lilian M. J. Hemodiálise, vida e morte: uma breve reflexão. 2013. Disponível em: <http://docplayer.com.br/amp/8155573-Hemodialise-vida-e-morte-uma-breve-reflexao.html> Acesso em: 25 abr. 2018.

COITINHO, Daiana et al. Intercorrências em hemodiálise e avaliação da saúde de pacientes renais crônicos. Avances en Enfermería. Bogotá, v. 33, n. 3, p. 362-371, set. 2015 . Disponível em: <http://www.scielo.org.co/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0121-45002015000300004&lng=en&nrm=iso> Acesso em: 25 abr. 2018

DINIZ, José Silvério Santos; FILHO, João Batista Mendonça; LIMA, Alzira Maria Carvalho. Insuficiência Renal Crônica: a trajetória de uma Prática. In: BELLKISS, Wilma Romano. (Org.). A prática da psicologia nos hospitais. São Paulo: Pioneira, 2002. Cap. 5. p.77-92.

FERREIRA, Vera. Maria. A. P.; GORAYEB, Ricardo. Atuação do psicólogo hospitalar em nefrologia: aspectos emocionais de pacientes renais crônicos e transplantados. In: GORAYEB, Ricardo et al. A prática da psicologia no ambiente hospitalar. Novo Hamburgo: Sinopsys, 2015. p.311- 350.

FREUD, Sigmund. (1911-1913). Recomendações aos médicos que exercem a psicanálise. In: Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud Rio de Janeiro: Imago, 1996. v. XII, p. 123-158.

MOHALLEM, Léa Neves. Psicanálise e Hospital: um Espaço de Criação. In: MOURA, Marisa Decat. (Org.). Psicanálise e Hospital 3 Tempo e Morte: da Urgência ao Ato Analítico. Rio de Janeiro: Revinter, 2003. p.23-34.

MORETTO, Maria Lívia Tourinho. O que pode um analista no hospital? São Paulo: Casa do Psicólogo, 2001.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Disponível em:

<|http://www.who.int/eportuguese/pt/> Acesso em: 14 abr. 2018.

QUINET, Antônio. A descoberta do inconsciente: do desejo ao sintoma. 4ª ed. Rio de Janeiro: Zahars, 2011.

SEBASTIANI, Ricardo Werner; OLIVEIRA, Antônio Pedro. Atenção Psicológica interdisciplinar ao portador de doença crônica e sua família: impactos das transições epidemiológica e demográfica. In: ARGERAMI, Valdemar Augusto (Org.). E a psicologia entrou no hospital. Belo Horizonte: Ed. Artesã, 2017. p.337- 378.

SIMONETTI, Alfredo. Manual da Psicologia Hospitalar: o mapa da doença. 8 ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2016.

SIMONETTI, Alfredo. Psicologia hospitalar e psicanálise. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2015.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEFROLOGIA. Disponível em: <https://sbn.org.br> Acesso em: 03 nov. 2017.

Publicado
16-12-2019
Seção
Artigos de temática livre